Temer corta bolsa de estudos para indígenas e quilombolas - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow
HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA

A história que o povo conta; O Retratista

Este veículo marcou época em Itiruçu, no final da década de 60 e início da década de 70. De cor provavelmente verde-escura e ano de fabricação 1954.
Estacionada em frente ao Grupo Escolar Francisco Mangabeira, atual Secretaria de Educação , tendo a bordo: ...
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

Desejo de manter foco


Parece que está se tornando cada vez mais difícil nos concentrarmos numa única coisa por muito tempo. A sociedade moderna definitivamente tem nos levado a manter períodos curtos de atenção. Se assistirmos qualquer programa de tevê ou filme, vamos notar como as coisas se movem rapidamente e o ritmo acelerado do enredo. Um comercial típico de tevê muda as imagens a cada poucos segundos, às vezes menos. A lógica é: se não capturarmos a atenção do indivíduo imediatamente. ele vai se voltar para outra coisa.
Com tantas coisas competindo por nossa energia mental, que vão da Internet passando pelas mensagens de texto e e-mails, é de admirar que ainda sejamos capazes de concentrar o foco em alguma coisa.
...CONTINUE LENDO
VERSÍCULOS BIBLÍCOS
BÍBLIA!
PARE! LEIA! REFLITA! PRATIQUE!
CLIQUE AQUI

Temer corta bolsa de estudos para indígenas e quilombolas

Por: Redação Itiruçu Notícias - quarta-feira, 6 de junho de 2018 - 0 Comentários

Representantes de alunos dizem que pelo menos 2.500 estudantes são prejudicados, mas o número pode chegar a 5.000 até o final do ano letivo.



O governo federal interrompeu novas bolsas do Programa Bolsa-Permanência (PBP) para estudantes universitários indígenas e quilombolas. O valor da ajuda mensal é de R$ 900 para moradia, alimentação e material escolar.
Desde o início das aulas, em março, os novos universitários não receberam parcela alguma da bolsa, nem inseriram seus nomes no sistema do PBP como candidatos à ajuda, segundo comissão de estudantes.
Em nota enviada à Folha, o Ministério da Educação (MEC) confirmou que a pasta "anunciou a oferta de 800 novas bolsas" e que "aguarda a conclusão das tratativas em andamento com as lideranças". As novas inscrições para ingresso no PBP "são abertas em janelas específicas", disse o órgão.
Segundo o ministério, outros 18 mil alunos que já entraram no programa em anos anteriores estão recebendo as bolsas "normalmente, sem corte ou descontinuidade". Em 2017, segundo o MEC, o PBP pagou R$ 172 milhões. De janeiro a abril deste ano, R$ 56 milhões, "portanto não há queda na execução mensal ou anual do programa".


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores






MAIS LIDAS DO MÊS