Itiruçu Notícias
Arrow
Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Reflexão do sofrimento superado pela Fé

As lágrimas escorrem como sangue de uma ferida, difícil de estancar.
As batidas do coração doem a cada pulsação.
O olhar que não encontra uma saída nem mesmo alguém que possa compreender, quando se está no chão.
Não há uma mão pra te levantar, mas várias para te empurra no abismo. Apagar a luz no fim do túnel com um sopro para que não enxergue a saída.
Mas com tua em fé em Deus, louvai, porque ele é bom
Em Salmos 107.06 diz “E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.”
Pois Deus conhece as duas dores e os seus sofrimento .
Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a maldade tapará a boca.
Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as bondades do Senhor. Salmos 107:42,43 CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


 Sem grande nome do sumario musical Maracas manteve a tradição



Noite fria com muita animação o forró esquentou a praça em Marcás na segunda noite da festa. Entre as principais atrações banda Lua de Mel, Paroara do Acordeon e Banda Me leva. Na tarde de sábado  também teve o Forro file com Flavio José na AABB.  


A segurança  da festa ficou por conta da policia militar sobre o comando  do tenente Moreira que manteve a tranquilidade dos forrozeiros. Na noite de sábado não foi registrado nenhum ocorrência grave. 

Neste domingo o Bloco Coperrecha  fez arrastão com p mega trio e a Banda Pisada Forrozeira, pelas ruas da cidade a noite na praça do forro será realizada a ultima noite da festa com deversas atrações

 Quem a comete pode até mesmo perder a guarda do filho (a)



Desqualificar, tentar afastar o filho do outro genitor é uma realidade que sempre existiu. Não só depois da separação dos pais, mas até durante o relacionamento. Esta realidade, no entanto, não era percebida ou reconhecida. Muito menos, punida.
No entanto, quando os pais foram convocados a participar mais ativamente da vida dos filhos, graças ao ingresso da mulher no mercado de trabalho e nas instâncias do poder, descobriram eles as delícias a paternidade. Assim, finda a relação de conjugalidade não se conformaram com o direito de visitar os filhos quinzenalmente, como era de praxe. Passaram a reivindicar uma convivência mais frequente e a continuarem participando de forma efetiva de sua criação e educação. Foi este movimento que ensejou o estabelecimento da guarda compartilhada (CC, arts. 1.583 e 1.584) e a edição da lei da alienação parental (lei 12.318/10).

Além da previsão legal, a proibição quanto à alienação parental tem fundamento constitucional no princípio da paternidade responsável (art. 226, § 7º da CF/88).
Sempre há muita discussão envolvendo esse assunto e existem dúvidas entre as pessoas, especialmente porque tem sido amplamente debatida a possibilidade de criminalização da prática de alienação parental.
O conceito de alienação parental previsto na Lei n.º 12.318/2010, em seu art. 2º: Considera-se ato de alienação parental a interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob a sua autoridade, guarda ou vigilância para que repudie genitor ou que cause prejuízo ao estabelecimento ou à manutenção de vínculos com este.
Ou seja, através da prática da alienação parental “o alienador procura o tempo todo monitorar o sentimento da criança a fim de desmoralizar a imagem do outro genitor. Tal situação faz com que a criança acabe se afastando do genitor alienado por acreditar no que lhe está sendo dito, fazendo com que o vínculo afetivo seja destruído, ao ser acometido pela síndrome da alienação parental”.

Originariamente, o projeto da Lei de Alienação Parental previa, em seu artigo 10, modificações no Estatuto da Criança e do Adolescente, classificando a prática de alienação parental como um crime, a ser punido com pena de detenção de seis meses a dois anos. Ocorre que, o artigo 10 foi vetado pela Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania, “pois a situação de criminalização do genitor alienador poderia acarretar algum sentimento de culpa e remorso na criança ou no adolescente alienado” e, assim, a Lei 12.318/2010 entrou em vigor sem o artigo 10.

Além disso, observou-se que o próprio Estatuto da Criança e do Adolescente já contempla mecanismos de punição, tais como o estabelecimento de multa, entre outros, não se mostrando “necessária a inclusão de sanção de natureza penal, cujos efeitos poderão ser prejudiciais à criança ou ao adolescente, detentores dos direitos que se pretendem assegurar com o projeto”.

Ainda, a Lei que dispõe sobre a alienação parental prevê o seguinte, como meio de punir tal conduta:

    I – declarar a ocorrência de alienação parental e advertir o alienador;
    II – ampliar o regime de convivência familiar em favor do genitor alienado;
    III – estipular multa ao alienador;
    IV – determinar acompanhamento psicológico e/ou biopsicossocial;
    V – determinar a alteração da guarda para guarda compartilhada ou sua inversão;
    VI – determinar a fixação cautelar do domicílio da criança ou adolescente;
    VII – declarar a suspensão da autoridade parental.
   VIII – inversão da obrigação de levar para ou retirar a criança ou adolescente da residência do genitor, por ocasião das alternâncias dos períodos de convivência familiar.

Vale dizer, também, que já existe a figura penal do “crime de desobediência” (artigo 330 do Código Penal), e a prática de tal conduta pode ser alegada quando um genitor deixar de cumprir decisão judicial de cumprimento das visitas (por exemplo), procurando com insistência afastar o filho da convivência com o outro genitor.

Portanto, podemos dizer que a alienação parental, ao menos no presente momento, não pode ser vista como crime no ordenamento jurídico brasileiro, pois não há ainda punição criminal para tal ato. Mas, ressaltamos que, se a prática da alienação parental der origem a algum ato que caracterize calúnia, por exemplo, tal situação poderá ser tratada na esfera penal, vez que a calúnia está prevista no código penal como crime. Ou seja, a situação poderá ser “desmembrada”. Na esfera civil serão tomadas as medidas previstas na Lei de Alienação, ao passo que na esfera criminal, poderá ser levantada a questão do crime de calúnia ou de desobediência, mencionado acima.

Antes de se analisar a questão da criminalização, é preciso, também, fazer uma reflexão acerca da estrutura do sistema carcerário brasileiro que, como se sabe, não atende a demanda do Judiciário. Por fim, devemos pensar até que ponto tornar a alienação parental um crime resolveria os problemas ou apenas acirraria os conflitos.
A abordagem do tema requer muita atenção e cuidado, a fim de que sejam evitados danos ainda maiores aos envolvidos e, principalmente às crianças e adolescentes vítimas dessas situações.
Texto Parcialmente  publicado 
no BLOG DIREITO FAMILIAR.

O  receio de ter de pagar os honorários aos advogados número de ações trabalhistas cai 40%






Após seis meses inteiros com a reforma trabalhista em vigor, completados em maio, o número de ações abertas na Justiça do Trabalho registrou queda de 40,8% nos números acumulados em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo revelam dados do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
A Lei 13.467, que alterou pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), entrou em vigor em 11 de novembro do ano passado. Considerando o acumulado entre dezembro, primeiro mês completo sob vigência das novas regras, e maio deste ano, foram abertos 766.387 novos processos trabalhistas. No período equivalente anterior foram 1,3 milhão de ações.
A nova lei determina, entre outros pontos, que, se o trabalhador perder a ação, ele terá de arcar com os honorários dos advogados (sucumbências) da empresa processada (leia mais abaixo). 


Adiamento deve impedir Lula de disputar as eleições devido à Lei da Ficha Limpa.



O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta sexta-feira retirar de pauta o julgamento de um pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que estava previsto para ocorrer na terça-feira pela 2ª Turma da corte.
A decisão de Fachin ocorre depois que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) não ter admitido o recurso chamado extraordinário que pretendia reavaliar no STF o processo a que o petista foi condenado do tríplex do Guarujá (SP).
O ministro do Supremo entendeu que, se o TRF-4 tomou essa decisão de não enviar o processo ao STF, não haveria motivo no momento para que a 2ª Turma julgasse a medida cautelar sobre o mesmo caso.
Essa medida cautelar tinha por objetivo suspender os efeitos da condenação até o julgamento do mérito da ação pelo STF  que na prática, o ex-presidente poderia deixar a prisão, onde cumpre pena desde abril.
Lula lidera as pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial deste ano, mas deverá ser impedido de disputar devido à Lei da Ficha Limpa.

Câmara de Vereadores de Itiruçu antecipa eleições da Mesa diretora



A Câmara  de vereadores de Itiruçu através de seu presidente Ezequiel Borges publicou edital de convocação para a eleição da antecipada da mesa diretora do legislativo itiruçuense para o biênio  2019/2020, que será realizada em  Sessão  Plenária, a  partir  das  19hs30min  do  dia  27  de  junho  de  2018,  no  Plenário  da  Câmara  de  Vereadores.
O horário e o prazo para registro de chapa, seguirá conforme nos termos dos artigos Art. 17, §1º e
§7º do Regimento Interno.  O  processo  eleitoral  só  poderá  ser  realizado  com  a  presença  da  maioria  absoluta  dos  membros da câmara.  A apuração será realizada e o resultado proclamado imediatamente, sendo que os eleitos somente tomarão posse em 01 de Janeiro de 2019.  
Segundo informações o atual presidente Ezequiel Borges deve concorrer a reeleição com ampla possibilidades de ser reeleito. Sendo que esta será a ultima vez que terá reeleição no legislativo municipal, a partir da próxima legislatura em 2021 não não será mais permitido a reeleição ao cargo de presidente da Câmara  de vereadores de Itiruçu

'Não consigo andar direito' revela o técnico da seleção brasileira de futebol



A queda durante a comemoração do gol marcado por Coutinho causou uma lesão no técnico Tite. Após o meia abrir o placar aos 45 do segundo tempo na vitória por 2 a 0 da Seleção Brasileira sobre a Costa Rica, o treinador saiu correndo para festejar com os jogadores, mas acabou enroscando-se com o goleiro reserva Ederson, caiu e levantou com a ajuda do próprio Ederson e de Cássio.
Tite logo colocou a mão na coxa esquerda após levantar-se. De acordo com a assessoria de imprensa da CBF, a lesão do treinador não parece ser grave.
"Senti uma fisgada. Não é contratura. Como é quando rompe? Não consigo andar direito. No segundo tempo fiquei me perguntando: "Essa bola não vai entrar? Navas dando tapinha, bola na trave, 23 finalizações". E quando caí, o Éderson deu um toquinho, quando levantei, estava o Cássio. Eu ia comemorar com eles lá, mas não deu, tive que voltar - afirmou Tite, que chegou mancando à sala de imprensa para conceder a entrevista coletiva.

 Neymar com 26 anos  está a 10 gols de Zico, 11 de Ronaldo e a 39 de Pelé



Com o gol desta quinta-feira, contra a Costa Rica,  Neymar se torna o 4º maior artilheiro da seleção brasileira  com 56 gols em 87 jogos, ultrapassando Romário que vem em seguida com 55 gols. .
Agora, Neymar tem à sua frente apenas três dos maiores jogadores da história do futebol: Pelé, Ronaldo e Zico. O primeiro soma 795 gols em 115 partidas, figurando no topo da lista. O Fenômeno, por sua vez, balançou as redes 62 vezes em 99 partidas. Já o Galinho de Quintino marcou 66 gols em 89 confrontos.
Neymar também desempatou com Gabriel Jesus na lista dos maiores artilheiros da Seleção Brasileira comandada por Tite. Ambos somavam dez gols antes do confronto com a Costa Rica. Philippe Coutinho é o terceiro goleador do time canarinho, com oito bolas na rede, duas delas nesta Copa do Mundo.

Veja a lista dos dez maiores artilheiros da Seleção Brasileira:
Pelé – 95 gols em 115 partidas
Ronaldo – 67 gols em 98 partidas
Zico – 66 gols em 89 partidas
Neymar – 56 gols 87 partidas
Romário – 55 gols em 85 partidas
Jairzinho – 44 gols 105 partidas
Rivelino – 43 gols 122 partidas
Bebeto – 39 gols em 75 partidas
Leônidas – 39 gols
Tostão – 36 gols

Foto: Gabriel Bouys/AFP/
Informações Gazeta Esportiva

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif