A Ganância e a Discórdia a felicidade dos invejosos - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Motorista alcoolizado que provoca morte. Qual a punição?

O comportamento do brasileiro no trânsito encontra-se longe do recomendável. O número de motoristas que dirigem alcoolizados, inclusive...

Histórias que o Povo Conta

A história que o povo conta; O Retratista

Paulo Borges de Oliveira, natural de Castro Alves – BA, nascido em 18/11/1918, chegou em Itiruçu –BA, em 1950, foi comerciante juntamente com seu irmão Otávio (já falecido), na antiga rua da Lancha, hoje Moisés Almeida, mas, anos depois dedicou – se inteiramente a profissão de fotógrafo.
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

A Ganância e a Discórdia a felicidade dos invejosos

Aquele que semeia a discórdia é terrível. Não gosta de ver a paz reinar em canto algum, parece que se agonia com isso.

Qual o objetivo das pessoas que agem desta forma? Será que essa atitude provoca prazer em determinadas pessoas? Ou seria o ego de pessoas invejosas que se sentem felizes provocando infelicidades.

Fazendo minhas análises sobre certas atitudes humanas percebi que pessoas infelizes são as que mais disseminam discórdias e a maior delas sempre está relacionada com algum tipo de fofoca raivosa.

Aquela que numa simples palavra já se percebe o rancor interior de quem fez. E se estivermos perto de quem fez a fofoca raivosa nota-se no semblante da pessoa um certo alívio pela maldade que provocou ou até um sorriso nos lábios achando-se vitorioso...CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


A Ganância e a Discórdia a felicidade dos invejosos

Por: Neto Oliveira - sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019 - 0 Comentários


Aquele que semeia a discórdia é terrível. Não gosta de ver a paz reinar em canto algum, parece que se agonia com isso.
Qual o objetivo das pessoas que agem desta forma? Será que essa atitude provoca prazer em determinadas pessoas? Ou seria o ego de pessoas invejosas que se sentem felizes provocando infelicidades. 

Fazendo minhas análises sobre certas atitudes humanas percebi que pessoas infelizes são as que mais disseminam discórdias e a maior delas sempre está relacionada com algum tipo de fofoca raivosa. 

Aquela que numa simples palavra já se percebe o rancor interior de quem fez. E se estivermos perto de quem fez a fofoca raivosa nota-se no semblante da pessoa um certo alívio pela maldade que provocou ou até um sorriso nos lábios achando-se vitorioso. 

Somos seres muito sensíveis às energias vibratórias do universo e isso é nosso mesmo. Somos assim. Podemos receber essa sensibilidade tanto de forma positiva quanto negativa. Nascemos assim. Entretanto, temos que tomar cuidado porque nós podemos adquirir essências que não são nossas, que são de pessoas ou ambientes ao nosso redor ou de quem convive conosco no nosso dia a dia. Cada um tem o seu comportamento, a sua tranquilidade, a sua passividade, suas críticas, suas agressividades, sua falta de vontade, sua falta de perspectivas, seus problemas pessoais, seus problemas profissionais, seus problemas de relacionamentos...Enfim, seus problemas de vida... 

Se recebermos críticas, devemos então procurar saber se o que está sendo dito faz mesmo parte da nossa essência ou estamos envolvidos em energias que não são nossas, são de outras pessoas com as quais convivemos, de ambientes que frequentamos, de disputas para nos derrubar, de situações de inveja para nos destruir, de guerras de poder por vaidade, de momentos de falsidades, onde certas pessoas querem ser os melhores a qualquer custo e a qualquer preço, pouco se importando se passam com o trator da língua por cima dos outros. Isso é muito triste... 

Então, se para encontrar a felicidade devemos nos questionar se "quem tem que mudar sou eu?", você também deve fazer o mesmo: pergunte-se: Por que você deve mudar? Você deve mudar para que os outros sejam mais felizes desde que não seja uma submissão, e sempre protegendo a própria essência pois a nossa essência é a nossa particularidade é o nosso carimbo aqui no planeta Terra... 
Com está nas escrituras sagradas em uma parte da oração que diz  " Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido".
Parte desta publicação extraída do texto 
de Étis Tânia M. Tonello Martins


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores