Notícias do Vale

Notícias da Bahia

Noticias do Brasil

Opinião & Notícias

Assista aos nossos principais vídeos

Pisa: Brasil mantém estabilidade em matemática, leitura e ciências
O Brasil manteve-se estável nas pontuações em matemática, leitura e ciências no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa). No entanto, menos de 50% dos alunos conseguiram nível mínimo de aprendizado em matemática e ciências.  

Em 2022, o país alcançou 379 pontos em matemática, 410 em leitura e 403 em ciências, conforme resultados divulgados nesta terça-feira (5) pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Já em 2018, ano anterior avaliado, o desempenho foi 384 pontos em matemática, 413 em leitura e 404 em ciências.

“Os resultados médios de 2022 foram praticamente os mesmos de 2018 em matemática, leitura e ciências. Os resultados do Pisa têm-se mantido notavelmente estáveis ​​durante um longo período: depois de 2009, nas três disciplinas, apenas foram observadas flutuações pequenas e, em sua maioria, não significativas”, diz o relatório sobre o desempenho dos estudantes brasileiros.  

Aplicado a cada três anos, o Pisa avalia os conhecimentos dos estudantes de 15 anos de idade nas três disciplinas. No total, 690 mil estudantes de 81 países fizeram os testes. No Brasil, 10.798 alunos de 599 escolas passaram pela avaliação. Na edição de 2022, o foco foi em matemática.

Com os resultados de 2022, o Brasil continua no grupo abaixo da média dos países da OCDE nas três disciplinas: 472 pontos em matemática, 476 em leitura e 485 em ciências.

Cada 20 pontos equivalem a um ano escolar. Em ciências, por exemplo, o Brasil está com pelo menos quatro anos de atraso em relação aos membros da OCDE.

No ranking, ficou no 64º lugar entre as notas em matemática, 53º em leitura e 61º em ciências, atrás de outros latino-americanos, como o Chile, Uruguai, México e a Costa Rica.  
Matemática

De acordo com o levantamento, 27% dos alunos brasileiros alcançaram o nível 2 de proficiência em matemática, considerado o patamar mínimo de aprendizado, enquanto que a média dos países da OCDE na disciplina é 69%.  

Apenas 1% dos estudantes no país conseguiram os níveis 5 ou 6, considerados os mais altos, quando os alunos resolvem problemas complexos, comparam e avaliam estratégias. A média da OCDE é 9%.   

Dos 81 países e economias participantes do Pisa 2022, somente em 16 mais de 10% dos alunos atingiram o nível 5 ou 6.
Leitura e Ciências

Quanto à leitura, metade dos estudantes no Brasil obtiveram o nível 2 ou mais. Apesar de melhor desempenho, o percentual ainda fica abaixo da média da OCDE, 74%.  Nos patamares 5 e 6, o percentual foi de apenas 2%.

Em ciências, cerca de 45% dos alunos chegaram ao nível 2, contra 76% da média da OCDE. Os estudantes com melhor desempenho somaram apenas 1%.
Cenário global e pandemia

Em comparação ao Pisa de 2018, o desempenho médio nos países da OCDE caiu dez pontos em leitura e quase 15 pontos em matemática. Em ciências, a média ficou estável.  

Conforme o relatório, estima-se que aproximadamente 25% dos jovens de 15 anos nos países membros da OCDE, ou seja 16 milhões, não atingiram o nível 2, ou seja, têm dificuldade em fazer cálculos com algoritmos básicos ou interpretar textos simples.

Em nações como a Alemanha, Islândia, os Países Baixos, a Noruega e Polônia, as notas em matemática caíram 25 pontos ou mais entre 2018 e 2022.  

“Embora seja evidente que alguns países e economias têm desempenho muito bom na educação, o quadro geral é mais preocupante. Em mais de duas décadas de testes globais do Pisa, a pontuação média não mudou drasticamente entre avaliações consecutivas. Mas este ciclo viu uma queda sem precedentes no desempenho”, diz o relatório.

De acordo com o levantamento, a pandemia de covid-19 causou impacto na educação dos jovens nesse período – com fechamento de escolas e adoção de aulas online -  porém não pode ser apontada como única causa para o desempenho inferior nos países.

O relatório diz não ter identificado “diferença clara” nas notas de 2022 em razão do fechamento de escolas por mais ou menos de três meses na pandemia.   

“A pandemia da covid-19 parece um fator óbvio que pode ter impactado os resultados nesse período. Na leitura, por exemplo, muitos países como a Finlândia, Islândia, os Países Baixos, a República Eslovaca e Suécia registraram estudantes com notas mais baixas durante algum tempo – em alguns casos durante uma década ou mais. As trajetórias educacionais foram bem negativas antes da pandemia chegar. Isso indica que as questões de longo prazo nos sistemas educativos também são culpadas pela queda no desempenho. Não se trata apenas de covid”.

Singapura liderou em matemática (575 pontos), em leitura (543 pontos) e em ciências (561 pontos), o que equivale que os estudantes têm de três a cinco anos de escolaridade a mais em comparação aos demais alunos dos países com a média da OCDE.  

Em apenas quatro locais, houve melhora nas três disciplinas entre as avaliações de 2018 e 2022: Brunei Darussalam, Camboja, República Dominicana e Taipé chinês.

86% das questões do Enem criticado pela direita foram feitas no governo Bolsonaro
De todas as questões que caíram no primeiro dia do Enem 2023, no último domingo (5), 86% foram elaboradas durante o governo Jair Bolsonaro (PL). Os dados foram apresentados pelo presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), Manuel Palácios, nesta quarta (8) na Câmara dos Deputados. 

Palácios foi chamado à comissão de educação da casa para falar sobre o exame, alvo de ataques de políticos de direita e da bancada ruralista. Essa é a primeira edição do Enem sob este mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A prova continua no próximo domingo (12).

De acordo com as informações apresentadas na Câmara, 82 questões das 95 que compuseram o primeiro dia de prova foram elaboradas entre 2019 e 2021, que compreende o governo Bolsonaro.

Na prova de linguagens, 43 das 45 foram feitas nesse período. Já na de ciências humanas, que causou maior polêmica, 39 dos 50 itens são relativos a produções entre 2019 e 2021 -os estudantes só fazem 45 questões também nessa prova, mas aparecem 50 porque ele escolhe entre as cinco perguntas de inglês ou espanhol no momento da inscrição.

No caso do Enem 2023, as duas questões criticadas trazem trechos adaptados de artigos científicos. Ambas pedem que o participante interprete o que os autores quiseram transmitir.

Na questão sobre o cerrado, a 89 da prova branca, o texto do enunciado aborda a territorialização do agronegócio e diz que sua lógica tem se sobreposto aos conhecimentos dos camponeses.

O trecho diz que "o modelo capitalista subordina homens e mulheres à lógica do mercado" e que há outros fatores negativos, como a "mecanização pesada" a "violência simbólica, a superexploração, as chuvas de veneno e a violência contra a pessoa".

A prova pede que os participantes interpretem o que está escrito e apontem o que o "os elementos descritos no texto, a respeito da territorialização da produção", demonstram.

O gabarito oficial não foi divulgado, mas de acordo com correção extraoficial publicada pela Folha de S.Paulo, a alternativa correta seria: "Cerco aos camponeses, inviabilizando a manutenção das condições de vida".

Já no item que trata da Amazônia, o 70 da mesma prova, o excerto indica que "é evidente que o crescimento do desmatamento tem a ver" com a "expansão da soja", mas também afirma que a "lógica que gera o desmatamento está articulada pelo tripé grileiros, madeireiros e pecuaristas".

O enunciado pede que o participante indique qual alternativa, "na visão do autor", explica o que desencadeia "o problema central da situação descrita". Segundo o gabarito extraoficial, a alternativa correta seria: "a apropriação de áreas devolutas".

Partiu Estágio: convocados têm até a próxima sexta-feira (20) para se apresentar aos órgãos públicos
s universitários convocados para o Programa Partiu Estágio têm até sexta-feira, 20 de outubro, para entrar em contato com o órgão público ao qual foram selecionados, e receber as orientações a respeito da sua apresentação e sobre a documentação necessária. Aqueles que não se apresentarem dentro do período indicado poderão perder o direito à vaga.

Os aprovados devem entrar em contato com a Unidade de Recursos Humanos do órgão em que foram selecionados para obter mais informações a respeito da sua apresentação. Em caso de dúvida, é possível contatar a coordenação do programa pelo e-mail: partiuestagio@saeb.ba.gov.br ou pelo telefone: (71) 3115-1714.

A lista completa dos estudantes convocados pode ser consultada no site institucional da Secretaria da Administração (Saeb), no endereço www.saeb.ba.gov.br. Os convocados também foram notificados por ligação telefônica e via SMS, com as informações básicas para sua apresentação.

Esta é a quarta convocação do Edital 001/2023 e vai compreender 576 estudantes universitários, pertencentes a 76 cursos diferentes. Os destaques são para as áreas de Direito, Administração e Pedagogia, com 131, 68 e 62 convocados, respectivamente.

Dentre os 576 universitários desta convocação, 404 são para Salvador e 172 para o interior do Estado. Um total de 48 órgãos estaduais foi contemplado nesta convocação.  

A Secretaria da Educação (SEC) é o órgão que oferece o maior número de oportunidades (176), seguido pela Secretaria da Saúde (52) e Embasa (44). Só este ano, o programa chegou a mais de cinco mil estudantes convocados. Desde que foi lançado, em 2017, já são mais de 50 mil convocações.

Partiu Estágio - Os estudantes terão direito a bolsa-estágio, auxílio transporte e 30 dias de recesso remunerado, proporcionais. A carga horária é composta de quatro horas diárias de atividades supervisionadas, chegando a 20 horas semanais. A duração do estágio é de um ano, sem possibilidade de prorrogação, exceto para pessoas com deficiência, que poderão estagiar até o término do curso.

Lançado em 2017, o programa é uma iniciativa do governo baiano para garantir oportunidades de aprendizado a universitários de instituições com sede na Bahia, já tendo contratado 15.261 estudantes para atuação em órgãos e entidades da administração estadual. 

Foto: Carol Garcia/GOVBA

Brasil imprime 324 milhões de livros, mas apenas metade da população lê, mostram pesquisas - Itiruçu Notícias
O mercado editorial brasileiro imprimiu 324 milhões de livros no ano passado e editou 46 mil títulos. Do total editado, 24% são títulos novos, o que representa 16% das unidades impressas. O restante refere-se a reimpressão de títulos já lançados. Os dados são do relatório Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro - Ano Base 2022, da Nielsen e Book Data. Por outro lado, a mais recente pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, em sua quinta edição, revela que apenas metade dos brasileiros são considerados leitores, 52%, enquanto 48% declararam que não leram nenhum livro em três meses.
 
De acordo com a pesquisa, em quatro anos o Brasil perdeu ao menos 4,6 milhões de leitores. O levantamento aponta alguns motivos que justificam essa redução, como uso da internet e redes sociais, falta de recursos financeiros e até dificuldade de leitura. Entre os entrevistados na pesquisa, 4% disseram que não sabem ler, 19% comentaram que leem devagar, 13% alegaram falta de concentração e 9% explicaram que não entendem a maior parte do que leem. Apesar das dificuldades, o estudo confirma que o incentivo é fundamental para criar novos leitores, 34% dos entrevistados contaram que foram estimulados a gostar de ler.

Para incentivar o interesse pela leitura e pela escrita, o Petit Kids Cultural Center criou um projeto inédito e inovador, em parceria com a Estante Mágica, que envolve crianças de 3 a 6 anos no saudável universo literário, transformando-as em autores. Os pequenos vão produzir seus próprios livros, que serão publicados e lançados no fim do ano, com mesa de autógrafos, participação das famílias e educadores. A pedagoga e especialista em educação infantil, Fernanda King, diretora da escola, explicou que a atividade será realizada ao longo deste semestre. Ela comentou que a Petit Kids tem cerca de 70 crianças nessa faixa etária.

“A leitura e escrita, mais do que nunca, são nossas maiores aliadas para o desenvolvimento das crianças. É a partir desse conhecimento que tantos outros se tornam possíveis. Por acreditar que esse é o caminho para estimular diversas habilidades importantes, nossa escola vai transformar a criança em autora de um livro de verdade, em parceria com a Estante Mágica”, afirma Fernanda. Ela comenta que os livros terão como tema os animais, abordando desde a variedade da fauna até a importância de respeitar os bichos.

As crianças vão escrever e ilustrar os próprios livros durante as aulas, e os desenhos serão transformados em um game personalizado. Fernanda aponta que a iniciativa busca engajar os alunos com aprendizado, além do tradicional, desenvolvendo competências socioemocionais como criatividade, autonomia e protagonismo infantil. De acordo com ela, o projeto contribui no processo de alfabetização, para que os pequenos tenham uma melhor compreensão das palavras.

Embora as crianças nessa faixa etária ainda não escrevam, elas se comunicam e vão falar sobre o conteúdo do livro. A diretora do Petit Kids explicou que a escola vai usar um programa de computador para transcrever o texto e produzir o conteúdo online. “Queremos fazer com que essas crianças tenham vontade de ser alfabetizadas, tenham vontade de ler, de ser mais cultas. O Brasil é um dos países em que a população lê menos. Temos que mudar esse cenário. Quanto mais cedo, melhor”, comenta.

A iniciativa representa avanço em um país no qual o analfabetismo funcional ainda é um grande desafio. O mais recente Indicador de Alfabetismo Funcional mostra que 30% dos brasileiros de 15 a 64 anos são analfabetos funcionais, aprenderam a ler, mas têm dificuldades para interpretar textos simples. “Estimular o interesse pela leitura é fundamental e quando esse estímulo tem início na primeira infância, o resultado é muito mais efetivo. A leitura representa aprendizado, conhecimento, desenvolvimento de habilidades e competências. Bons leitores, e autores, constroem um mundo melhor”, diz Fernanda.

Governo convoca 865 universitários para o Partiu Estágio - Itiruçu Notícias
O governo baiano convoca, nesta quarta-feira (16), 865 universitários para o Partiu Estágio, selecionados por meio do Edital de abertura de inscrições número 001/2023. O programa chegou a 5.962 estudantes convocados apenas este ano. Desde que foi lançado já são 51.269 convocados.

A lista dos convocados está disponível para consultada no site institucional da Secretaria da Administração (www.saeb.ba.gov.br). Os estudantes convocados deverão entrar em contato, por telefone ou e-mail, com a unidade de Recursos Humanos do órgão para o qual foi designado, no período entre 24 de agosto e 06 de setembro deste ano.

Os estudantes convocados também recebem notificação via SMS e ligação telefônica. Em caso de dúvidas, é possível ainda manter contato com a coordenação do programa pelo e-mail partiuestagio@saeb.ba.gov.br e pelo telefone (71) 3115-1714.  

Os estudantes terão direito a bolsa-estágio, auxílio transporte e 30 dias de recesso remunerado, proporcionais.  A duração do estágio é de um ano, sem possibilidade de prorrogação, exceto para pessoas com deficiência, que poderão estagiar até o término do curso.   

Convocação – A convocação desta quarta (16) é a terceira do Edital 01/2023, chegando ao número de 5.962 estudantes convocados este ano. Dentre o total 865 universitários desta convocação, 621 são para Salvador e 244 para o interior do Estado. Um total de 53 órgãos estaduais será contemplado com essa convocação. A Secretaria da Educação (SEC) é o órgão que oferece o maior número de oportunidades (288), seguido pela Secretaria da Saúde (86) e Embasa (52).   

Esse novo chamamento do Partiu Estágio contempla estudantes de 88 cursos diferentes, com destaque para as áreas de administração (186 convocações); direito (144 convocações) e pedagogia (76 convocações). Os convocados devem acessar o site da Secretaria para conferir a relação de documentos solicitados. 

Inscrições abertas para cursar Medicina, na Bahia
A Unime Lauro de Freitas e a Faculdade Pitágoras de Medicina de Eunápolis estão com inscrições abertas, até 12 de junho, para o processo seletivo com notas do Exame Nacional do Ensino Médio- Enem, voltadas aos candidatos que desejam cursar Medicina. Poderão ser utilizados os resultados obtidos no Enem dos anos de 2018, 2019, 2020, 2021 e 2022.

Também estão abertas as inscrições para quem deseja ingressar na Unime, por meio de Transferência Externa; ou na Pitágoras Eunápolis, via Transferência Externa e Portador de Diploma. Nessas modalidades, o prazo de inscrição se encerra em 11 de junho.
 
Em casos de Transferência Externa, podem participar candidatos que estejam regularmente matriculados exclusivamente em cursos de Medicina, localizados no território nacional e devidamente autorizados e reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC). Para Portador de Diploma, as regras acima permanecem, alterando apenas a abrangência de cursos, já que outras opções da área da saúde são aceitas, como: Biologia, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia e Psicologia.
 
A confirmação de que o candidato está apto a participar do processo, com base nos requisitos apontados no edital, no site da Strix, se dará com a apresentação do Histórico Escolar, no ato da matrícula.

Em ambos os processos, o valor da taxa é de R$150 e o ingresso no curso de Medicina, para os aprovados, será no segundo semestre de 2023.

Ingresso ao curso de Medicina
Notas do Enem- Unime: Edital | Inscrições
Transferência Externa- Unime: Edital | Inscrições
Notas do Enem- Pitágoras de Medicina de Eunápolis: Edital | Inscrições
Transferência Externa e Portador de Diploma- Pitágoras de Medicina de Eunápolis: Edital | Inscrições

Prefeitura de Itiruçu realiza eleição para Diretores das escolas da rede municipal
A prefeitura de Itiruçu, por meio da Secretaria  Municipal de Educação, priorizando a gestão democrática inicia o processo eleitoral para Diretor e Vice-diretor nas Unidades Escolares do municipio.

O Colégio Eleitoral será constituído: pelos Diretores, Vice-diretores, Coordenadores  pelos servidores efetivos na unidade escolar; pelo pai ou mãe do estudante regularmente matriculado e com frequência escolar, ou, na falta destes, por responsável legal pelo estudante, desde que documentalmente comprovado, cujo nome deverá constar na lista de votantes; e  por estudantes regularmente matriculados nas escolas, com frequência comprovada até o mês anterior ao da eleição, e que tenham, no mínimo, 14 (quatorze) anos completos de idade, completados até o dia anterior ao da eleição, independentemente da modalidade que estejam cursando

Não terão direito a voto:  professores e demais servidores em regime de contrato temporário; aqueles que estiverem em gozo de licença não remunerada; aqueles que estiverem afastados pela previdência social; aqueles que estiverem afastados por licença mestrado, doutorado, mandato classista e eletivo.

Com as eleições para Diretor e Vice-diretor nas Unidades Escolares do municipio., a gestão municipal comandada pela  Prefeita Lorenna dá uma grande contribuição para evitar negociatas para apoio político principalmente em ano de eleição em troca do cargo.  A iniciativa  barra  um dos caminhos ilícitos ou imoral para conquistar o voto .

O interessado em se candidatar para a função de diretor e vice-diretor deverá preencher os critérios exigidos nos termos Edital conforme link abaixo.

ACESSAR INTEGRA DO EDITAL

  📷 Reprodução | Redes Sociais

OUÇAWEB RÁDIO ITIRUSSU

Notícias de Itiruçu

Ocorrência Policial

Notícias do Esporte

Anúncios




Redes Sociais

Outras redes Sociais:

Instragam

Twitter