Mulher tenta matar namorado por achar aplicativo de paquera - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow
HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA

A história que o povo conta; O Retratista

Este veículo marcou época em Itiruçu, no final da década de 60 e início da década de 70. De cor provavelmente verde-escura e ano de fabricação 1954.
Estacionada em frente ao Grupo Escolar Francisco Mangabeira, atual Secretaria de Educação , tendo a bordo: ...
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

Desejo de manter foco


Parece que está se tornando cada vez mais difícil nos concentrarmos numa única coisa por muito tempo. A sociedade moderna definitivamente tem nos levado a manter períodos curtos de atenção. Se assistirmos qualquer programa de tevê ou filme, vamos notar como as coisas se movem rapidamente e o ritmo acelerado do enredo. Um comercial típico de tevê muda as imagens a cada poucos segundos, às vezes menos. A lógica é: se não capturarmos a atenção do indivíduo imediatamente. ele vai se voltar para outra coisa.
Com tantas coisas competindo por nossa energia mental, que vão da Internet passando pelas mensagens de texto e e-mails, é de admirar que ainda sejamos capazes de concentrar o foco em alguma coisa.
...CONTINUE LENDO
VERSÍCULOS BIBLÍCOS
BÍBLIA!
PARE! LEIA! REFLITA! PRATIQUE!
CLIQUE AQUI

Mulher tenta matar namorado por achar aplicativo de paquera

Por: Redação Itiruçu Notícias - sábado, 2 de fevereiro de 2019 - 0 Comentários


Uma mulher tentou matar o namorado usando uma espada samurai após descobrir que ele havia baixado o Tinder, popular aplicativo de paquera, no celular dele. Emily Javier, de 31 anos, planejou minuciosamente o crime e comprou, semanas antes, a espada para atacar Alex Lovell, de 30 anos, enquanto ele dormia na casa onde o casal morava, em Camas, no estado de Washington, nos EUA.

“Estava tentando matá-lo por causa de traição. Esse era o meu objetivo”, disse Emily a policiais, segundo o jornal The Columbian. O ataque ocorreu em 3 de março do ano passado, mas só agora Emily está sendo julgada.

Além do Tinder no celular do namorado, Emily apontou como motivo para o ataque a descoberta de um fio de cabelo ruivo no box do banheiro da casa, marcas de arranhões nas costas de Alex e o tempo que ele passava jogando video-games.

O próprio namorado admitiu ao The Columbian que passou, nos últimos meses, jogando de 12 a 13 horas por dia. Lovell, contudo, afirmou que nunca traiu a namorada e que o app foi baixado na época em que eles se encontraram pela primeira vez.

Emily revelou aos policiais que o ápice de sua raiva se deu quando Lovell chegou em casa, por volta das 21h do dia 2 março, e a ignorou. Eles se deitaram para dormir, ela aguardou ele pegar no sono, escondeu o celular para que ele não pudesse ligar por socorro e o atacou com a espada samurai.

Lovell teve ferimentos nas mãos e nos braços, mas conseguiu escapar da fúria da namorada graças ao wing chun, uma técnica de arte marcial oriental. Alguns dedos dele tiveram que ser reimplantados. “Ela ligou para a polícia e salvou a minha vida. Espero que isso ajude em algo (no julgamento). Acho que ela precisa de ajuda séria”, declarou a vítima, nesta semana, ao The Columbian.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores






MAIS LIDAS DO MÊS