O senador eleito Flávio Bolsonaro é banido do WhatsApp - Itiruçu Notícias
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

O Brasil não terá mais cubanos no Programa mais Médicos

Depois de “ameaçadoras e depreciativas” de Bolsonaro Cuba chama de volta os médicos O Ministério da Saúde Pública de Cuba anunciou na...


Passeio Cicloturismo de Itiruçu



EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)

O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

CONTINUE LENDO


COLUNISTAS




MAIS LIDAS DO MÊS


O senador eleito Flávio Bolsonaro é banido do WhatsApp

Por: Redação Itiruçu Notícias - sexta-feira, 19 de outubro de 2018 - 0 Comentários

A companhia também baniu números associados as agências Quickmobile, Yacows, Croc services e SMS Market. 






O senador eleito do Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro (PSL) informou que foi banido do WhatsApp nesta sexta-feira (19). A informação foi publicada pelo próprio político em seu Twitter. Segundo Flávio, ele estava em "milhares de grupos".
O WhatsApp baniu Flávio por seu "comportamento de spam", segundo comunicado da empresa obtido pelo O Globo.
Cerca de uma hora e meia depois de publicar sobre seu banimento, Flávio voltou ao Twitter para dizer que o episódio ocorreu "dias atrás" e que ele já havia sido desbloqueado.
Após a Folha de S. Paulo publicar que empresários favoráveis ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) pagaram até R$ 12 milhões para promover uma campanha contra o PT no WhatApp, o aplicativo tomou o centro do debate nas eleições. A prática seria um crime eleitoral porque a doação empresarial está proibida por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).
A denúncia do jornal paulista repercutiu em veículos internacionais. Ela foi no notícia no britânico The Guardian e no The New York Times.  Bolsonaro diz que a acusação é uma "fake news".
A gente tem aí duas correntes de pensamento fortemente enraizadas na área acadêmica, na área intelectual, diz especialista sobre planos de Haddad e Bolsonaro para a economia
Analistas comparam planos de governo de Bolsonaro e Haddad para a economia
Ainda de acordo com a Folha, o WhatsApp enviou notificações nesta sexta para as empresas Quickmobile, Yacows, Croc services e SMS Market para que elas parem de comercializar o envio de mensagens em massa. A companhia também baniu números associados a essas agências.
O envio de mensagens no WhatsApp não é crime, desde que os contatos utilizados sejam do próprio partido político. Utilizar bases de dados de terceiros, com outros números, é crime. 


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação