Na intervenção, policiais do Rio matam cada vez mais - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Casa da Cultura treme enquanto se realizava reunião

Reunião é transferida ao perceber que Casa da Cultura em Itiruçu começou a tremer.  Na manhã desta sexta-feira(22) por volta das 9h...


Espaço publicitário


EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)

O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Na intervenção, policiais do Rio matam cada vez mais

Por: Redação Itiruçu Notícias - quinta-feira, 15 de novembro de 2018 - 0 Comentários

 De acordo com o ISP, a intervenção conseguiu baixar os números de roubos de cargas. 



Em intervenção federal na segurança desde fevereiro, o Estado do Rio segue com a taxa de morte por policiais em operações em alta. No mês de outubro, foram 127 ocorrências, um aumento de 30% em relação ao mesmo mês de 2017, e de 17,5% na comparação com setembro passado. Nestes noves meses, o número de mortes decorrentes de intervenção policial somou 1.151 no Estado.

Os dados saíram na quarta-feira,14, e são do Instituto de Segurança Pública (ISP), braço estatístico da Secretaria de Segurança do Estado, que divulga os indicadores todo mês. Segundo o boletim, apesar da letalidade policial, os homicídios dolosos, embora ainda num patamar bastante alto, caíram 22% em relação a outubro de 2017 ,  378 registros, ante 486.

De acordo com o ISP, a intervenção conseguiu baixar os números de roubos de carga, uma modalidade criminosa que vinha em ascensão. Este indicador teve queda de 28% em relação a outubro de 2017. Os roubos de veículos diminuíram 1%; já os roubos de rua (a transeuntes, em coletivos e roubos de celular) aumentaram 4%. Os dados são referentes aos registros de ocorrência lavrados em delegacias.

Ao avaliar os nove meses de atuação das Forças Armadas no Rio, o Observatório da Intervenção, grupo que monitorou 584 operações, divulgou que neste período 177 estabelecimentos de ensino da Região Metropolitana do Rio tiveram pelo menos um disparo de arma de fogo ou troca de tiros num raio de 100 metros, que colocaram em risco alunos e profissionais.

A conclusão se baseou em dados da plataforma Fogo Cruzado. Este total é 156% maior do que o registrado de fevereiro a outubro de 2017. “Tiroteios significam aulas suspensas, insegurança e medo. O rendimento dos alunos e o desempenho dos professores sofrem um impacto tremendo”, aponta relatório do Observatório divulgado na terça-feira, 13.

“Após nove meses de intervenção, registramos aumento de 59% de tiroteios, 3.369 homicídios e 42% de mortes decorrentes de intervenção policial. Esses números são chocantes, mas os dados sobre as escolas e as pichações nos muros do Rio lembram que a violência produz efeitos que não são visíveis imediatamente, mas que terão consequências no longo prazo”, conclui o trabalho.
Foto reproduçaão


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação