PF em Itiruçu: Fraude em aposentadorias é o alvo - Itiruçu Notícias
Arrow
formatura do Proerd em Itiruçu - Imagens Wilson Novaes


Passeio Cicloturismo de Itiruçu



EDITORIAL

Reflexão do sofrimento superado pela Fé

As lágrimas escorrem como sangue de uma ferida, difícil de estancar.
As batidas do coração doem a cada pulsação.
O olhar que não encontra uma saída nem mesmo alguém que possa compreender, quando se está no chão.
Não há uma mão pra te levantar, mas várias para te empurra no abismo. Apagar a luz no fim do túnel com um sopro para que não enxergue a saída.
Mas com tua em fé em Deus, louvai, porque ele é bom
Em Salmos 107.06 diz “E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.”
Pois Deus conhece as duas dores e os seus sofrimento .
Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a maldade tapará a boca.
Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as bondades do Senhor. Salmos 107:42,43 CONTINUE LENDO


COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


PF em Itiruçu: Fraude em aposentadorias é o alvo

Por: Ed Santos - sexta-feira, 18 de maio de 2018 - 0 Comentários

Resultado de imagem
Informações extra oficiais apontam para mais uma ação da Polícia Federal no município de Itiruçu na manhã desta sexta feira(18).  

A operação que ainda não foi divulgada o nome e nem os alvos, ocorreu na região da Várzea, zona rural de Itiruçu onde um homem identificado como Antônio Helio foi conduzido coercitivamente para prestar esclarecimentos e na sede do município para coleta de documentos. Segundo informações ainda uma mulher conhecida por Ana Paula conseguiu fugir antes da chegada dos agentes. 

O motivo da operação teria sido que o homem levado coercitivamente para depor estaria por trás de fraudes no processos de aposentadorias rurais.

A qualquer momento mais informações.

Polícia Ambiental: Mais cedo fomos informados de uma mulher também levada para prestar depoimentos sobre crimes ambientais. A mesma residente no Bairro Agarradinho, foi conduzida por agentes ambientais. 
 Sobre este fato a qualquer momento mais informações.

Segunda vez que a PF apura fraudes em aposentadorias em Itiruçu

No ano passado, 2017, no dia 27 de Junho uma operação da Polícia Federal resultou numa prisão e várias coercitivas numa investigação sobre fraudes para obtenção de aposentadorias.

Na época a Operação Inredux, com o objetivo de desarticular um esquema ilícito de fraudes à Previdência Social descoberto em Itiruçu, a 347 quilômetros de Salvador.

Segundo a PF, forão cumpridos um mandado de prisão e seis mandados de condução coercitiva e busca e apreensão em Itiruçu; dois mandados de condução coercitiva em Jaguaquara e um de condução coercitiva em Laje do Tabocal.

A PF não divulgou os nomes dos alvos nem detalhou em quais locais das cidades os mandados são cumpridos.

Segundo a Polícia Federal, as investigações da operação começaram em 2014, a partir de denúncias de que uma pessoa, que não teve o nome divulgado, atuaria de maneira irregular na intermediação de requerimentos de benefícios junto à agência da Previdência Social em Itiruçu, cidade do centro-sul baiano.

Após o cumprimento de mandado de busca no escritório de uma pessoa investigada e a obtenção de informações com a agência da Previdência, foram identificados vários requerimentos de benefícios previdenciários de natureza rural, instruídos com documentos falsos, a exemplo de certidões de nascimento e contratos de empréstimo.

A polícia também verificou a falsificação de declarações de atividade rural, que eram obtidas junto a sindicatos de pequenos produtores rurais de Itiruçu, Lajedo do Tabocal e Lafaiete Coutinho. A PF suspeita que os responsáveis pelos sindicatos tinham participação no esquema criminoso.

A PF diz que, mesmo após o cumprimento do mandado de busca, o investigado continuou com com a prática ilícita e ainda passou a orientar testemunhas a mentir aos investigadores para acobertar seu envolvimento nas fraudes. A atitude "irredutível" do investigado, persistindo no crime, foi o que justificou o nome da operação: "Inredux" (em latim, "irredutível").


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif