.

Notícias do Vale

Notícias da Bahia

Noticias do Brasil

Opinião & Notícias

Audios & Vídeos

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de perigo para baixas temperaturas, na Bahia e outros 15 estados e no Distrito Federal.

A explicação para o frio é a presença de uma massa de ar frio polar, que chegará ao país a partir desta quarta-feira (28/7) e reduzirá temperaturas no Sul, no Sudeste, no Centro-Oeste e até mesmo na região Norte.

Meteorologistas indicam que o frio estará intenso até sábado (31/7). A previsão aponta declínio de temperatura, com queda de 5°C, além de uma onda de frio.

Com as temperaturas em baixa, são esperadas chuvas intensas, geadas, temperaturas negativas e até um possível registro de neve pelo país.

Serão afetadas pelo frio intenso cidades localizadas nas unidades federativas de Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Pará, Tocantins, Bahia, Distrito Federal, Acre, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Cataria (foto em destaque) e São Paulo.

O alerta de perigo é o segundo mais alto em uma escala de quatro avisos. Segundo o Inmet, o declínio brusco da temperatura traz riscos à saúde.

“Risco à saúde. Temperatura 5°C abaixo da média, por período de três até cinco dias”, destaca o informe de alerta do Inmet.

A agência Climatempo, especializada em meteorologia, indica que esta pode ser a onda de frio mais intensa e duradoura deste ano, com a possibilidade de recordes de baixa temperatura.

Os termômetros de cidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina marcaram temperaturas abaixo de zero nesta quarta-feira. Mais de 40 cidades registraram temperaturas abaixo de zero no amanhecer.

Na serra catarinense, a temperatura chegou a -8ºC em duas cidades: Urupema e Bom Jardim da Serra. Por causa do vento, a sensação térmica chegou a -20ºC.

Agricultores familiares que aderiram ao garantia-safra, na safra inverno 2019/2020, começam a receber o benefício neste mês de maio.

Nesta primeira fase  vão ser contemplados mais de quarenta e quatro mil agricultores, do total de setenta e nove mil  oitocentos e cinquenta e cinco que aderiram à safra.

Ao todo vão ser trinta e sete milhões e setecentos mil reais em recursos pagos em parcelas únicas de oitocentos e cinquenta reais por família, que vão garantir as condições mínimas para o replantio, e ao mesmo tempo movimentar a economia dos municípios atingidos pela estiagem ou pelo excesso de chuva.

O programa garantia-safra é coordenado pelo ministério de agricultura na Bahia, o estado assume também o pagamento de cinquenta por cento do valor devido aos agricultores familiares e às prefeituras municipais.

Aplicativo Plantio Certo facilita o acesso às informações do Zoneamento Agrícola de Risco Climático, auxiliando no planejamento da produção. A ferramenta, que já está disponível gratuitamente nas lojas de aplicativo, é uma das soluções tecnológicas do Balanço Social da Embrapa 2020.

Através do aplicativo, é possível verificar as janelas de plantio em que há menor chance de frustração de safra devido a eventos meteorológicos para 43 culturas agrícolas, em 5.507 municípios do território nacional. Além disso, ele oferece orientações sobre políticas de crédito e seguro rural.  

Itiruçuense participa da Orquestra Clássica Popular de Jequié

Itiruçu vacina contra a Febre Aftosa entre 1º e 31 de Maio

O atendimento às demarcações do Zoneamento Agrícola de Risco Climático é obrigatório para que o produtor rural possa ter acesso aos recursos do Programa de Garantia de Atividade Agropecuária (Proagro), do Proagro Mais (destinado à agricultura familiar), e do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR).

Pagamento do Garantia-Safra é autorizado em 27 municípios
Em portaria publicada no Diário Oficial da União, a Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), autorizou o pagamento do benefício Garantia-Safra aos agricultores de 27 municípios, que aderiram na safra 2019/2020.

O pagamento integral do benefício será realizado em parcela única, em decorrência das medidas de enfrentamento da propagação da pandemia da Covid-19. Os valores serão creditados a partir deste mês, nas mesmas datas definidas pelo calendário de pagamento de benefícios sociais da Caixa Econômica Federal.

Cabe ao agricultor familiar consultar o seu cadastro de inscrição no sistema informatizado de gerenciamento do Garantia-Safra, disponibilizado no site do MAPA na internet. A consulta deverá ser realizada pelo agricultor familiar dentro do prazo de 30 dias.

Confira a lista dos municípios:

AL - Canapi
AL - Girau do Ponciano
AL - Olho D'Água das Flores
AL - Ouro Branco
AL - Piranhas
AL - Jacaré dos Homens
AL - Palestina

BA - Ibiassucê
BA - Pindaí

CE - Itatira
CE - Marco
CE - Massapê
CE - Moraújo

MG - Itacambira

PB - Araruna
PB - Cacimba de Dentro

PE - Betânia
PE - Petrolândia
PE - Itaíba
PE - Lajedo
PE - Manari
PE - Serra Talhada

SE - Aquidabã
SE - Gararu
SE - Itabi
SE - Poço Redondo
SE - Porto da Folha

Veja lista de produtos para agricultura familiar com descontos
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou a lista de produtos de agricultura familiar com descontos em abril. A ação ocorre quando o valor de mercado de algum dos produtos do Programa de Garantia de Preços para Agricultura Familiar (PGPAF) fica abaixo do preço de referência.
 
A lista garante produtos com bônus de desconto, permitindo ao produtor utilizar o valor no pagamento ou amortização nas parcelas de financiamento. Estão contemplados alimentos como abacaxi, açaí, banana, castanha de caju e outros. A relação tem validade entre 10 de abril e 9 de maio de 2021, segundo estabelecido pela Portaria nº 16, da Secretaria de Política Agrícola.
 
Os estados que fazem parte da lista deste mês de abril são Alagoas, Acre, Paraíba, Pernambuco, Espírito Santo, Piauí, Amazonas e Santa Catarina.
Os descontos de todos os produtos cultivados são calculados mensalmente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgados pelo Mapa.

Membro da Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembléia Legislativa da Bahia (Alba), o deputado estadual Zé Cocá (PP), apresentou na casa legislativa o projeto de lei nº 23.949/2020, considerando a comercialização de produtos da agricultura familiar como atividade essencial no Estado da Bahia, durante no período de vigência do estado de calamidade pública, em decorrência da pandemia do novo coronavírus. O projeto determina que ficam vedadas determinações para proibir ou embaraçar a realização dessas atividades.

Com esse projeto, Zé Cocá quer garantir o mínimo existencial a milhares de agricultores, assegurando que possam transportar e comercializar seus produtos em feiras e ou locais apropriados, sob a proteção do Estado. Ao justificar o projeto o deputado Zé Cocá destacou que a crise sanitária provocada pelo Covid-19 afetou inúmeros segmentos da economia e prejudicou também homens e mulheres no campo, que vivem do que conseguem plantar.

“Por conta do necessário isolamento social para combater o avanço do novo coronavírus, muitas feiras livres, no interior e na capital, deixaram de funcionar e vários estabelecimentos comerciais ficaram sem adquirir os produtos da agricultura familiar”, disse ele. O deputado destaca que a consequência dessa situação é grave, “pois sem condições de sair de casa, o pequeno agricultor tem dificuldade até mesmo para comer e manter a sobrevivência da família”.

No projeto, o parlamentar propõe que a limitação do número de pessoas presentes em locais onde serão comercializados produtos da agricultura familiar seja realizada conforme a gravidade da situação relativa à calamidade pública, e por decisão fundamentada da autoridade competente, devendo ser mantida a possibilidade de atendimento presencial, respeitando-se as regras locais de distanciamento social.
Estresse e desconforto no momento da secagem do leite em vacas
Especialista em pecuária leiteira, Guilherme Santa Catarina relata benefícios verificados em campo com o uso de medicamento da empresa

Guilherme nasceu no Rio Grande do Sul, mas seu sobrenome sempre foi um indicativo do lugar onde escreveria sua história – pessoal e profissional: Santa Catarina. Aos 36 anos e pai de uma menina, ele vive em Chapecó, onde trabalha como médico veterinário de bovinos, especialmente de leite.

Especialista em pecuária leiteira pela Universidade de Passo Fundo (RS), Guilherme atua no oeste catarinense. Lá, acompanha o crescimento da pecuária leiteira, devido, ele acredita, ao melhoramento genético do rebanho. Porém – ele alerta –, deficiências de manejo tem contribuído para diminuir a imunidade dos animais, provocando enfermidades que causam prejuízos aos produtores.

“Entre os problemas, estão o estresse e o desconforto devido ao manejo incorreto da secagem do leite”, explica Guilherme Santa Catarina.

O médico veterinário destaca que “o estresse acaba causando problemas metabólicos, reprodutivos e também mastite”. Segundo ele, o manejo está melhor desde o lançamento do único facilitador de secagem do leite do mercado brasileiro: Velactis, da Ceva Saúde Animal, a quinta maior indústria do mundo no setor.

“Com o uso de Velactis é possível perceber os animais mais saudáveis no período pós-secagem, especialmente em relação à incidência de mastite, que diminuiu. Também identifiquei redução de doenças metabólicas pós-parto, já que o medicamento aumenta o conforto e o bem-estar das vacas nessa fase. Outro ponto a destacar é a rápida retomada da vaca para a vida reprodutiva”, finaliza Santa Catarina.

Vendedor técnico de campo da Ceva, Josenei Sartor atua junto a Guilherme e destaca a eficiência do veterinário. “Ele tem uma mente inovadora e está sempre buscando o melhor para clientes e seus animais. Receptivo ao medicamento, agora está colhendo resultados bastante positivos”, destaca.
Itiruçu Notícias | Imfprmaões Rafael Iglesias

OUÇAWEB RÁDIO ITIRUSSU

Anúncios

alt=”atributo alt aqui” />

Facebook