PF em Itiruçu: Fraude em aposentadorias é o alvo - Itiruçu Notícias
Arrow
Exerça sua cidadania



Passeio Cicloturismo de Itiruçu



EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)
O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : Eleições em Itiruçu

Eleições  serão realizada neste domingo dia 07 de outubro.  Se a mesma empolgação dos eleitores para as eleições do próximo domingo...


MAIS LIDAS DO MÊS


PF em Itiruçu: Fraude em aposentadorias é o alvo

Por: Ed Santos - sexta-feira, 18 de maio de 2018 - 0 Comentários

Resultado de imagem
Informações extra oficiais apontam para mais uma ação da Polícia Federal no município de Itiruçu na manhã desta sexta feira(18).  

A operação que ainda não foi divulgada o nome e nem os alvos, ocorreu na região da Várzea, zona rural de Itiruçu onde um homem identificado como Antônio Helio foi conduzido coercitivamente para prestar esclarecimentos e na sede do município para coleta de documentos. Segundo informações ainda uma mulher conhecida por Ana Paula conseguiu fugir antes da chegada dos agentes. 

O motivo da operação teria sido que o homem levado coercitivamente para depor estaria por trás de fraudes no processos de aposentadorias rurais.

A qualquer momento mais informações.

Polícia Ambiental: Mais cedo fomos informados de uma mulher também levada para prestar depoimentos sobre crimes ambientais. A mesma residente no Bairro Agarradinho, foi conduzida por agentes ambientais. 
 Sobre este fato a qualquer momento mais informações.

Segunda vez que a PF apura fraudes em aposentadorias em Itiruçu

No ano passado, 2017, no dia 27 de Junho uma operação da Polícia Federal resultou numa prisão e várias coercitivas numa investigação sobre fraudes para obtenção de aposentadorias.

Na época a Operação Inredux, com o objetivo de desarticular um esquema ilícito de fraudes à Previdência Social descoberto em Itiruçu, a 347 quilômetros de Salvador.

Segundo a PF, forão cumpridos um mandado de prisão e seis mandados de condução coercitiva e busca e apreensão em Itiruçu; dois mandados de condução coercitiva em Jaguaquara e um de condução coercitiva em Laje do Tabocal.

A PF não divulgou os nomes dos alvos nem detalhou em quais locais das cidades os mandados são cumpridos.

Segundo a Polícia Federal, as investigações da operação começaram em 2014, a partir de denúncias de que uma pessoa, que não teve o nome divulgado, atuaria de maneira irregular na intermediação de requerimentos de benefícios junto à agência da Previdência Social em Itiruçu, cidade do centro-sul baiano.

Após o cumprimento de mandado de busca no escritório de uma pessoa investigada e a obtenção de informações com a agência da Previdência, foram identificados vários requerimentos de benefícios previdenciários de natureza rural, instruídos com documentos falsos, a exemplo de certidões de nascimento e contratos de empréstimo.

A polícia também verificou a falsificação de declarações de atividade rural, que eram obtidas junto a sindicatos de pequenos produtores rurais de Itiruçu, Lajedo do Tabocal e Lafaiete Coutinho. A PF suspeita que os responsáveis pelos sindicatos tinham participação no esquema criminoso.

A PF diz que, mesmo após o cumprimento do mandado de busca, o investigado continuou com com a prática ilícita e ainda passou a orientar testemunhas a mentir aos investigadores para acobertar seu envolvimento nas fraudes. A atitude "irredutível" do investigado, persistindo no crime, foi o que justificou o nome da operação: "Inredux" (em latim, "irredutível").


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação