Marcha fúnebre denuncia assassinato de mulheres - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Casa da Cultura treme enquanto se realizava reunião

Reunião é transferida ao perceber que Casa da Cultura em Itiruçu começou a tremer.  Na manhã desta sexta-feira(22) por volta das 9h...


Espaço publicitário


EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)

O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Marcha fúnebre denuncia assassinato de mulheres

Por: Itiruçu Notícias - segunda-feira, 21 de março de 2016 - 0 Comentários



 “ Tem Mulher desfigurada no IML! A marcha fúnebre prossegue!” com essa palavra de ordem as mulheres feministas do município de Simões Filho, localizado a 30 Km da capital baiana, realizaram na tarde de ontem(19), marcha em defesa da vida das mulheres, organizada pelo Setorial Nacional do PSOL, com apoio dos Grupos Roseira do Morro, Juventude Organizada e Pétalas de Rosa. O objetivo do ato político foi denunciar os elevados índices de mulheres assassinadas por armas de fogos e envenenamento provocados pelos maridos das vítimas.
 Simões Filho, segundo dados da Secretaria de Políticas das Mulheres, do Governo do Estado, encontra-se na quinta posição das cidades que possuem  maior  quantidade de casos de feminícidio na Bahia.  A Ouvidora-Geral do Estado, a socióloga Vilma Reis, participou da atividade e destacou  a importância das mulheres irem à Defensoria Pública  registrar situações de assédio moral, agressão doméstica e violência sexual.
“ Nossas mães e avós já enfrentaram o racismo e o machismo. Aprendi com a liderança Lélia Gonzalez e com o movimento negro que a mulher tem que lutar contra essa sociedade machista, racista e homofóbica. Simões Filho é um município rico mas a situação da população ainda continua muito precária”, ressaltou a Ouvidora.

O Presidente Estadual do PSOL na Bahia, Ronaldo Santos, frisou sobre a importância do Partido Socialismo e Liberdade promover ações coletivas, em praças públicas, com o intuito de chamar atenção da sociedade e dos poderes públicos à situação de violência contra as mulheres e os inúmeros casos  de homicídios originados pela cultura machista. “ O partido está disposto a contribuir com as intervenções políticas que visem denunciar a opressão e o sexismo no Brasil. As mulheres quando se unem formam um verdadeiro exército de combate à exploração e  à  violência”, pontuou Santos. 

As militantes feministas ressaltaram que as três principais reivindicações defendidas durante a marcha são: a criação de uma Delegacia Especializada de Apoio à Mulher (DEAM), Casas de Apoio e a efetivação da Lei Maria da Penha. “ Muitas mulheres quando são violentadas pelo companheiros acabam não registrando a queixa na delegacia porque dependem da residência dos maridos para morar. A Casa de Apoio vai servir como um local para abrigar e acolher as vítimas de agressão”, explica a liderança Cleide Coutinho, da Secretaria de Direitos Humanos do PSOL. 
Dandara Cruz, integrante do Diretório do PSOL de Simões Filho, lembrou que a ideia do Projeto “ Marcha Fúnebre”  surgiu da necessidade de conscientizar a população da cidade sobre o elevado feminicídio e a carência de políticas públicas destinadas às mulheres. 
ASCOM PSOL BA 


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação