Custo para barra denuncias contra Temer chega a mais de R$ 32 Bi - Itiruçu Notícias
Arrow
Vídeo sobre a leucemina

Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Opinião: O primeiro discurso da ministra do STF em 2018

Na sessão solene que marcou a abertura do Ano Judiciário de 2018, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, disse na manhã desta quinta-feira, 1, que é ”inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça” e que sem ”Justiça não há paz”. ”Pode-se ser favorável ou desfavorável à decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial, pelos meios legais, pelos juízos competentes. É inadmissível e inaceitável desacatar a justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do Direito não é justiça, senão vingança ou ato de força pessoal”, discursou Cármen. ”Sem liberdade, não há democracia. Sem responsabilidade, não há ordem. Sem justiça, não há paz”, completou a presidente do STF... CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Custo para barra denuncias contra Temer chega a mais de R$ 32 Bi

Por: Redação Itiruçu Notícias - quinta-feira, 26 de outubro de 2017 - 0 Comentários


O país da impunidade como é conhecido o Brasil as inversões de valores  está sendo institucionalizada . O presidente da Republica Michel Temer depois de prova com gravações, malas e caixas  com dinheiros com fortes indícios de seus envolvimento  mais uma vez uma a maquina publica para se manter no poder. 
Segundo o Estadão a negociação política para barrar as duas denúncias criminais contra o presidente Temer, teve  um custo que pode chegar a R$ 32,1 bilhões.
Essa é a soma de diversas concessões e medidas do governo negociadas com parlamentares da Câmara entre junho e outubro, desde que Temer foi denunciado pela primeira vez, por corrupção passiva, até a votação da segunda acusação formal, pelos crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça votada  nesta quarta-feira, 25, pelo deputado que na sua maioria votou pela absolvição de Temer .
O preço para impedir o prosseguimento das denúncias supera em R$ 6 bilhões os recursos previstos por Temer para pagar parcelas de famílias beneficiárias do programa Bolsa Família ao longo do ano que vem. O programa de complementação de renda foi orçado em R$ 26 bilhões, em 2018. Também é maior do que o custo total para a construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte, atualmente estimado em cerca de R$ 30 bilhões.
Temer teve 251 votos ao seu favor e 233 contra, barrando a denuncia e institucionalizando a impunidade no país.

Entre o baiano que colaboram  para permaneça de Temer estão os deputados
Antonio Imbassahy - Sim
Arthur Oliveira Maia - Sim
Benito Gama - Sim
Cacá Leão - Sim
Claudio Cajado - Sim
Elmar Nascimento - Sim
João Carlos Bacelar - Sim
José Carlos Aleluia - Sim
José Rocha - Sim
Márcio Marinho - Ausente
Lucio Vieira Lima - Sim
Mário Negromonte Jr. - Sim
Paulo Azi - Sim
Roberto Britto - Sim
Ronaldo Carletto - Sim

Os que votaram contra a permaneça de Temer foram:

Afonso Florence - Não
Alice Portugal - Não
Antonio Brito - Não
Bacelar - Não
Bebeto - Não
Caetano - Não
Daniel Almeida - Não
Davidson Magalhães - Não
Félix Mendonça Júnior - Não
Fernando Torres - Não
Irmão Lazaro - Não
João Gualberto - Não
Jorge Solla - Não
José Nunes - Não
Jutahy Junior - Não
Nelson Pellegrino - Não
Sérgio Brito - Não
Paulo Magalhães - Não
Uldurico Junior - Não
Valmir Assunção - Não
Waldenor Pereira - Não

Dois deputado não compareceram , mas na primeira denuncia votaram a favor da permanecia de Temer:
Erivelton Santana - Ausente
José Carlos Araújo - Ausente


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

ENQUETE
Você votaria em quem para presidente?

Álvaro Dias (Podemos)
Ciro Gomes (PDT)
Cristovam Buarque (PPS)
Eymael (PSDC)
Fernando Collor (PTC)
Geraldo Alckmin (PSDB)
Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
João Amoêdo (Novo)
Levy Fidelix (PRTB)
Lula da Silva (PT)
Manuela D'Ávila (PC do B)
Marina Silva (Rede)
Valéria Monteiro (PMN)
Outro
Nenhum