O maníaco do Parque condenado a 280 anos de prisão pode ser solto - Itiruçu Notícias
Arrow
Exerça sua cidadania



Passeio Cicloturismo de Itiruçu



EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)
O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


O maníaco do Parque condenado a 280 anos de prisão pode ser solto

Por: Redação Itiruçu Notícias - domingo, 26 de agosto de 2018 - 0 Comentários

O homem  obrigava as vitimas se despir e acabavam sendo esganadas e violentadas




O homem conhecido como Maníaco do Parque está preso há 20 anos em São Paulo e deve ser volto em agosto de 2028. Ele foi condenado a mais de 280 anos de prisão por matar sete mulheres e estuprar e roubas outras nove.
No entanto, segundo destaca o jornal Extra, Francisco de Assis Pereira poderá de ser solto daqui a dez anos porque, pela lei brasileira, ninguém pode ficar mais de 30 anos na cadeia.
Francisco era motoboy e está detido desde 4 de agosto de 1998. Ele foi condenado por atacar 16 vítimas no Parque do Estado, Zona Sul da capital paulista.
“São passados 20 anos. Se tudo correr dentro da normalidade ficará preso mais dez anos”, afirmou o procurador Edílson Mougenot Bonfim em entrevista ao G1. “É abrir as portas do cárcere para que ele volte a ter a possibilidade de matar, estuprar”.
“Se ele não for 24 horas supervisionado, ele vai cometer crimes de novo. Da mesma forma”, afirma Lineu Evaldo Engholm Cardoso, advogado que defendeu Francisco. “Ele é um risco para a sociedade se não for supervisionado full time”.
Francisco começou a cometer os crimes em 1998. Ele abordava as vítimas no Parque do Estado, na Zona Sul da capital paulista. Sua tática era convencer as garotas, com idades entre 17 e 27 anos, a lhe acompanharem para tirar fotos na mata para um catálogo de produtos de beleza.
As vítimas caíram na conversa de que Francisco fotografava modelos e foram obrigadas a se despir e acabaram sendo esganadas e violentadas pelo falso fotógrafo no Parque do Estado.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação