Chapecoense: Um sonho que acabou em tragédia de 76 mortos - Itiruçu Notícias
Arrow

Acesse e curta nossa FAN PAGE no Facebook




Anuncie aqui seu evento! Apoio cultural Itiruçu Notícias


Campanha


As mais visitadas


Colunistas

O Seu Direito

Êta, Lê, Lê


Utilidade Pública


CENIPA

PM

Chapecoense: Um sonho que acabou em tragédia de 76 mortos

Edição: Itiruçu Notícias - - terça-feira, 29 de novembro de 2016 - 0 Comentários


Uma grande tragédia de comoção mundial isto pode definir a quebra do avião que transportava a equipe da Chapecoense, diretores, comissão técnica do clube, jornalistas e etc.
O acidente aconteceu  na madrugada desta terça do Brasil quando a aeronave se aproximava do aeroporto José María Córdova, na cidade de Medellín, na Colômbia. A equipe seguia para Medellín, onde iria disputar amanhã (30) a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional da Colômbia.
A aeronave, da companhia boliviana LAMIA, tinha 81 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros entre membros da equipe e jornalistas, e nove membros da tripulação. 
Segundo as ultima informações  76 são o números de mortos 6 são os sobreviventes mais em estado que expirar cuidados.

Segundo lista divulgada pela Aeronáutica Civil, os seis sobreviventes são:

 Tripulantes:
- Ximena Suárez
- Erwin Tumiri

Jogadores:
- Alan Luciano Ruschel
- Jackson Ragnar Follmann
- Helio Hermito Zampier (Neto)

Jornalista
- Rafael Valmorbida

Veja, abaixo, a relação das pessoas quem estavam a bordo:

Delegação da Chapecoense

Alan Ruschel (lateral): primeiro a ser resgatado, o atleta foi levado para o Hospital de La Ceral; de acordo com o Bom Dia Brasil, o jogador chegou em estado de choque e perguntando pela família. Ruschel teve múltiplas fraturas nos braços e nas pernas e também uma lesão na coluna (região lombar). Trabalha-se com a possibilidade de que a medula tenha sido atingida. Ele passou por cirurgia

Ananias Eloi Castro Monteiro (meia): o jogador de 27 anos teve passagens pelo Bahia, Portuguesa, Cruzeiro, Palmeiras e Sport

Arthur Maia (meia): o alagoano Arthur Brasiliano Maia, de 24 anos, era jogador do Vitória emprestado à Chapecoense.

Bruno Rangel (atacante): nascido em Campos dos Goytacazes (RJ), Bruno Rangel Domingues, de 34 anos, passou por times como Paysandu e Joinville antes da Chapecoense. Maior artilheiro da história da Chapecoense, com 77 gols.

Canela (atacante): o jogador Ailton Cesar Junior Alves da Silva, o Canela, de 22 anos, nasceu em Matão (SP). Antes da Chapecoense, passou pelo Botafogo de Ribeirão Preto.

Cleber Santana (meia): o capitão do time tem 36 anos iniciou a carreira no Sport (PE) e passou por Vitória, Santos, São Paulo, Atlético Paranaense, Avaí, Flamengo, Criciúma, o japonês Kashiwa Reysol, e os espanhóis Atlético de Madrid e Mallorca. Nascido em Abreu e Lima, deixa dois filhos, um de 14, outro de 11 anos. LEIA MAIS

Marcos Danilo Padilha (goleiro): o jogador de 31 anos foi resgatado com vida e levado ao hospital San Vicente Fundación. A Cruz Vermelha informou que Marcos Danilo não resistiu aos ferimentos.

Dener Assunção Braz (lateral): jogador nascido em Bagé (RS), de 25 anos, passou por clubes como Grêmio e Veranópolis

Filipe José Machado (zagueiro): o atleta de 32 anos teve passagens por Internacional, Fluminense e clubes do exterior

Jakson Ragnar Follmann (goleiro): foi resgatado com vida e levado ao hospital San Vicente Fundación. De acordo com o Bom Dia Brasil, o goleiro reserva teve uma perna amputada

José Paiva, o Gil (volante): o jogador de 29 anos passou por clubes como Coritiba, Santo André, Vitória, Ponte Preta, Santa Cruz e Mogi Mirim

Guilherme Gimenez de Souza, o Gimenez (lateral e volante: antes da Chapecoense, passou por Goiás e Botafogo de Ribeirão Preto, onde nasceu. Tinha 21 anos e deixa mulher e uma filha de dois anos.

Everton Kempes (atacante): o jogador de 31 anos nasceu em de Carpina, na Mata Norte de Pernambuco, tem passagem pela Portuguesa, pelo Vitória, Ceará, América Mineiro, e pelos japoneses Cerezo Osaka e JEF United Ichihara Chiba.

Lucas da Silva (atacante): o jogador de 26 anos nasceu em Bragança, nordeste do Pará. Foi revelado pelo Bragantino, passou por São Raimundo-PA, Trem-AP, Castanhal-PA, Ananindeua-PA, Londrina, Sampaio Corrêa, Tuna Luso, Icasa e Fluminense.

Matheus Bitencourt, o Matheus Biteco (volante): o porto-alegrense de 21 anos era o caçula dos "irmãos Biteco" – o mais velho, Guilherme Biteco, é meia-atacante que atualmente está no Ceará. Matheus começou no Grêmio e jogou nas categorias de base da seleção brasileira.

Hélio Zampier Neto (zagueiro): foi resgatado com vida e levado ao hospital. Segundo o Globo Esporte, o jogador estava consciente, mas com muitos ferimentos, principalmente no rosto. O Bom Dia Brasil informou que o estado do jogador é grave devido a um trauma cranioencefálico

Sérgio Manoel Barbosa (volante): o jogador de27 anoshavia chegado neste ano à Chapecoense. Antes, estava no Água Santa, no interior de São Paulo. Recentemente, ele marcou seu segundo gol pelo novo clube e comemorava a nova fase após lesões sérias

William Thiego de Jesus (zagueiro): aos 30 anos

Tiago da Rocha
Josimar
Marcelo Augusto
Mateus Lucena dos Santos
Luiz Cunha
Sérgio de Jesus
Anderson Donizette
Andriano Bitencourt
Cleberson Fernando da Silva
Emersson Domenico
Eduardo Preuss
Mauro Stumpf: vice-presidente de futebol da Chapecoense
Sandro Pallaoro
Nilson Jr.
Decio Filho
Jandir Bordignon
Gilberto Thomaz
Mauro Bello: membro da diretoria do clube
Edir De Marco: membro da diretoria do clube
Daví Barela Dávi: empresário, viajava como convidado da direção do clube
Ricardo Porto: membro da diretoria do clube
Delfim Pádua Peixoto Filho: presidente da Federação Catarinense de Futebol
Caio Júnior (técnico): Luiz Carlos Saroli, conhecido como Caio Júnior, ex-jogador com passagens por Grêmio, Internacional e Paraná, dentre outros, começou a carreira de técnico em 2000. Na função, passou por clubes como Palmeiras, Flamengo, Grêmio, Bahia, Vitória e Criciúma

Anderson Martins, o Boião: preparador de goleiros
Eduardo de Castro Filho, o Duca: auxiliar técnico
Marcio Koury: médico do time

Anderson Paixão (preparador físico): com filho do ex-preparador físico Paulo Paixão, que integrou a comissão técnica do Brasil que conquistou a Copa do Mundo de 2002, Anderson tem 37 anos.

Luiz Grohs, o Pipe Grohs: analista de desempenho do time
Rafael Gobbato: fisioterapeuta da equipe

Profissionais de imprensa

Guilherme Marques, da Globo: repórter
Ari de Araújo Jr., da Globo: repórter cinematográfico
Guilherme Laars, da Globo: repórter cinematográfico
Giovane Klein Victória, da RBS: repórter da RBS TV, afiliada da TV Globo, de Florianópolis
Bruno Mauri da Silva, da RBS: técnico da RBS, afiliada da TV Globo, de Florianópolis
Djalma Araújo Neto, da RBS: cinegrafista da RBS TV, afiliada da TV Globo, de Florianópolis
André Podiacki: repórter do jornal "Diário Catarinense"
Laion Espíndola, do Globo Esporte: repórter
Victorino Chermont, da Fox: repórter dos canais Fox Sports
Rodrigo Santana Gonçalves, da Fox: repórter cinematográfico dos canais Fox Sports
Devair Paschoalon, o Deva Pascovicci, da Fox: narrador dos canais Fox Sports
Lilacio Pereira Jr., da Fox: coordenador de transmissões externas dos canais Fox Sports
Paulo Clement, da Fox: jornalista ds canais Fox Sports
Mário Sérgio, da Fox: ex-jogador e ex-técnico de futebol, atualmente era comentarista nos canais Fox Sports.
Renan Agnolin: repórter da rádio Oeste Capital, de Chapecó
Fernando Schardong
Edson Ebeliny
Gelson Galiotto: narardor da rádio Super Condá, de Chapecó
Douglas Dorneles: repórter esportivo da Rádio Chapecó
Jacir Biavatti
Ivan Agnoletto: da rádio rádio Super Condá, de Chapecó.
Rafael Henzel: jornalista da rádio Oeste Capital, de Chapecó, foi resgatado com vida e levado ao Hospital de La Ceja. De acordo com o Bom Dia Brasil, ele teve lesões vertebrais mas sua condição é estável.

Tripulação

Miguel Quiroga: piloto da aeronave
Ovar Goytia
Sisy Arias
Romel Vacaflores: assistente de voo
Ximena Suarez: auxiliar de voo foi resgatada com vida e levada à clínica Somer de Rionegro.
Alex Quispe
Gustavo Encina
Erwin Tumiri: técnico da aeronave, foi resgatado com vida e levado à clínica Somer de Rionegro.

A Historia do Clube

Da quarta divisão à elite do futebol brasileiro em apenas seis anos, a Chapecoense se tornou um símbolo de boa administração que se destacou em meio aos criticados dirigentes do futebol brasileiro, até ter sua trajetória de sucesso interrompida a um passo da glória por um acidente aéreo que dizimou o time.
Fundada em 1973 na cidade de Chapecó, no interior de Santa Catarina, e principal símbolo do município agropecuário de cerca de 200 mil habitantes,
A Chapecoense esteve à beira da falência no início dos anos 2000, mas se reergueu com o investimento de empresários da cidade e conseguiu o acesso em 2009 da Série D para a Série C do Campeonato Brasileiro.
Após três temporadas na terceira divisão, o time conseguiu o acesso em 2012 da C para a B, e logo no ano seguinte chegou à primeira divisão, tendo como filosofia a organização administrativa, salários em dia e boa infraestrutura de trabalho.
Ao contrário do que se esperava para uma equipe sem tradição, a equipe se consolidou na elite do futebol nacional e, no ano passado, chegou às quartas de final da Copa Sul-Americana.
Na atual temporada o time vivia seu auge. Além do inédito 9º lugar no Campeonato Brasileiro a uma rodada do fim, a Chapecoense derrotou os gigantes argentinos Independiente e San Lorenzo na caminhada até a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, da Colômbia, em Medellín.

Crédito: Cruz Vermelha Colombiana/Agência Brasil


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Publicidade

 photo dra rita coacutepia_zpsxcdxnsbz.png

 photo gilmarblogif_zpsi4cfgiei.gif
COMPRE AQUI

Ou pelo WhatsApp:
(11) 98109 7241

dddd

ddddddddddddddddddddddddd