Arrow

PRESSIONE o botão PLAY para reproduzir a rádio, caso não toque automaticamente. Estamos em fase de testes...




Lançado produto sustentável que elimina o mosquito Aedes aegypti

Por: Redação Itiruçu Notícias - quarta-feira, 5 de dezembro de 2018 - 0 Comentários

O DengueTech é uma pastilha à base de BTI que, ao ser aplicada na água, mata centenas de larvas por até 60 dias


O verão está chegando e, com ele, a preocupação redobrada com a Dengue, Chikungunya e Zika, doenças perigosas, que se espalham rapidamente e que podem até matar. Nessa época do ano é comum que surtos de todas essas doenças aconteçam pelo País. Por isso, os alertas são reforçados para que a população evite o acúmulo de água, que é onde o mosquito transmissor Aedes aegypti se prolifera. Pensando em solucionar definitivamente o problema de maneira prática, eficiente e sustentável, a BR3 criou o DengueTech.

Diferente de outras soluções existentes no mercado, o DengueTech não oferece perigo à saúde de humanos, animais de estimação e ao Meio Ambiente. Ele é apresentado em forma de tablete para ser aplicado em até 50 litros de água e mata as larvas, impedindo que elas se tornem mosquitos e transmitam as doenças.

O produto é feito à base de um microrganismo chamado BTI, que mata as larvas do mosquito em poucas horas e seu efeito dura por até 60 dias após a aplicação.

"Enxergamos a necessidade de um produto que solucione o problema e não que apenas o amenize. O DengueTech realmente atua no controle do Aedes, pois um único tablete é capaz de eliminar centenas de larvas, sem gerar resistência dos mosquitos e sem desequilibrar o meio ambiente. Com ele, agora podemos transformar criadouros em armadilhas. E sabemos que 80% dos criadouros estão nas nossas casas, " afirma Rodrigo Perez, fundador da BR3.

Ainda segundo Rodrigo, com surtos crescentes, é essencial o desenvolvimento de soluções que permitam a capacidade e velocidade de resposta para controlar o mosquito. A tecnologia foi aprovada pela ANVISA para que as comunidades se sirvam livremente e se somem aos esforços do Estado na prevenção e enfrentamento das epidemias. Exatamente como a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda. "Oferecemos tudo isso numa pílula. Simples assim", completa.


Não se esqueça de ler isso também ...

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE



 Gilnar