Funcionários públicos municipais têm direito a FGTS - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Assaltantes levam moto na zona Rural de Itiruçu

Uma moto Honda Bros, cor vermelha e placa NZU-2191 de Itiruçu, foi tomada de assalto por dois elementos armados na região do Assentamento...

Histórias que o Povo Conta

A história que o povo conta; O Retratista

Paulo Borges de Oliveira, natural de Castro Alves – BA, nascido em 18/11/1918, chegou em Itiruçu –BA, em 1950, foi comerciante juntamente com seu irmão Otávio (já falecido), na antiga rua da Lancha, hoje Moisés Almeida, mas, anos depois dedicou – se inteiramente a profissão de fotógrafo.
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

A Ganância e a Discórdia a felicidade dos invejosos

Aquele que semeia a discórdia é terrível. Não gosta de ver a paz reinar em canto algum, parece que se agonia com isso.

Qual o objetivo das pessoas que agem desta forma? Será que essa atitude provoca prazer em determinadas pessoas? Ou seria o ego de pessoas invejosas que se sentem felizes provocando infelicidades.

Fazendo minhas análises sobre certas atitudes humanas percebi que pessoas infelizes são as que mais disseminam discórdias e a maior delas sempre está relacionada com algum tipo de fofoca raivosa.

Aquela que numa simples palavra já se percebe o rancor interior de quem fez. E se estivermos perto de quem fez a fofoca raivosa nota-se no semblante da pessoa um certo alívio pela maldade que provocou ou até um sorriso nos lábios achando-se vitorioso...CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Funcionários públicos municipais têm direito a FGTS

Por: Redação Itiruçu Notícias - quarta-feira, 31 de maio de 2017 - 0 Comentários


Por todo o Brasil, muitos funcionários públicos municipais, admitidos sem concurso público antes de 1988, têm direito ao recebimento de valores referentes ao FGTS, porém, os municípios empregadores jamais lhes esclareceram esse fato e, tampouco, realizaram o pagamento dos valores devidos.
Esses funcionários públicos que ingressaram no quadro de pessoal dos municípios, sem prévia aprovação em concurso público, após a promulgação da Constituição Federal de 1988 foram efetivados como empregados públicos municipais, o que significa dizer que o vínculo jurídico existente entre esses funcionários e os municípios é regido pelas regras “celetistas” (CLT), tratando-se, assim, de típica relação de emprego, o que lhes assegura o direito ao recebimento dos valores acumulados a título de FGTS.
Ocorre que, infelizmente, diversos municípios empregadores, na tentativa de burlar os direitos desses trabalhadores, editaram leis municipais, estabelecendo a instituição de regime jurídico único e estatutário para o seu quadro de pessoal. Todavia, é importante explicar que tais leis não tiveram, e não têm o poder de transformar automática e unilateralmente a situação jurídica de quem até então era celetista (que tem direito a FGTS!) em estatutários (que não têm direito a FGTS).
Dessa maneira, a alteração do vínculo jurídico de celetista para estatutário apenas seria considerada válida se o consentimento do funcionário para tal tivesse sido obtido, e de forma expressa. Além disso, para que se modificasse o vínculo teria sido indispensável que o município empregador pagasse, à época, todos os valores de FGTS conquistados pelo trabalhador. E nestes casos, adverte-se ainda, meras anotações na CTPS de suposta alteração do Regime Jurídico em nada atinge o direito do trabalhador.
Por ser de interesse público, registra-se aqui que informações oriundas da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, relativas ao ano de 2016, apontam que, em todo o Brasil, mais de 198 mil empregadores Pessoas Jurídicas não depositaram corretamente os valores do FGTS de aproximadamente 7 milhões de trabalhadores!
Mas, especificamente no caso dos funcionários municipais em questão, o que fazer se o o município empregador não realizou os depósitos ou o pagamento do FGTS?
O funcionário deverá ingressar com uma Reclamação trabalhista perante a Justiça do Trabalho, pleiteando no Juízo o reconhecimento e declaração do vínculo jurídico celetista existente, para que, consequentemente, o município empregador seja condenado ao pagamento dos valores referentes ao FGTS de todo o período laborado. Façam valer os seus direitos. Afinal, a Justiça é para todos!


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores