Nossas redes sociais

some text  some text  some text  some text  some text  some text  some text 

"Viver como se cada instante fosse um milagre"
Arrow

Ouça Web Rádio Itirussu no seu celular ou tablet

Ouça nossa rádio em seu celular ou tablet com Android ou no iPhone e iPads

Campanha de orientação sobre Fogos de Artifício

Por: Redação Itiruçu Notícias - quinta-feira, 13 de junho de 2019 - 0 Comentários

A
 Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) em parceria com a Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM) e do Conselho Federal de Medicina (CFM), com o apoio do Ministério da Saúde e da Associação Médica Brasileira (AMB), lançam campanha para alertar sobre os riscos de acidentes e queimaduras durante as festas de junho e julho

Uma em cada 10 pessoas tem um de seus membros superiores amputados ao manusear fogos de artifício. E dos cerca de 120 mortos nos últimos anos, mais de 24 eram crianças com menos de 14 anos de idade. Com base nesses e em outros dados alarmantes, é que 6 de junho foi instituído como o Dia Nacional da Luta contra Queimaduras pela Lei de número 12.026 de 2009.

Atenta à importância desta causa, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) lança uma campanha em todos os seus canais de comunicação para conscientizar a população sobre como prevenir os altos índices de traumas e queimaduras durante as festas juninas e julinas. A campanha é feita em parceria com a Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM) e Conselho Federal de Medicina (CFM) e conta com o apoio do Ministério da Saúde e Associação Médica Brasileira (AMB).

"Em respeito à cultura da queima de fogos de artifícios no Brasil, nosso objetivo não é condenar, mas sim orientar e conscientizar sobre a uso e manuseio corretos dos explosivos pelos adultos, e bombinhas e estalinhos pelas crianças. Afinal, as festas de São João são sinônimo de diversão e alegria para toda família", reconhece o presidente da Comissão de Campanhas Públicas da SBOT, Sandro Reginaldo.

O presidente da SBOT, Moisés Cohen, compartilha da mesma opinião e acrescenta que os principais problemas envolvendo fogos são a perda dos dedos e até da mão devido à explosão antecipada do artefato. Segundo o Sistema de Informação Hospitalar (SIM), nos últimos dez anos 5.063 pessoas foram internadas para tratamento por acidentes com fogos de artifício. Os homens representam a absoluta maioria dos registros: 4.245 internações, número que representa 83% do total de casos. As mulheres representaram apenas 17% das ocorrências, com 853 internações.

"A maior faixa etária dos acidentados atendidos pelos ortopedistas é de pessoas com 19 a 59 anos, seguida por maiores de 60 anos e, em terceiro lugar, menores de 18. Fazendo um recorte regional, o interior e o Nordeste são as regiões mais afetadas, sendo que a Bahia possui o maior número de casos, seguida por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraíba, Paraná, Ceará, Goiás, Santa Catarina e, em décimo lugar, o Pará", lista o doutor Moisés Cohen.

Para se divertir com segurança, a SBOT recomenda:
- Participar de queimas de fogos públicas, pois são mais seguras;
- Só comprar o produto em lojas especializadas e certificadas;
- Escolher versões menos explosivas, de fácil manuseio, dentro do prazo de validade e com certificado de garantia;
- Optar por fogos que têm base de encaixe para ser fixada no chão;
- Fazer a soltura ao ar livre, a 30 metros de distância, e verificar se não existem substâncias inflamáveis nem rede elétrica nas proximidades;
- Jamais fazer experiências ou modificar os explosivos;
- Orientar as crianças a estourar as bombinhas e os estalinhos longe da fogueira, de substâncias inflamáveis, de pessoas e de objetos, que podem quebrar e se estilhaçar, caso de garrafas de vidro e latas de refrigerante;
- Não carregar os artefatos nos bolsos, já que eles podem explodir acidentalmente;
- Em caso de amputações, colocar o membro em um saco plástico e, depois, dentro de um recipiente com gelo e levar o acidentado imediatamente ao pronto-socorro.

O que fazer em caso de acidente?
- Acione o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193 ou o SAMU de sua cidade pelo 192;
- Lave queimaduras com água fria ou soro fisiológico e envolva com um pano úmido;
- Em caso de amputações, colocar o membro em um saco plástico dentro de um recipiente com gelo e levar o paciente para o pronto-socorro.

Tipos de queimaduras
Existem três tipos de queimadura, classificados de acordo com a causa. Queimaduras térmicas são aquelas provocadas por fontes de calor como o fogo, líquidos ferventes, vapores, objetos quentes e excesso de exposição ao sol. Já as químicas são provocadas por substância química em contato com a pele ou mesmo por meio das roupas. As queimaduras por eletricidade são provocadas por descargas elétricas.

Essas lesões também são classificadas segundo a profundidade. Aquelas de 1º grau atingem apenas as camadas superficiais da pele. Os sintomas são vermelhidão, inchaço e dor local suportável, sem formação de bolhas.
As de 2º grau são mais graves e atingem as camadas mais profundas da pele. Apresentam bolhas, pele avermelhada, manchada ou com coloração variável, dor, inchaço, desprendimento de camadas da pele e possível estado de choque.

O tipo mais grave são as queimaduras de 3º grau, que atingem todas as camadas da pele e podem chegar aos ossos. Apresentam pouca ou nenhuma dor e a pele branca ou carbonizada.
Para falar mais sobre o assunto sugiro médicos ortopedistas titulares da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) em todo o Brasil.

Fontes: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT): campanhas.portalsbot.org.br/fogos-de-artificio/ 
Departamento de Informática do SUS (DATASUS): datasus.saude.gov.br


Não se esqueça de ler isso também ...

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Web Rádio do Blog Itiruçu Notícias com transmissão utilizando a tecnologia streaming. Web Rádio Itirussu, conectada com você!
   
Baixe aqui app Web Rádio Itirussu


ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS


PUBLICIDADE