Arrow
NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçuense Lara Pelagatti vence o Concurso Miss Bahia Teen 2019

A itirucuense Lara Giovanna Pelagatti de 16 anos, conquistou na noite deste sábado (17/08)no Teatro Diplomata, em Patamares na capital baiana, o título da 10ª edição do Concurso Miss & Mister Bahia Teen 2019 , representando a cidade de Itiruçu. A menina foi avaliada por um corpo de 12 jurados que são formadores de opiniões e profissionais da área de moda, fotografia, estética, jornalista, produtores, e Ex-Miss e Mister Bahia, sendo eleita a Miss Bahia Teen 2019 . Com tema “Revivendo as tradições Baianas” foram avaliados postura, andamento, simpatia, plástica, desenvoltura, estética e beleza com notas de 01 (um) a 05 (cinco)...CONTINUE LENDO
Ouça Vitória x Operário-PR ao vivo online



HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA

Dazo: Um exemplo de vida
Figura muito dócil e querida em toda Itiruçu, alegre e de temperamento fácil, cativante e prestativo; Estou falando de Gildásio Rodrigues de Souza, ou simplesmente DAZO, filho de D. Cecília, irmão de Lucy e Jaime Boró, e cunhado de Didi...
CONTINUE LENDO

EDITORIAL

A Fé realiza os desejos de nossos corações


A Fé é acreditar que uma coisa é verdade e agir de acordo com essa crença. Todo mundo tem fé em alguma coisa. A Bíblia diz que devemos ter fé em Deus e no Seu poder para mudar nossa vida. Somos salvos pela fé em Jesus. - Hebreus 11:6.
...CONTINUE LENDO
VERSÍCULOS BÍBLICOS

BÍBLIA!
PARE! LEIA! REFLITA! PRATIQUE!
CLIQUE AQUI

Livro comenta Estatuto da Igualdade Racial e Combate à Intolerância Religiosa

Por: Redação Itiruçu Notícias - quarta-feira, 6 de setembro de 2017 - 0 Comentários


Será lançado no próximo dia 14 de setembro, às 9:30h, no Foyer do Teatro Castro Alves - TCA o livro “Comentários ao Estatuto da Igualdade Racial e Combate à Intolerância Religiosa do Estado da Bahia”, uma publicação que reúne artigos de 21 autores e tem como organizadores  Cléia Costa dos Santos  e Sergio São Bernardo. Nesta obra, os autores demonstram  a pluralidade e a diversidade  de vozes que contribuíram e contribuem para a efetividade do estatuto, quer consagrou-se como  sendo a lei  da agenda das lutas de resistência .
Em suas reflexões os autores deixam claro que a Bahia deu o exemplo que é possível construir o seu arcabouço legal, de forma participativa, na medida em que, posto o projeto à discussão, o movimento social, a academia, os pensadores e articuladores sociais da pauta da igualdade substantiva foram chamados para o  debate, para as contribuições, resultando no texto avançado e pontuado de ações afirmativas.
Os comentários seguiram idêntica trajetória. Foram chamados 21 estudiosos do tema para compartilharem da análise do texto referência, marco legal e legítimo, do enfrentamento ao racismo estruturante da sociedade brasileira e baiana, verdadeiro farol no avanço das políticas públicas necessárias para a igualdade substantiva almejada.
Editado pela Ceala, o livro, segundo seus organizadores,  será também uma  fonte de pesquisa, fomentador de debates, de acesso a toda a sociedade e a compreensão que desse ponto de partida mais avanços poderão advir para o sistema normativo baiano e brasileiro.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores






MAIS LIDAS DO MÊS