Juiz explica comemoração como se tivesse feito gol: 'Aplicamos justiça' - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Plantão Escolar de matriculas vão até dia 08/02

A secretaria de Educação  do município de Itiruçu está realizado o esquema de plantão escolar matriculas em toda rede municipal de ens...


EDITORIAL

Refletindo: Histórias da politica de Itiruçu: O Otimista

Essa quem contava era o saudoso amigo Aguinaldo Pires (Gal Pires), ex- vereador e ex-presidente da câmara de Itiruçu, grande contador de causo, que morreu há três anos em um trágico acidente na BR-116 nas imediações de Itatim – BA.
1962, ano de eleição, em Itiruçu a disputa foi entre Valdeck Almeida (UDN), candidato do ex- prefeito Zé Bonfim e Josias Duarte (PSD), apoiado por Vivaldo Bastos e pelo ex-prefeito Geir Magalhães, tinha o povoado do Upabuçu como seu reduto eleitoral. Em um comício em Upabuçu, Josias percebeu certo desânimo no eleitorado, a incerteza da vitória era flagrante.
CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Juiz explica comemoração como se tivesse feito gol: 'Aplicamos justiça'

Por: Redação Itiruçu Notícias - terça-feira, 25 de julho de 2017 - 0 Comentários


Assim que apitou o término da partida, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro cerrou os punhos ao ar, fez duas vezes o sinal da cruz e voltou a vibrar depois que encontrou os integrantes do trio de arbitragem, Guilherme Dias Camilo e Pablo Almeida da Costa.
Em contato com a reportagem, o juiz da federação mineira explicou as razões que o motivaram a fazer o gesto.
"Nossa atividade exige muita concentração, frieza e dedicação. Há momentos nos quais precisamos externar nossos sentimentos. Na noite de ontem, após o apito final, vibrei com meus companheiros de arbitragem pelo bom trabalho que executamos. Poucas pessoas sabem das dificuldades que enfrentamos durante uma partida. A sensação do dever cumprido foi traduzida num gesto de força, que representa nosso mais sincero sentimento de legitimar o resultado do jogo e assim aplicar a justiça", explicou.
Ricardo Marques acredita que o desempenho do trio de arbitragem não interferiu no resultado final da partida.
"Realizamos um bom trabalho. O jogo exigiu muito de nossa equipe. Um clássico com equipes em situações distintas na tabela. Sabíamos das dificuldades mas colocamos em prática o que planificamos. O resultado, a meu sentir, foi positivo".
De acordo com o consultor de arbitragem da ESPN, Sálvio Spínola Fagundes Filho, o gesto de Ricardo Marques é um desabafo, mas alerta para que não seja feito em um contexto desfavorável.
"A expressão de alegria do árbitro é a demonstração de realização de bom trabalho. Normalmente isso acontece no vestiário após o jogo ou até no jantar com um brinde. Quando a atuação não é boa, fica um clima de tristeza e até o jantar costuma ser cancelado", disse.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores