Delação da JBS pode ser anulada, afirma Rodrigo Janot - Itiruçu Notícias
Arrow
Exerça sua cidadania



Passeio Cicloturismo de Itiruçu



EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)
O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : Eleições em Itiruçu

Eleições  serão realizada neste domingo dia 07 de outubro.  Se a mesma empolgação dos eleitores para as eleições do próximo domingo...


MAIS LIDAS DO MÊS


Delação da JBS pode ser anulada, afirma Rodrigo Janot

Por: Redação Itiruçu Notícias - segunda-feira, 4 de setembro de 2017 - 0 Comentários


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse no início da noite desta segunda-feira que o acordo de colaboração premiada firmado pelo Ministério Público Federal com a JBS pode ser anulado caso sejam comprovadas irregularidades por parte dos executivos do grupo empresarial. “O MPF atuou na mais absoluta boa fé para a celebração deste acordo. Se ficar provada qualquer ilicitude, o acordo de colaboração premiada será rescindido. Poderá chegar até a decisão”, disse.
Segundo ele, novos áudios contendo diálogos entre dois membros da JBS que assinaram acordo de colaboração premiada trazem suspeitas de ilegalidades cometidas pelo o ex-procurador Marcelo Miller, que atuou diretamente no gabinete da Procuradoria-Geral da República, antes de pedir demissão e passar a atuar em um escritório de advocacia que prestou serviços para o grupo empresarial. As citações contidas no áudio também podem implicar funcionários que ainda trabalham para a PGR e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), segundo as declarações de Janot.
De acordo com ele, apesar da gravidade dos fatos contidos no áudio, as provas obtidas por meio da delação premiada não serão invalidadas. “A eventual rescisão do acordo não invalida, repito, não invalida, as provas até então oferecidas. Conforme a lei que disciplina a colaboração premiada, se a culpa do colaborador ensejar a rescisão do acordo, ele perde todos ou alguns benefícios. E o estado aproveita todas as provas apresentadas pelos colaboradores”, disse.
Para ele, a eventual anulação do acordo da JBS não desqualificará o instituto.” É indicativo de que os controles funcionam, que não se pode ludibriar o Ministério Público. É uma prova de que o instituto existe de forma forte. Ninguém prevalece acima da lei”, disse.
Foto Reprodução


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação