Reflexão dos porquês da crucificação de Jesus Cristo - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Casa da Cultura treme enquanto se realizava reunião

Reunião é transferida ao perceber que Casa da Cultura em Itiruçu começou a tremer.  Na manhã desta sexta-feira(22) por volta das 9h...


Espaço publicitário


EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)

O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Reflexão dos porquês da crucificação de Jesus Cristo

Por: Ed Santos - sexta-feira, 30 de março de 2018 - 0 Comentários

A morte de Cristo também uma foi conspiração? Ele merecia por não fazer o que se queria que fizesse?


Resultado de imagem para crucificação

Hoje refletir sobre Cristo. Deus que se fez homem para pela sua justiça pagar a conta que o homem pecador não poderia pagar. Esse homem nasceu de uma mulher santa sem ser fruto dela, mas do próprio Deus. Cresceu debateu com uma sabedoria imensa com os doutores da lei. Certo dia, por ser autoridade em como falava e fazia Cristo arregimentou multidões. Multidões que ficavam maravilhados com o morto ressuscitado, com a fome saciada, com as doenças incuráveis curada...etc.

Naquele tempo havia a crença de um Messias que viria para derrotar o opressor e estabelecer um reino eterno.  Com tais sinais, pensou-se: Este é o homem. Por isso preparam-no uma entrada triunfal com ramos de olivas (tapete vermelho).

Com aquilo sem poder fazer nada a casta dominante dos doutores da lei imaginaram seus dias de domínio chegando ao fim. Então se reuniram para traçar os planos de como arrebatarlhe a popularidade. Para isso intensificou a campanha de que Cristo quebrava as leis e que se declarava Deus. Naquele tempo nenhum humano poderia dizer tal coisa. Dos que cria de fato ser ele o líder, o rei prometido esperava ele montar o exército e marchar sobre Roma. Como isso não acontecia tamanho foi o desapontamento. Cristo, porém nunca os enganava. -”Meu reino não é deste mundo”. Isso enfureceu as multidões que viram aquele poderoso desapontar suas fantasias de passarem de imperados para imperadores. Tanto que seus discípulos disputavam entre si quem seria o maior no futuro reino. E ouviram dele algo como “no meu reino o maior é quem serve".

Logo os doutores da lei foram até Pôncio Pilatos para completar a trama dizendo que Cristo foi aclamado pelo povo como rei e que isso ameaçava Roma. Judas que certamente queria ver o mestre reagir e derrotar os exércitos de Roma, bem como o domínio dos fariseus e saduceus aceitou o entregar com um beijo pelo preço de um escravo. Cristo vai preso sem resistência depois de suar sangue no Getsemani. Pedro tomou uma espada tentou degolar um soldado, porém só arrancou lhe a orelha. Jesus ao invés de iniciar a rebelião ali, cola a orelha do soldado e ainda repreende Pedro. Os discípulos como não entendiam bem o que Jesus havia lhes ensinado ficaram desapontados e temerosos tanto que Pedro nega ser dos de Cristo. Como um homem tão poderoso antes, que derrotava a morte agora parecia sem forças, era motivo de escarnio e chacota?. Enquanto isso a multidão que antes o louvava, agora desapontada aceitavam a tese dos acusadores de Cristo era um farsante transgressor que tinha que ser morto como bandido. Outros espectadores ainda esperava ele reagir, mas cada vez mais se irritavam com a passividade de Cristo.

Finalmente levou ele a Pilatos e a Herodes que o interroga sobre a ameaça que eles souberam que Cristo era. Porém não viram culpa nele para condenar lo. Pois ele dizia que nunca havia dito que seria rei dos judeus e que seu reino não era deste mundo. Sem entender Pilotos sorriu daquilo e pretendia solta-lo. Porém a multidão manipulada gritava ao comando dos mestres da lei que temiam perder a autoridade para Cristo. Matem-no, crucifica-o. Pilatos não tinha na lei romana condenação para Jesus, mas temendo uma rebelião mandou chicoteá-lo para ver se acalmava a multidão enfurecida. Mas o povo gritava pela morte de Cristo. Pilatos temeu o relato do sonho de sua esposa para que não se envolvesse na morte daquele inocente, mas como não ser ele mesmo morto pela multidão se não atendesse o clamor? Tem-se uma ideia. - Não é possível que vão preferir o assassino Barrabas! E para sua surpresa o povo grita, solta Barrabas!. Então sem pena prevista na lei Cristo foi condenado pelo clamor de uma multidão raivosa, que havia pela curiosidade e por ter dado ouvido a conspiradores que não entendia, o "Meu reino não é deste mundo" e pensava nele como uma ameaça, fazendo disseminar ódio.
Assim em oito dias para a grande parte da multidão Cristo sai do herói para o bandido a ser morto.

Naquele povo havia os que queriam Cristo morto para calar sua voz que aborrecia pela autoridade que tinha, havia os que imaginavam despertar o guerreiro implacável, havia os que viam Cristo um transgressor segundo conspirava a ideia dos doutores da lei a fim de preservar suas castas. Havia ainda um grupo de pessoas que sentia compaixão e até criam nele como o Messias das palavras do profeta Isaías, mas nada podiam fazer por que não tinham poder para enfrentar o exercito de Roma e os grupos da elite judaica. Judas ao perceber o que fez se mata por remorso. Cristo foi morto sem sua culpa, mas levou as nossas conforme o plano desde que pecado passou a todos e com ele seu salário final a morte. Preço alto para pecador que só um sem pecado pode assumir e pagar, vindicando a justiça. Segundo teólogos se a maldade do homem não tivesse chegado a tanto, não haveria por que Cristo ter sido rejeitado pelos seus a ponto de gritarem por sua morte com escárnios e insultos. Ao contrario num dia solene, todos parariam e então Jesus como o cordeiro definitivo seria imolado pelo sumo sacerdote no santuário e não numa cruz símbolo da vergonha, onde os piores criminosos eram mortos. Todos compreenderiam que o preço foi pago e que isso é a graça que nos leva em gratidão seguir a Cristo. O Deus que se fez homem para morrer nossa morte.  Ele que na cruz dizia que perdoasse a todos, pois não sabiam o que estavam fazendo. E diante do Supremo Tribunal de Deus, um dia diante do Pai dirás a respeito dos que aceitarem seu sacrifício, "nem uma culpa há, pois o preço da sua pena eu paguei". Só Cristo pode perdoar peco, pois só ele pagou o preço com justiça suficiente para todos que aceitarem.

Semana Santa; E eu fico sempre a me perguntar. Como em menos de 8 dias Cristo foi visto de um herói (na cerimônia dos ramos), a um bandido que teria que ser morto?
O que levou as multidões a assim mudar tão rápido de ideia? O que fez Cristo? Por que os mestres da lei não o confrontavam publicamente a um debate, mas desejavam matar por suas ideias? Jesus era um blasfemo e transgressor das leis? Por que ele usava a lei para afirmar suas convicções? Por que Pôncio Pilatos disse não haver crimes segundo as leis romana, lavou as mãos, mas permitiu a aplicação da pena mais dura para Cristo?A quem interessava e por que interessava a morte de Cristo? Precisava ser assim do ponto de vista do ritual dos cordeiros? Analisando aqui as razões e os por quês... Historiadores da época deixaram evidencias?... Alguém já se perguntou sobre isso?
A morte de Cristo também uma foi conspiração? Ele merecia por não fazer o que se queria que fizesse?


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação