Nilo tratou como “absurdo” e “constrangimento” a operação da PF - Itiruçu Notícias
Arrow
Exerça sua cidadania



Passeio Cicloturismo de Itiruçu



EDITORIAL

Refletindo: A verdadeira política do verdadeiro cristão

O Evangelho é o caminho da verdade e da vida eterna, a política é o caminho do cidadão onde interfere diretamente na sua vida terrena (ALIMENTAÇÃO, MORADIA, SAUDE, EDUCAÇÃO, ESPORTE LAZER ETC.)
O Evangelho busca a paz espiritual, quanto à política favorece ou dificulta à vida da comunidade, porém um povo evangelizado com certeza a política só faz favorecer, pois a comunidade sabe o que é o melhor para ela.
A política não se reúne em atividades partidárias, eleições, lideres etc. e sim em um conjunto de atividades que o cidadão deve sentir com o seu dever e direito de estar presente, compromisso da realidade social, não pregando discórdia e sim a união porque o cristianismo deve evangelizar na totalidade da existência humana, inclusive na dimensão da política.

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : Eleições em Itiruçu

Eleições  serão realizada neste domingo dia 07 de outubro.  Se a mesma empolgação dos eleitores para as eleições do próximo domingo...


MAIS LIDAS DO MÊS


Nilo tratou como “absurdo” e “constrangimento” a operação da PF

Por: Redação Itiruçu Notícias - quarta-feira, 13 de setembro de 2017 - 0 Comentários


Depois de ser alvo da "Operação  Opinião" ação conjunta  entre Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal, o Deputado  Marcelo Nilo (PSL) se pronunciou sobre o caso. O Deputado tratou como “absurdo” e “constrangimento” a operação. (Relembre o caso).
Segundo as investigações Ex-presidente da AL-BA, Nilo é suspeito de controlar a empresa Bahia Pesquisa e Estatística (Babesp) – conhecida no meio político como “DataNilo” .
Nilo  em seu discurso na AL-BA disse:"Me lembro daquela frase do ex-governador da Bahia Otávio Mangabeira: ‘pense no absurdo, na Bahia haverá precedentes’. Fui surpreendido com a presença da PF e do Ministério Público Eleitoral (MPE) numa busca e apreensão na minha residência"
O deputado negou ser o dono da  Babesp:  "Fui cliente da Babesp, como outros deputados. O instituto começou a acertar e a demanda aumentou. Vossas excelências pagavam ao diretor Roberto Matos, não ao deputado Marcelo Nilo. Eu contratei e da minha conta foi transferido o dinheiro para a Babesp"
Para Nilo, a operação não passa de uma “violência contra um parlamentar que tem 28 anos de vida pública”
"Eu perdi meu pai, perdi minha mãe, meu irmão, mas hoje é o dia mais difícil da minha vida. Um homem que nasceu na roça, no sertão, que morou em pensionato, estudou em colégio público, passa pelo constrangimento de ver sua residência ser ocupada para uma operação".


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

Campanha de Doação