Vídeo de advogada agredida pelo ex-namorado vaza na internet - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Plantão Escolar de matriculas vão até dia 08/02

A secretaria de Educação  do município de Itiruçu está realizado o esquema de plantão escolar matriculas em toda rede municipal de ens...


EDITORIAL

Refletindo: Histórias da politica de Itiruçu: O Otimista

Essa quem contava era o saudoso amigo Aguinaldo Pires (Gal Pires), ex- vereador e ex-presidente da câmara de Itiruçu, grande contador de causo, que morreu há três anos em um trágico acidente na BR-116 nas imediações de Itatim – BA.
1962, ano de eleição, em Itiruçu a disputa foi entre Valdeck Almeida (UDN), candidato do ex- prefeito Zé Bonfim e Josias Duarte (PSD), apoiado por Vivaldo Bastos e pelo ex-prefeito Geir Magalhães, tinha o povoado do Upabuçu como seu reduto eleitoral. Em um comício em Upabuçu, Josias percebeu certo desânimo no eleitorado, a incerteza da vitória era flagrante.
CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Vídeo de advogada agredida pelo ex-namorado vaza na internet

Por: Redação Itiruçu Notícias - quinta-feira, 27 de dezembro de 2018 - 0 Comentários



Victor Junqueira, de 24 anos, é protagonista de mais um infeliz caso em que o homem não aceita o término de um relacionamento e, por isso, passa a agredir a companheira Luciana Sinzimbra. O piloto, filho de um ex-prefeito de Anápolis (GO), foi gravado espancando e tentando asfixiar a ex-namorada, uma advogada de 26 anos, por não aceitar o fim da relação.


No vídeo, o rapaz aparece agredindo brutalmente a ex-companheira. A advogada, que filmou os ataques, pede para que o ex-namorado pare, com medo de ser morta. “Para de me bater. Você vai me matar desse jeito”, implora a vítima.

As agressões acontecem por diversas vezes e são acompanhadas por mais ameaças do piloto. “Vou bater mais porque você é fingida. Me enganou esse tempo todo”, diz ele no vídeo.

A gravação se espalhou na internet e fez com que Victor deletasse todos os seus perfis em redes sociais. A vítima registrou um boletim de ocorrência e o caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à mulher (Deam). 

Responsável pelo inquérito que indiciou o piloto Victor Augusto Amaral Junqueira – acusado de agredir a namorada Luciana Sinzimbra em Goiânia (GO),, a delegada Ana Elisa Gomes Martins disse ao Metrópoles que o depoimento da vítima, o exame pericial e os vídeos do caso são muito fortes e ajudaram a embasar as decisões para a conclusão das investigações. Para ela, “contra [esses] fatos não há argumentos”.

Victor Junqueira foi indiciado por lesão corporal, ameaça, injúria e violação de domicílio. A pena máxima para os crimes pode chegar a 4 anos e 6 meses de detenção. Assim que a justiça retornar do recesso, o processo será distribuído a um dos quatro juizados da mulher do estado.

Ana Elisa, que comanda a principal Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) do Goiás, disse que Luciana Sinzimbra compareceu à unidade policial um dia após a agressão. Cercada de amigos, estava insegura sobre o depoimento.

“Ela está muito triste, não foi ela quem promoveu a divulgação do vídeo. Ela [Luciana] está sofrendo muito com isso. Não gostaria de ter a imagem exposta, sua identidade. Compreendo isso”, explicou a delegada.

Pelas circunstâncias das agressões, a responsável pelo caso disse que não houve motivos para pedir a detenção provisória do suspeito. “Para isso teria que ter fundamentos que justificassem [a prisão]. [Como, por exemplo] Que ele de alguma forma estivesse atrapalhando as investigações, que estivesse praticando outros crimes contra a vítima e estivesse descumprindo as medidas protetivas ou fugindo”, acrescentou.

Já o depoimento de Victor Junqueira, segundo a delegada, ocorreu no dia 21 de dezembro. Ele compareceu à Deam acompanhado de um advogado e chorou bastante. 
Veja video:


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores