Odebrecht confessa cartel nos governos PSDB de SP, diz jornal - Itiruçu Notícias
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Ministerio publico é acionado contra a Embasa

Consumidores espera que Ministério Publico defenda a população contra o mal serviço da Embasa. Moradores de Itiruçu entraram nesta ...


Passeio Cicloturismo de Itiruçu



EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)

O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

CONTINUE LENDO


COLUNISTAS




MAIS LIDAS DO MÊS


Odebrecht confessa cartel nos governos PSDB de SP, diz jornal

Por: Redação Itiruçu Notícias - terça-feira, 19 de dezembro de 2017 - 0 Comentários


A construtora Odebrecht entregou uma série de documentos à Superintendência-Geral Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que apontam a formação de cartel para as obras do Rodoanel e em obras de desenvolvimento viário no estado de São Paulo.
Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, o esquema ocorreu entre 2004 e 2015, durante as gestões tucanas de Geraldo Alckmin, José Serra e Alberto Goldman, além de Claudio Lembo, do antigo PFL.
As obras envolvidas no esquema de corrupção geraram um custo de 10 bilhões de reais ao governo do estado.
Além do rodoanel, na lista e projetos estavam a construção do Complexo Jacú-Pêssego, a expansão das faixas da marginal do Rio Tietê, e obras nas avenidas Roberto Marinho, Chucri Zaidan, Cruzeiro do Sul e Sena Madureira.
No processo de expansão da malha metroviária de São Paulo, pelo menos 11 empresas participaram do cartel.
São elas: Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Carioca, Constran, Marquise, Serveng, NWH Brasil e TD/BR.
O esquema visava as obras das linhas 2-Verde e 5-Lilás do Metrô, além das Linhas 22 e do M’Boi Mirim do Monotrilho, todos na capital paulista.
As investigações, que devem ser divulgados nesta terça-feira, são parte do acordo de leniência firmado entre a Odebrecht, o Cade e o Ministério Público Federal em São Paulo.
As investigações não têm um prazo definido para seres concluídas, mas segundo a Folha, a previsão é que o processo seja finalizado no final do primeiro trimestre de 2018.
Foto reprodução


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação