Nossas redes sociais

some text  some text  some text  some text  some text  some text  some text 

"Viver como se cada instante fosse um milagre"
Arrow

Ouça Web Rádio Itirussu no seu celular ou tablet

Ouça nossa rádio em seu celular ou tablet com Android ou no iPhone e iPads

O seu direito: Na pandemia, vizinho barulhento comete crimes

Por: Itiruçu Notícias - sexta-feira, 18 de setembro de 2020 - 0 Comentários

O seu direito: Na pandemia, vizinho barulhento comete crimes

Antes de iniciar propriamente a abordagem do tema de hoje, desejo convidar o amigo leitor a seguir a P&C Advocacia no Instagram. Siga-nos: @pc.advocacia.
Vamos ao tema! O isolamento social, consequência da pandemia da Covid-19, vem produzindo diversos conflitos na convivência dos cidadãos, a exemplo do aumento no desrespeito às regras da boa vizinhança. O indivíduo se utiliza de aparelho de som em volume extravagante, e, desafiando o bom senso e as autoridades, promove festas, e algazarras, prejudicando o sossego dos vizinhos, colocando em risco a saúde pública, sempre alegando estar em sua propriedade, o que, portanto, lhe daria todos os direitos. Todavia, o respeito mútuo, o espírito de coletividade e solidariedade devem pautar as relações de vizinhança. Os moradores ao lado também possuem direitos: à tranquilidade, à saúde e à paz em seus lares. 

Logo, é importante desfazer o “mito” de que o cidadão teria o direito de fazer barulho à vontade até às 22 horas. Em verdade, a qualquer hora do dia ou da noite, especialmente em área residencial, o excesso de ruído que causa danos a terceiros, e que ultrapassa os limites permitidos em lei, poderá configurar ilícito civil, contravenção penal e até crime ambiental. Com o agravante de que, em tempos de pandemia, aqueles que promovem aglomeração podem responder pelo crime de ‘Infração de Medida Sanitária’ (art. 268, Código Penal), e também pelo delito de ‘Desobediência’ (art. 330, idem do CP).
Por se tratar de utilidade pública, registre-se que médicos especialistas no sistema auditivo alertam que pessoas expostas por médio ou longo período a ruídos de 65 a 70 decibéis podem sofrer alterações químicas no organismo. E, se expostas a barulhos que excedem a 70 decibéis, poderão desenvolver estresse degenerativo e complicações na saúde mental. 

Assim, a primeira recomendação à vítima que vem sofrendo perturbação do sossego é procurar resolver a situação de forma amigável, ou, se preferir, poderá notificar extrajudicialmente o vizinho a fim de que cesse o barulho ilegal. Se tais tentativas não surtirem efeito, e, principalmente se for o caso de ocorrência de festas e aglomerações, que desobedecem os cuidados sanitários exigidos em tempos de coronavírus, a vítima poderá solicitar a presença da polícia no local, para lavratura de Boletim de Ocorrência e cessação da aglomeração criminosa.

O B.O. poderá resultar em instauração de Ação penal contra o causador da perturbação, pela prática do delito previsto no art. 42, da Lei de Contravenção Penal, que tem pena de prisão simples de 15 dias a 3 meses, bem como pela prática do delito constante do art. 54, da Lei de Crimes de Ambientais, que tem pena de 1 a 4 anos de reclusão, além de apuração do ‘crime de infração de medida sanitária’ (artigo 268, do Código Penal), que tem pena de um mês a um ano de detenção, e multa.

A vítima, além disso, poderá constituir advogado para, na esfera cível, promover Ação Ordinária em face do autor da perturbação, requerendo, em primeiro lugar, que o réu se abstenha de continuar a perturbar o sossego alheio; em segundo lugar, poderá ser requerida indenização por danos morais, em decorrência do constrangimento e abalo sofridos. A verdade é que vivemos dias de calamidade pública. E o grande desafio durante toda essa travessia será o de conciliar o maior resguardo possível do interesse público e o abalo mínimo das indispensáveis garantias individuais da cidadania. Fiquem vigilantes. Afinal, a justiça é para todos!Foto reprodução)

O seu direito: Ser testemunha é obrigatório?
Por Dr. Couto de Novaes
(Advogado criminalista, sócio na P&C Advocacia. 
e-mail: hcoutodenovaes@gmail.com)


Não se esqueça de ler isso também ...

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Web Rádio do Blog Itiruçu Notícias com transmissão utilizando a tecnologia streaming. Web Rádio Itirussu, conectada com você!
   
Baixe aqui app Web Rádio Itirussu


ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS


PUBLICIDADE