MST? A verdade sobre a invasão de fazenda no Oeste baiano - Itiruçu Notícias
Arrow
Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Reflexão do sofrimento superado pela Fé

As lágrimas escorrem como sangue de uma ferida, difícil de estancar.
As batidas do coração doem a cada pulsação.
O olhar que não encontra uma saída nem mesmo alguém que possa compreender, quando se está no chão.
Não há uma mão pra te levantar, mas várias para te empurra no abismo. Apagar a luz no fim do túnel com um sopro para que não enxergue a saída.
Mas com tua em fé em Deus, louvai, porque ele é bom
Em Salmos 107.06 diz “E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.”
Pois Deus conhece as duas dores e os seus sofrimento .
Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a maldade tapará a boca.
Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as bondades do Senhor. Salmos 107:42,43 CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


MST? A verdade sobre a invasão de fazenda no Oeste baiano

Por: Ed Santos - terça-feira, 7 de novembro de 2017 - 0 Comentários

Cerca de 500 moradores do município de Correntina no Oeste da Bahia, invadiram na manhã do último dia dois de novembro as fazendas Igarashi e Curitiba, que ficam a 129 km da sede do município, próximas ao Distrito do Rosário. O motivo da invasão é um protesto contra o assoreamento do rio Arrojado que abastece a cidade e que segundo os moradores está secando em virtude do proprietário dos imóveis está usando os recursos hídricos para a produção.

Informações levantadas junto à imprensa daquela região apontam que houve um grande estrago na fazenda. A população revoltada ateou fogo em tratores, caminhões, galpões e os sistemas de irrigação que cooptava água dos rios foram destruídos. Os rebeldes gritavam palavras de ordem pela defesa do manancial.

A polícia foi acionada na mesma tarde, conteve os invasores e conduziu dezenas de pessoas para prestarem depoimentos. Todos foram liberados. O clima ficou tenso já que a rebelião ameaçava aumentar uma vez que pelo whatsapp muitos conclamavam a população do município a se unir nos protestos.  Segundo os manifestantes, a invasão, ocupação e destruição foram respostas ao governo do Estado da Bahia que mesmo após audiências públicas e reclamações não tomou nenhuma providência contra a exploração dos rios do Cerrado.

Informações da Secretaria Estadual de Meio Ambiente da Bahia comprovam que as fazendas têm autorização da Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) para tirar água do rio.
O grupo Igarashi, que controla as duas fazendas, conseguiu a outorga d’água em 2015 para irrigar 2.530 hectares com volume de 180 mil metros cúbicos/dia. No local, estão instalados 32 pivôs que retiram água diretamente do leito do Rio Arrojado.

Veja o vídeo:

Fonte:http://www.matutar.com.br/correntina/populacao-se-revolta-e-invade-duas-fazendas-de-correntina/

OBSERVAÇÃO: A desinformação causada por boateiros de plantão, que estavam usando o vídeo do protesto para acusarem o MST e até a CUT, pasmem os senhores, de serem os autores da invasão. E mais. Que a invasão era para ocuparem as terras, que são produtivas. Como o texto acima, extraído da imprensa local, mostra era mentira. Não é a CUT, nem o MST, tratava-se de uma invasão, mas por moradores que queriam a proteção do rio que abastece a cidade.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif