Lembranças de Tom Scaldaferri: "Parece que foi ontem" - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow
HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA

A história que o povo conta; O Retratista

Este veículo marcou época em Itiruçu, no final da década de 60 e início da década de 70. De cor provavelmente verde-escura e ano de fabricação 1954.
Estacionada em frente ao Grupo Escolar Francisco Mangabeira, atual Secretaria de Educação , tendo a bordo: ...
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

Desejo de manter foco


Parece que está se tornando cada vez mais difícil nos concentrarmos numa única coisa por muito tempo. A sociedade moderna definitivamente tem nos levado a manter períodos curtos de atenção. Se assistirmos qualquer programa de tevê ou filme, vamos notar como as coisas se movem rapidamente e o ritmo acelerado do enredo. Um comercial típico de tevê muda as imagens a cada poucos segundos, às vezes menos. A lógica é: se não capturarmos a atenção do indivíduo imediatamente. ele vai se voltar para outra coisa.
Com tantas coisas competindo por nossa energia mental, que vão da Internet passando pelas mensagens de texto e e-mails, é de admirar que ainda sejamos capazes de concentrar o foco em alguma coisa.
...CONTINUE LENDO
VERSÍCULOS BIBLÍCOS
BÍBLIA!
PARE! LEIA! REFLITA! PRATIQUE!
CLIQUE AQUI

Lembranças de Tom Scaldaferri: "Parece que foi ontem"

Por: Redação Itiruçu Notícias - segunda-feira, 22 de janeiro de 2018 - 0 Comentários

Lembranças num Bar da Rua Romeu Silva com a esquina com a Presidente Vargas


Da última vez que estive em Itiruçu, fiz questão de beber uma gelada no BAR SÃO JORGE
Cortei uma prosa com meu grande amigo Valdo, e tive o prazer de relembrar aqueles velhos tempos nos anos 70 e 80!
Agora, fui além nas minhas lembranças quando revivi também os tempos de Seu Lior (pai de Marina e Gildenor), de Afonso e do meu tio Raimundo Scaldaferri!
Eu com 12 anos, meu pai adoeceu e foi se tratar longe. Eu estudava de manhã e à tarde ia ajudar no balcão da nossa farmácia, que era ao lado do Bar São Jorge, onde eu torcia pela visita do representante da Roche, só pra ganhar umas amostras grátis de Redoxon efervescente.
Outras vezes, eu sentava no degrau da porta e via o pai de Tico passar levando uma bandejinha com uns dez copinhos de extrato, com doce de leite caseiro, cobertos com papel pardo colado na borda dos copos. Pra abrir, uma dedada no papel e se ouvia o "POC"! Aquele som era tão saboroso quanto o doce de leite que estava dentro do copo. Sem falar no pirulito Zorro e naqueles "doções" açucarados, espetados num talherzinho de plástico. Eu era um dependente químico daquelas coisas!
Obrigado JF! Você me deu hoje, um  presente de natal:  uma viagem pra aqueles tempo. E eu viajei!  (CLIQUE AQUI E FIQUE SABENDO PORQUE!)
Texto Tom Scaldaferri, 26/12/2017.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores






MAIS LIDAS DO MÊS