Bandidos usam celular para aplicar golpes em prefeitos - Itiruçu Notícias
Arrow
MENSAGEM DE ANO NOVO

Campanha


EDITORIAL

Viajando no tempo: do Jornal Itiruçu, evoluindo até o Itiruçu Notícias


O tempo urge e as memórias ficam, para revela a sua história. Recebi do amigo poeta Claudio Fernandes uma lembrança dos primeiros passos na área da informação. Na época não tinha internet, blogs, redes sociais, sites muito mesmo WhatsApp, mas já naquela época dávamos os primeiros passos na área da comunicação escrita. CONTINUE LENDO


COLUNISTAS

Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS EM 2017


Bandidos usam celular para aplicar golpes em prefeitos

Por: Redação Itiruçu Notícias - terça-feira, 10 de outubro de 2017 - 0 Comentários


Os prefeitos de três cidades do sul da Bahia foram vítimas de golpes após clonagem do aplicativo de bate-papo do celular de cada um deles. Segundo a  a Polícia Civil, os criminosos entravam em contato com amigos dos prefeitos e pediam dinheiro. Algumas pessoas caíram no golpe e realizaram depósitos.
Conforme a polícia, os criminosos conseguiram trocar mensagens e pedir dinheiro a contatos dos prefeitos de Ibirapuã, Calixto Antônio Ribeiro; de Alcobaça, Léo Brito; e da cidade de Prado, Mayra Brito.
Os prefeito de Alcobaça e a prefeita de Prado Mayra Brito  vitimas  em suas paginas alertaram seus amigos com a mesma mensagem "Pessoal, clonaram meu número de telefone e estão entrando em meus contatos de WhatsApp pedindo para fazer transferência bancaria. Me excluam dos grupos para a pessoa não ter acesso ao contato de vocês. É golpe. Estou tentando resolver com a operadora. Não Façam nenhum tipo de Transferência!"
A prefeita de Prado  anunciou que o seu  número de telefone e WhatsApp já normalizado.
Segundo informações do G1 foram os amigos do prefeito Calixto Antônio que caíram no golpe. Ele não descobriu imediatamente que teve o aplicativo clonado, pois estava em um velório e o celular ficou desligado por cerca de três horas. Apenas quando ele saiu do velório e retornou à prefeitura que descobriu que tinha alguém se passando por ele.
"Quando cheguei na prefeitura fui para uma reunião e pedi a meu irmão para ver meu Whatsapp e ele disse: 'Seu whatsapp não entra'. Fui ver o sinal do telefone e não estava funcionando. Depois recebi uma ligação e a pessoa falou: 'O senhor recebeu o depósito que eu fiz para a senhora, que o senhor mandou?'. Daí eu disse: 'Eu não pedi para fazer depósito'", relatou Calixto.
Calixto fez um boletim de ocorrência. Procurou a operadora de celular e descobriu que o número dele foi desabilitado


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif