Cores da Saúde, março mês do combate do câncer colorretal - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Garota que não falava, surpreende cantando em evento escolar

A adolescente nunca falou na escola depois de vários anos resolveu cantar.  Grande emoção no evento desta quinta-feira(22) no Centro...


Espaço publicitário


EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)

O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Cores da Saúde, março mês do combate do câncer colorretal

Por: Redação Itiruçu Notícias - sábado, 10 de março de 2018 - 0 Comentários

Março é azul marinho no combate ao  câncer que afeta o intestino grosso



O câncer colorretal corresponde aos tumores que afetam o cólon (intestino grosso) e o reto. Normalmente, a doença se inicia a partir de pólipos (lesões benignas) que podem crescer, agravando o quadro da doença. Quando detectado precocemente, a taxa de sobrevida em cinco anos é de 90%. Quando os linfonodos regionais (gânglios que atuam na defesa do organismo e produzem anticorpos) já estão comprometidos, esse índice cai para 70%.
Este é o terceiro tipo de câncer mais frequente em homens, com estimativa de mais de 15 mil novos casos em 2014, e o segundo mais comum em mulheres, com 17,5 mil novos diagnósticos neste ano, segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer, órgão do Ministério da Saúde).

O câncer colorretal tem maior chance de desenvolvimento em pessoas acima dos 50 anos de idade e quando houver casos anteriores na família. Outros fatores de risco são baixo consumo de cálcio, obesidade e sedentarismo. Doenças inflamatórias do intestino também podem indicar alto risco.
A prevenção compreende uma dieta rica em vegetais e laticínios e pobre em gordura. Deve-se evitar o consumo exagerado de carne vermelha e manter uma prática regular de atividade física.

Alguns dos sintomas que podem indicar o desenvolvimento da doença são mudança no hábito intestinal (diarreia ou prisão de ventre), desconforto abdominal com gases ou cólicas, sangramento nas fezes ou anal e sensação de que o intestino não esvaziou mesmo após a evacuação. Pode haver, ainda, perda de peso, cansaço, alteração na aparência das fezes, náuseas e vômitos. Pessoas com mais de 50 anos com anemia sem causa aparente e com suspeita de perda crônica de sangue devem ficar atentas.

A detecção precoce do câncer colorretal pode ser feita por meio de exame de sangue oculto nas fezes e colonoscopia (exame de imagem que permite a visualização interna do intestino). O diagnóstico é feito através de uma biópsia (exame de fragmento de tecido retirado da lesão suspeita). Quando comprovado que a pessoa tem a doença, o tratamento pode ser feito, inicialmente, com uma cirurgia (precedida ou não por radioterapia e quimioterapia) para retirar a parte afetada do intestino e os nódulos linfáticos próximos à região. A complementação terapêutica com radioterapia e/ou quimioterapia vai depender da localização da doença, do tratamento anterior à cirurgia, do grau de invasão da doença e da presença de gânglios contaminados pelo tumor.
Fonte Milagre do Verbo Agência de Comunicação


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação