Temer tira dinheiro do esporte escolar e dá mais ao futebol - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Motorista alcoolizado que provoca morte. Qual a punição?

O comportamento do brasileiro no trânsito encontra-se longe do recomendável. O número de motoristas que dirigem alcoolizados, inclusive...

Histórias que o Povo Conta

A história que o povo conta; O Retratista

Paulo Borges de Oliveira, natural de Castro Alves – BA, nascido em 18/11/1918, chegou em Itiruçu –BA, em 1950, foi comerciante juntamente com seu irmão Otávio (já falecido), na antiga rua da Lancha, hoje Moisés Almeida, mas, anos depois dedicou – se inteiramente a profissão de fotógrafo.
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

A Ganância e a Discórdia a felicidade dos invejosos

Aquele que semeia a discórdia é terrível. Não gosta de ver a paz reinar em canto algum, parece que se agonia com isso.

Qual o objetivo das pessoas que agem desta forma? Será que essa atitude provoca prazer em determinadas pessoas? Ou seria o ego de pessoas invejosas que se sentem felizes provocando infelicidades.

Fazendo minhas análises sobre certas atitudes humanas percebi que pessoas infelizes são as que mais disseminam discórdias e a maior delas sempre está relacionada com algum tipo de fofoca raivosa.

Aquela que numa simples palavra já se percebe o rancor interior de quem fez. E se estivermos perto de quem fez a fofoca raivosa nota-se no semblante da pessoa um certo alívio pela maldade que provocou ou até um sorriso nos lábios achando-se vitorioso...CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Temer tira dinheiro do esporte escolar e dá mais ao futebol

Por: Redação Itiruçu Notícias - quarta-feira, 13 de junho de 2018 - 0 Comentários

Governo Federal tira verbas do esporte é destinados para para  segurança,



A Medida Provisória editada nesta segunda-feira pelo presidente Michel Temer deve fazer grande estragos no esporte brasileiro. Todos os setores foram afetados, principalmente a formação de atletas e os esporte escolar e universitário. A expectativa é que, só a formação de atletas perda ao menos R$ 500 milhões ao ano. Só há uma exceção: o governo não mexeu na parcela que vai aos clubes de futebol, exatamente os que são menos dependente dos recursos das loterias federais. Pelo contrário: ainda garantiu a eles uma verba extra, de cerca de R$ 10 milhões ao ano.

Os clubes são beneficiados por 22% da arrecadação bruta da Timemania – R$ 104 milhões no ano passado. O percentual se mantém na MP editada nesta segunda. Ao mesmo tempo, a cota de 3% que ia para o Ministério do Esporte foi reduzida para 0,75% até o fim do ano e para 0,25%, apenas, a partir de 2019. Por lei, 2/3 desse montante deveriam ser compartilhados pelo ministério com as secretarias estaduais de esporte para “aplicação exclusiva e integral em projetos de desporto educacional desenvolvido no âmbito da educação básica e superior”.



Os clubes de futebol, na verdade, até são relativamente prejudicados, uma vez que foi alterada a legislação da futura Lotex, um tipo de raspadinha virtual, que lhes daria 2,7% da arrecadação futura. Mas o governo compensou essa perda, destinando a eles 9,57% da arredação das loterias de prognóstico esportivo – ou seja, a Loteca e a Lotogol, que já existem. Antes não havia essa verba para os clubes, que seria de R$ 9,9 milhões pelo total de arrecadação do ano passado.

Com relação à Lotex, quem sai perdendo é o “esporte educacional”, que deveria receber 10% da arrecadação da Lotex, a partir de regulamentação publicada pelo próprio Temer em abril, há apenas dois meses. Naquele momento, o governo destinou 10% da arrecadação da nova loteria para o Ministério do Esporte, que também vai perder essa verba. O dinheiro agora vai para o Fundo Nacional da Segurança Pública.

Chama atenção também o fato de as Confederação Brasileiras de Desporto Escolar (CBDE) e Universitário (CBDU), que respetivamente ficavam com 10% e 5% da fatia do esporte nas loterias, terem sido completamente alijadas do texto da MP. No ano passado, elas receberam R$ 22 milhões e R$ 11 milhões, respectivamente.

Ao mesmo tempo, também os clubes formadores de atletas não aparecem na MP. No ano passado, o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) recebeu R$ 66 milhões pela Lei Pelé, investindo o grosso desse montante em editais de projetos de competições de base e de formação de atletas. Os editais valem até 2020, mas, com o fim do dinheiro federal que antes era garantido por lei, os projetos poderão precisar serem encerrados. Em 2017, a grande maioria dos campeonatos nacionais de base foram organizados com esse dinheiro.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores