O cantor Zezé Di Camargo disse que o Brasil "não teve Ditaura Militar" - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Casa da Cultura treme enquanto se realizava reunião

Reunião é transferida ao perceber que Casa da Cultura em Itiruçu começou a tremer.  Na manhã desta sexta-feira(22) por volta das 9h...


Espaço publicitário


EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)

O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


O cantor Zezé Di Camargo disse que o Brasil "não teve Ditaura Militar"

Por: Redação Itiruçu Notícias - terça-feira, 12 de setembro de 2017 - 0 Comentários


O cantor Zezé Di Camargo se diz ser uma pessoa  inteiramente imperativo, determinado naquilo que se propõe a fazer e muito politizado, segundo suas próprias palavras em entrevista a Leda Nagle no seu canal no YouTube nesta segunda (11).
O músico também afirmou que já recebeu propostas para se candidatar, mas que não aceitou por não ter "vocação para exercer". "Já conversei com alguns políticos, eles ficam impressionados com meus conhecimentos políticos", se exalta. 
Sobre o período da ditadura militar  no Brasil ele disse: "Muito gente confunde militarismo com ditadura, todo mundo fala 'nós vivíamos numa ditadura'. Nós não vivíamos numa ditadura, nós vivíamos num militarismo vigiado. Ditadura é a Venezuela, Cuba com Fidel Castro, Hungria, Coreia do Norte, China. Esses são realmente ditadores. O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura daquelas que ou você está a favor ou você está morto", disse o músico.

A jornalista rebateu  o sertanejo de que, por 21 anos, a ditadura prendeu, torturou e matou muita gente.
Músico respondeu: "Mas não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta, como a gente vive até hoje, no mundo de hoje. Não dá para acreditar que muita gente ainda acredita que uma ditadura vai dar certo. Mas eu acho, eu acredito, as pessoas vão me achar maluco, não quero isso jamais pro Brasil, mas eu imagino que o Brasil hoje precisaria passar por uma depuração. O Brasil até podia pensar no militarismo para reorganizar a coisa e entregar de novo."

A Ditadura militar no Brasil foi o regime instaurado em 1 de abril de 1964 e que durou até 15 de março de 1985, sob comando de sucessivos governos militares. De caráter autoritário e nacionalista, teve início com o golpe militar que derrubou o governo de João Goulart, o então presidente democraticamente eleito. Com isso, fechou associações civis, proibiu greves, interveio em sindicatos e  fechou o Congresso Nacional e cassou mandatos de políticos por dez anos,  reabrindo depois  o Congresso impondo o projeto de uma nova Constituição, sem a instalação de uma Assembleia Constituinte, sem debates, sem contraditórios.
 A ditadura atingiu o auge de sua popularidade na década de 1970, no mesmo momento em que o regime censurava todos os meios de comunicação do país e torturava e exilava dissidentes.
O período foi marcado por  uma campanha de emprisionamento, suspensão de liberdade de imprensa, de eleições e cassações e prisões por posicionamento político, tortura e morte institucionalizada nos porões da ditadura,
Tudo isto que aconteceu e o cantor Zezé Di Camargo  não considerou que o Brasil teve uma ditadura!


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação