Empresária de 51 anos, implorou para própria filha não matá-la - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Motorista alcoolizado que provoca morte. Qual a punição?

O comportamento do brasileiro no trânsito encontra-se longe do recomendável. O número de motoristas que dirigem alcoolizados, inclusive...

Histórias que o Povo Conta

A história que o povo conta; O Retratista

Paulo Borges de Oliveira, natural de Castro Alves – BA, nascido em 18/11/1918, chegou em Itiruçu –BA, em 1950, foi comerciante juntamente com seu irmão Otávio (já falecido), na antiga rua da Lancha, hoje Moisés Almeida, mas, anos depois dedicou – se inteiramente a profissão de fotógrafo.
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

A Ganância e a Discórdia a felicidade dos invejosos

Aquele que semeia a discórdia é terrível. Não gosta de ver a paz reinar em canto algum, parece que se agonia com isso.

Qual o objetivo das pessoas que agem desta forma? Será que essa atitude provoca prazer em determinadas pessoas? Ou seria o ego de pessoas invejosas que se sentem felizes provocando infelicidades.

Fazendo minhas análises sobre certas atitudes humanas percebi que pessoas infelizes são as que mais disseminam discórdias e a maior delas sempre está relacionada com algum tipo de fofoca raivosa.

Aquela que numa simples palavra já se percebe o rancor interior de quem fez. E se estivermos perto de quem fez a fofoca raivosa nota-se no semblante da pessoa um certo alívio pela maldade que provocou ou até um sorriso nos lábios achando-se vitorioso...CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Empresária de 51 anos, implorou para própria filha não matá-la

Por: Redação Itiruçu Notícias - sexta-feira, 12 de outubro de 2018 - 0 Comentários

Filha e namorado teriam usando formol, fitas e sacos plásticos cometer o assassinato



A última conversa entre Dircelene Botelho, 51, e sua filha, Paloma Botelho de Vasconcelos, 21, que confessou o assassinato da mãe.
_Não me mate, filha! Sou sua mãe. E te amo!
_Eu não tenho mãe.
O crime foi cometido com ajuda do namorado de Paloma, Gabriel Neves, 26. O assassinato chocou a cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro.
A morte aconteceu no quarto da vítima. “Se mãe e filha têm uma briga e, numa discussão acalorada, uma empurra a outra e alguém bate com a cabeça numa mesa, por exemplo, e morre, é uma coisa, uma fatalidade. Mas, quando uma pessoa planeja com requintes de detalhes a morte da própria mãe e ainda faz simulações para esconder o crime, abrindo o portão de casa às escondidas para que o cúmplice, o namorado, entre agachado, é assassinato. Ainda não estou com a razão plena. Estou meio abobalhado. Sem querer acreditar no que aconteceu. Ela me pediu para comprar formol dizendo que seria para fortalecer suas unhas. Até que ponto ela poderia ir?”, disse o viúvo de Dircelene, Manuel da Silva ao jornal “Extra”.
O delegado responsável pelo caso, André Prates Fraga, da 105ª DP (Petrópolis) disse que a perícia constatou que Dircelene morreu por asfixia mecânica por sufocação. Conforme informações da Polícia Civil, Paloma Vasconcelos disse em depoimento que começou a planejar a morte da mãe após ser obrigada a abortar um bebê em 2017.
Segundo ela, sua mãe a convenceu a abortar e pagou pelo procedimento em uma clínica na cidade de Cabo Frio, no litoral fluminense. Paloma chegou a pesquisar maneiras de matar a mãe na internet e, em uma das tentativas que não se concretizou, colocou herbicida no vinho da mãe.
A morte de Dircelene passou a ser investigada pela polícia após o padrasto de Paloma entregar imagens de uma câmera instalada de frente para o armário no quarto do casal. O padrasto e DIrcelene haviam instalado a câmera porque suspeitavam que Paloma estava furtando dinheiro que a comerciante guardava em casa.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores