Arrow

HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA

Dazo: Um exemplo de vida
Figura muito dócil e querida em toda Itiruçu, alegre e de temperamento fácil, cativante e prestativo; Estou falando de Gildásio Rodrigues de Souza, ou simplesmente DAZO, filho de D. Cecília, irmão de Lucy e Jaime Boró, e cunhado de Didi...
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

A Fé realiza os desejos de nossos corações


A Fé é acreditar que uma coisa é verdade e agir de acordo com essa crença. Todo mundo tem fé em alguma coisa. A Bíblia diz que devemos ter fé em Deus e no Seu poder para mudar nossa vida. Somos salvos pela fé em Jesus. - Hebreus 11:6.
...CONTINUE LENDO
VERSÍCULOS BÍBLICOS

LEIA A BÍBLIA!

Alta do preço do gás de cozinha faz crescer revendas de botijões ilegais

Por: Redação Itiruçu Notícias - terça-feira, 23 de outubro de 2018 - 0 Comentários

Entidade estima que apenas 25% dos botijões comercializados são autorizados pela ANP.



Na busca por melhores preços na hora de comprar botijão de gás, é importante ter cuidado para não adquirir um produto clandestino, pois embora sejam mais baratos, não passam por nenhum tipo de controle de qualidade.
Segundo estimativas da Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás LP (Abragás), até o final de 2017, cerca de 200 mil revendedores ilegais de gás de cozinha operavam no Brasil: três vezes mais do que os autorizados pela ANP, que, até setembro deste ano, eram pouco mais de 70 mil.
Com os reajustes que vêm sendo aplicados no preço do botijão de gás de cozinha desde o ano passado, é comum os consumidores buscarem vendedores com preços mais em conta para ajustar o orçamento. Afinal, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), só no estado de São Paulo o aumento chegou a mais de 22% em 2017.
Segundo estimativas da Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás LP (Abragás), até o final de 2017, cerca de 200 mil revendedores ilegais de gás de cozinha operavam no Brasil: três vezes mais do que os autorizados pela ANP, que, até setembro deste ano, eram pouco mais de 70 mil.
"É um número desproporcional e bem assustador. Esses revendedores ilegais e clandestinos no país trabalham em pontos fixos e móveis. É um tipo de revenda que prejudica não apenas a vida de quem tem autorização da ANP, mas também a qualidade final do produto e a segurança do consumidor, que não sabe a procedência do que está comprando e não têm garantias", afirmou o presidente da Abragás, José Luiz Rocha.
"Muitas vezes, você pode encontrar um botijão mais barato exatamente porque não passou pelos processos da ANP, que tem padrões de segurança em relação ao lacre, estocagem, entre outros. Um botijão sem esse processo gera riscos para o consumidor, que pode acabar, por exemplo, levando um produto mais vazio ou até mesmo com grande risco de acidentes, principalmente quando estocados em locais inadequados. Por isso a importância de saber de onde vem o botijão", alerta.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores






MAIS LIDAS DO MÊS