MST? A verdade sobre a invasão de fazenda no Oeste baiano - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Casa da Cultura treme enquanto se realizava reunião

Reunião é transferida ao perceber que Casa da Cultura em Itiruçu começou a tremer.  Na manhã desta sexta-feira(22) por volta das 9h...


Espaço publicitário


EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)

O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


MST? A verdade sobre a invasão de fazenda no Oeste baiano

Por: Ed Santos - terça-feira, 7 de novembro de 2017 - 0 Comentários

Cerca de 500 moradores do município de Correntina no Oeste da Bahia, invadiram na manhã do último dia dois de novembro as fazendas Igarashi e Curitiba, que ficam a 129 km da sede do município, próximas ao Distrito do Rosário. O motivo da invasão é um protesto contra o assoreamento do rio Arrojado que abastece a cidade e que segundo os moradores está secando em virtude do proprietário dos imóveis está usando os recursos hídricos para a produção.

Informações levantadas junto à imprensa daquela região apontam que houve um grande estrago na fazenda. A população revoltada ateou fogo em tratores, caminhões, galpões e os sistemas de irrigação que cooptava água dos rios foram destruídos. Os rebeldes gritavam palavras de ordem pela defesa do manancial.

A polícia foi acionada na mesma tarde, conteve os invasores e conduziu dezenas de pessoas para prestarem depoimentos. Todos foram liberados. O clima ficou tenso já que a rebelião ameaçava aumentar uma vez que pelo whatsapp muitos conclamavam a população do município a se unir nos protestos.  Segundo os manifestantes, a invasão, ocupação e destruição foram respostas ao governo do Estado da Bahia que mesmo após audiências públicas e reclamações não tomou nenhuma providência contra a exploração dos rios do Cerrado.

Informações da Secretaria Estadual de Meio Ambiente da Bahia comprovam que as fazendas têm autorização da Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) para tirar água do rio.
O grupo Igarashi, que controla as duas fazendas, conseguiu a outorga d’água em 2015 para irrigar 2.530 hectares com volume de 180 mil metros cúbicos/dia. No local, estão instalados 32 pivôs que retiram água diretamente do leito do Rio Arrojado.

Veja o vídeo:

Fonte:http://www.matutar.com.br/correntina/populacao-se-revolta-e-invade-duas-fazendas-de-correntina/

OBSERVAÇÃO: A desinformação causada por boateiros de plantão, que estavam usando o vídeo do protesto para acusarem o MST e até a CUT, pasmem os senhores, de serem os autores da invasão. E mais. Que a invasão era para ocuparem as terras, que são produtivas. Como o texto acima, extraído da imprensa local, mostra era mentira. Não é a CUT, nem o MST, tratava-se de uma invasão, mas por moradores que queriam a proteção do rio que abastece a cidade.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação