Novas empresas compensa desisnvestimento do governo federal na Bahia - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Assaltantes levam moto na zona Rural de Itiruçu

Uma moto Honda Bros, cor vermelha e placa NZU-2191 de Itiruçu, foi tomada de assalto por dois elementos armados na região do Assentamento...

Histórias que o Povo Conta

A história que o povo conta; O Retratista

Paulo Borges de Oliveira, natural de Castro Alves – BA, nascido em 18/11/1918, chegou em Itiruçu –BA, em 1950, foi comerciante juntamente com seu irmão Otávio (já falecido), na antiga rua da Lancha, hoje Moisés Almeida, mas, anos depois dedicou – se inteiramente a profissão de fotógrafo.
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

A Ganância e a Discórdia a felicidade dos invejosos

Aquele que semeia a discórdia é terrível. Não gosta de ver a paz reinar em canto algum, parece que se agonia com isso.

Qual o objetivo das pessoas que agem desta forma? Será que essa atitude provoca prazer em determinadas pessoas? Ou seria o ego de pessoas invejosas que se sentem felizes provocando infelicidades.

Fazendo minhas análises sobre certas atitudes humanas percebi que pessoas infelizes são as que mais disseminam discórdias e a maior delas sempre está relacionada com algum tipo de fofoca raivosa.

Aquela que numa simples palavra já se percebe o rancor interior de quem fez. E se estivermos perto de quem fez a fofoca raivosa nota-se no semblante da pessoa um certo alívio pela maldade que provocou ou até um sorriso nos lábios achando-se vitorioso...CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


Novas empresas compensa desisnvestimento do governo federal na Bahia

Por: Redação Itiruçu Notícias - sábado, 9 de dezembro de 2017 - 0 Comentários


O estado da Bahia fecha o ano com a implantação de mais 73 novas empresas, que, em conjunto, geraram R$ 3,9 bilhões em investimentos e a criação de 5,5 mil empregos. Os dados, segundo o superintendente de Atração e Desenvolvimento de Negócios da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), Paulo Guimarães, são o resultado da política adotada pelo governo para a atração de novos investimentos para o Estado.

“Estamos hoje, tentando diversificar a matriz industrial, seja incentivando a vinda de novos empreendimentos em área como energia solar e eólica, calçadista e mineral, como também atuando em conjunto com empresas privadas do setor de petróleo e gás para alavancar esse segmento”, afirmou.
O interesse das empresas em se instalar na Bahia continua crescendo, segundo Guimarães. Este ano, por exemplo, foram assinados 91 protocolos de intenções com previsão de gerar investimentos da ordem de R$ 3,9 bilhões e 11 mil empregos. A meta do governo do Estado, até 2019, é que sejam implantados 342 novos empreendimentos na Bahia, com previsão de aporte de investimentos de R$ 22 bilhões e geração de 24 mil empregos.

Na avaliação do superintendente da SDE, a escolha da Bahia para a implantação de novos empreendimentos ocorre por um conjunto de fatores. Guimarães destaca, dentre outros, a localização geográfica estratégica entre o sudeste e o nordeste do país, o potencial ambiental para empresas do segmento de energia eólica, solar e mineral, bem como o investimento do Estado em infraestrutura viária. Outro fator importante, avalia, é o ambiente político e a seriedade do governo baiano em cumprir os compromissos assumidos. “Isso tudo contribui para o Estado da Bahia continuar atraindo novos investimentos para cá”, diz ele.

A indústria calçadista Ferracini, por exemplo, um dos segmentos industriais que mais contratam mão-de-obra, começa a operar em Alagoinhas já no início de 2018, empregando 300 pessoas e investindo R$ 12 milhões em sua nova fábrica. Outra empresa que inicia suas atividades em Camaçari, com a contratação de 215 empregos, no mesmo período é a IME, indústria de máquinas e equipamentos de instrumentação analítica. A empresa investiu R$ 12 milhões em sua fábrica em Camaçari.

A crise econômica que reduziu a atividade produtiva no País, segundo o superintendente da SDE, não foi suficiente para frear os investimentos do governo do Estado. O estado baiano é o segundo maior investidor em obras públicas do País, só perdendo para São Paulo. O investimento baiano chega a R$ 1 bilhão, contra pouco mais de R$ 3 bilhões em São Paulo. “O mais surpreendente é o fato de a Bahia deter apenas 4,5% da economia do Brasil, enquanto São Paulo representa 35% da riqueza nacional”, explica Guimarães. “Isso significa que, como a Bahia é bem administrada, o governo consegue pagar suas contas e ainda investir em obras”, diz.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores