Arrow

PRESSIONE o botão PLAY para reproduzir a rádio, caso não toque automaticamente. Estamos em fase de testes...




Mercenários dos EUA e da oposição tentam invadir a Venezuela

Por: Redação Itiruçu Notícias - sexta-feira, 8 de maio de 2020 - 0 Comentários

A Venezuela  anunciou através  do Presidente  Nicolás Maduro que  um grupo de até 55 ‘mercenários terroristas’ tentou invadir a Venezuela no ultimo domingo dia 03.
Os  ‘mercenários terroristas’  estavam pilotando lanchas vindas da vizinha Colômbia. Treze pessoas foram detidas, dentre elas estariam dois cidadãos americanos, Luke Denman e Airan Berry.

O Presidente venezuelano  apresentou durante um pronunciamento no Palácio de Miraflores, residência do chefe de Estado, os passaportes de Denman e Berry, dentre outros documentos.
A televisão estatal da Venezuela exibiu nesta quinta um vídeo em que Berry, capturado, diz que os objetivos da missão eram controlar alvos específicos, como o Serviço de Inteligência Bolivariana (Sebin), e “pegar” o presidente venezuelano.

Maduro também reconheceu publicamente que Goudreau participou do treinamento dos ‘mercenários’. Denman, Berry e Goudreau são ex-militares das Forças de Operações Especiais dos Estados Unidos.
O autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, e outros líderes da oposição venezuelana teriam planejado desde outubro com uma pequena empresa de segurança americana uma operação de 213 milhões de dólares para invadir o país sul-americano e derrubar o , Nicolás Maduro.

O plano tinha o objetivo principal era a realização de “uma operação para capturar/ deter/ remover Nicolás Maduro. . . remover o regime atual e instalar o reconhecido presidente venezuelano, Juan Guaidó”.

O plano tinha como base um “acordo de serviços gerais de 16 de outubro de 2019 entre a República Bolivariana da Venezuela [sob] Juan Gerardo Guiado (sic), presidente interino, e a Silvercorps, [no estado americano da] Flórida”.

As assinaturas de Guaidó e de dois de seus aliados, o deputado Sergio Vergara e o consultor político Juan José Rendon, constam no “acordo de serviços gerais”, um contrato de apenas sete páginas.
Rendon disse à emissora de televisão americana CNN que assinou um “acordo exploratório” com a Silvercorps, mas que nunca foi concluído. Ele disse que a missão “suicida” do domingo foi liderada pela Silvercorp sem o apoio de Guaido. Nem o autoproclamado presidente venezuelano nem Vergara se pronunciaram sobre a reportagem do Post até o momento. 

Os dois principais partidos da oposição venezuelana, Primeira Justiça e Vontade Popular, disseram em um comunicado que “as forças democráticas não promovem ou financiam guerrilheiros, surtos de violência ou grupos paramilitares”, reiterando os apelos por um governo de transição.

O contrato, segundo o Post, foi fornecido ao jornal pelo diretor-executivo da Silvercorp, Jordan Goudreau, cuja assinatura também consta no documento.
Segundo as informações Goudreau deverá publicara no final de semana um vídeo em suas redes sociais em que assumirá ter ajudado a organizar uma tentativa de golpe na Venezuela e lamentou não ter conseguido participar da ação.


Não se esqueça de ler isso também ...

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE



 Gilnar