Homenagem: Dr. Antenor, homem que cuidou das dores de Itiruçu - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Motorista alcoolizado que provoca morte. Qual a punição?

O comportamento do brasileiro no trânsito encontra-se longe do recomendável. O número de motoristas que dirigem alcoolizados, inclusive...

Histórias que o Povo Conta

A história que o povo conta; O Retratista

Paulo Borges de Oliveira, natural de Castro Alves – BA, nascido em 18/11/1918, chegou em Itiruçu –BA, em 1950, foi comerciante juntamente com seu irmão Otávio (já falecido), na antiga rua da Lancha, hoje Moisés Almeida, mas, anos depois dedicou – se inteiramente a profissão de fotógrafo.
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

A Ganância e a Discórdia a felicidade dos invejosos

Aquele que semeia a discórdia é terrível. Não gosta de ver a paz reinar em canto algum, parece que se agonia com isso.

Qual o objetivo das pessoas que agem desta forma? Será que essa atitude provoca prazer em determinadas pessoas? Ou seria o ego de pessoas invejosas que se sentem felizes provocando infelicidades.

Fazendo minhas análises sobre certas atitudes humanas percebi que pessoas infelizes são as que mais disseminam discórdias e a maior delas sempre está relacionada com algum tipo de fofoca raivosa.

Aquela que numa simples palavra já se percebe o rancor interior de quem fez. E se estivermos perto de quem fez a fofoca raivosa nota-se no semblante da pessoa um certo alívio pela maldade que provocou ou até um sorriso nos lábios achando-se vitorioso...CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Homenagem: Dr. Antenor, homem que cuidou das dores de Itiruçu

Por: Redação Itiruçu Notícias - sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018 - 0 Comentários

Dr. Antenor Rodrigues Costa, uma referência para uma cidade



Lá se vão mais de 45 anos de sua partida, mas ninguém o esquece, permanece vivo na memória do povo de Itiruçu, antiga Tiririca, pequena cidade que um dia ele tão bem cuidou. Exercia a medicina como um sacerdócio, tinha como missão  nessa terra: cuidar de todos, preferencialmente dos mais pobres. Não poucas vezes, como forma de pagamento, recebia galinhas, porcos, bananas, farinha. Seu velho JEEP,  mais tarde, sua  RURAL WILLYS, era a ambulância da cidade, ele, o seu motorista. Seu humilde consultório era o hospital da cidade. Dá mulher, na hora do parto, ao louco da cidade, todos a ele recorria, não tinha ESPECIALIDADES, cuidava tanto do corpo, quanto da alma daquele povo esquecido. Como forma de gratidão, as famílias lhe oferecia um filho para batizar - inclusive a minha. Assim, ao longo do tempo, ele se tornou PADRINHO de metade da cidade. Morreu pobre. Nunca fez da profissão, e do amor que o povo da cidade tinha por ele, um trampolim para tornar-se um político. Seguindo os passos do juramento de Hipócritas, soube manter "a honra e as nobres tradições da profissão medica". O poeta Fernando pessoa diz em um verso seu, que "o valor das coisas  não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis". Assim era Dr. Antenor, um ser humano diferenciado, uma pessoa incomparável. Um dia este NOBRE homem cuidou das dores de Itiruçu. Itiruçu ficou-lhe eternamente grata.
Texto d o Prof Dr Joceval Bitencourt via WhatsApp


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores