“Se empréstimo não saiu na política, saiu na pressão”, diz Solla - Itiruçu Notícias - Itiruçu e Região conectados com a informação
Arrow

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Itiruçu: Plantão Escolar de matriculas vão até dia 08/02

A secretaria de Educação  do município de Itiruçu está realizado o esquema de plantão escolar matriculas em toda rede municipal de ens...


EDITORIAL

Refletindo: Histórias da politica de Itiruçu: O Otimista

Essa quem contava era o saudoso amigo Aguinaldo Pires (Gal Pires), ex- vereador e ex-presidente da câmara de Itiruçu, grande contador de causo, que morreu há três anos em um trágico acidente na BR-116 nas imediações de Itatim – BA.
1962, ano de eleição, em Itiruçu a disputa foi entre Valdeck Almeida (UDN), candidato do ex- prefeito Zé Bonfim e Josias Duarte (PSD), apoiado por Vivaldo Bastos e pelo ex-prefeito Geir Magalhães, tinha o povoado do Upabuçu como seu reduto eleitoral. Em um comício em Upabuçu, Josias percebeu certo desânimo no eleitorado, a incerteza da vitória era flagrante.
CONTINUE LENDO


COLUNA Êta lê lê



Êta lê lê Segunda-feira gorda do foguetório

Ao ter suas contas aprovadas por 7 a 2 na última sessão da Câmara de Vereadores da Boa Terra, o ex-prefeito Wagner Novaes era só alegria. Como os estampidos das bombas eram ouvidos nos quatro cantos da cidade, muitos ficaram imaginando o que teria acontecido:

"Quem chegou ou está indo para Bom Jesus da Lapa?";
"Hoje é festa de que Santo?";
"Aniversário de quem?";
"Quem tá jogando hoje?"

O que muitos não sabiam, era que a festa tinha um nome, Wagner Novaes. Este celebrava a vitória em casa, já que um pouco distante, 7 edis lhe dariam a honra de aprovar as suas contas públicas.

CONTINUE LENDO


MAIS LIDAS DO MÊS


“Se empréstimo não saiu na política, saiu na pressão”, diz Solla

Por: Itiruçu Notícias - quarta-feira, 23 de agosto de 2017 - 0 Comentários





A liberação por parte do Ministério da Fazenda de empréstimo internacional de R$ 600 milhões, captado pelo Governo do Estado, foi publicada no Diário Oficial no mesmo dia em que o ministro Henrique Meirelles poderia ser convocado para explicar o motivo da negativa em autorizar a operação financeira. Estava no primeiro ponto de pauta da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara (CFFC) desta quarta-feira (23) o requerimento apresentado por deputados do PT que pedia a convocação do ministro.
“Eu já tinha avisado (a Meirelles) se caso hoje o recurso não tivesse sido liberado, nós encaminharíamos a favor da convocação, já tratei com ele sobre esse assunto”, disse Cacá Leão, vice-líder do PP na Câmara. “Foi um processo muito desgastante para nós”, completou.
O deputado Jorge Solla, vice-líder do PT na Câmara, ressaltou que apenas a ameaça de convocação foi capaz de mudar a postura do governo. “Achamos importante trazer para a comissão porque esgotamos todos os canais de diálogo. É um assunto que ganhou a pauta de todos os veículos de comunicação. Infelizmente, se não resolve no diálogo, resolve na pressão. Meirelles temeu ter de vir e responder não só sobre o empréstimo, mas sobre as relações de seu enriquecimento e a JBS, que ele presidiu durante os últimos anos”, destacou o petista.
O empréstimo foi publicado no dia 17 de julho, mas necessitava de uma autorização do Ministério da Fazenda para que os recursos pudessem ser transferidos para o Governo do Estado via Banco do Brasil. Os recursos serão investidos em obras de infraestrutura viária, construção de aeroportos e barragens.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Colaboradores