Arrow

PRESSIONE o botão PLAY para reproduzir a rádio, caso não toque automaticamente. Estamos em fase de testes...




Itiruçu: Ministerio publico é acionado contra a Embasa

Por: Redação Itiruçu Notícias - quinta-feira, 8 de novembro de 2018 - 0 Comentários

Consumidores espera que Ministério Publico defenda a população contra o mal serviço da Embasa.


EMBASA

Moradores de Itiruçu entraram nesta quarta-feira (07) com uma representação contra a Empresa Baiana de Abastecimento e Recurso Hídricos (EMBASA), no Ministério Publico.
Segundo os consumidores a Embasa vem interrompendo por longos períodos o abastecimento de agua no município onde afeta os consumidores e infringindo contrato de adesão de prestação dos serviços de abastecimento de água.
A representação pede a anulação das cobranças dois últimos dois meses de setembro e outubro de 2018 e vindouros caso os problemas persista,  ou devolução em dobro dos valores pagos à título de tarifas, bem como danos morais ante ao desabastecimento. Que a empresa cobre nas contas de água apenas pelo valor consumido e, no caso daqueles que pagam a tarifa mínima, que a cobrança seja feita pelos dias em que a água foi fornecida.
Ainda que, em caso de falta de água por período superior a 24h, a Embasa promova o abastecimento através de carros-pipa para as localidades atingidas e informe, através de rádio, , sites, blog e jornal, aos consumidores sobre a data em que se dará a suspensão ou interrupção do fornecimento da água, indicando ainda quanto tempo será necessário para o reparo técnico.
A demanda em questão também não busca discutir se a cobrança de tarifa mínima é devida ou não pela empresa como é constantemente visto mas sim questionar a cobrança pelo serviço em período em que não houve a sua efetiva prestação de serviços pela empresa, Além dos danos materiais já citados, solicitamos o pagamento de indenização  por danos morais tendo em vista prática abusiva praticada pela empresa, diante a ausência de prestação de serviço, qual seja, fornecimento de água para o consumo da população e os problemas advindo de tal situação.
O Código de Defesa do Consumidor define ainda que os serviços de saneamento básico como é o caso da água como um bem essencial à vida humana, que deve ter fornecimento adequado e contínuo, além da garantia da efetiva reparação pelos danos causados pela falta do serviço. Agora os moradores aguarda um posicionamento do ministério publico.


Não se esqueça de ler isso também ...

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE



 Gilnar