Práticas agroecológicas de baianos encantam moçambicanos - Itiruçu Notícias
Arrow
Cores da Saúde: Julho Amarelo alerta sobre câncer nos ossos



Passeio Cicloturismo de Itiruçu


EDITORIAL

Reflexão do sofrimento superado pela Fé

As lágrimas escorrem como sangue de uma ferida, difícil de estancar.
As batidas do coração doem a cada pulsação.
O olhar que não encontra uma saída nem mesmo alguém que possa compreender, quando se está no chão.
Não há uma mão pra te levantar, mas várias para te empurra no abismo. Apagar a luz no fim do túnel com um sopro para que não enxergue a saída.
Mas com tua em fé em Deus, louvai, porque ele é bom
Em Salmos 107.06 diz “E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.”
Pois Deus conhece as duas dores e os seus sofrimento .
Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a maldade tapará a boca.
Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as bondades do Senhor. Salmos 107:42,43 CONTINUE LENDO


COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Práticas agroecológicas de baianos encantam moçambicanos

Por: Itiruçu Notícias - sexta-feira, 9 de junho de 2017 - 0 Comentários


Referência em preservação ambiental, agroecologia e produção de mudas de espécies da Mata Atlântica, o Assentamento Terra Vista, localizado no município de Arataca, onde vivem 55 famílias de agricultores familiares, recebeu, nesta quinta-feira (08), a visita de uma Missão composta por agricultores e representantes do Governo de Moçambique e da Bahia e do Banco Interamericano Reconstrução de Desenvolvimento (Bird/Banco Mundial).
A Missão tem o objetivo de promover um intercâmbio entre os governos do Brasil e de Moçambique, para o qual estão sendo apresentadas experiências baianas desenvolvidas nas áreas de conservação, regularização ambiental e fundiária. A iniciativa é do projeto Bahia Produtiva, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à SDR, e financiado pelo Banco Mundial.

Os agricultores do assentamento, que possui mais de 900 hectares, cultivam diversas árvores frutíferas e hortaliças reconhecidas como Produção Orgânica, além de um viveiro que produz cerca de 150 mil mudas por ano. Os integrantes da Missão conheceram o assentamento e ficam entusiasmados com o desenvolvimento do local.“O modo como é feito o manejo para a conservação da natureza, aproveitando o que ela pode dar para enriquecer nossa agricultura, e sem o uso de produtos químicos, é fantástico”, disse o agricultor moçambicano Ângelo Fonseca. Segundo ele, a questão da reposição das florestas é um assunto que lhe interessa muito porque em Moçambique temos problemas com a seca por conta do manejo com a mata. A experiência que vivenciamos vai ajudar a termos uma agricultura mais sustentável”.

Segundo Joelson de Oliveira, ¬um dos líderes do assentamento, faz 17 anos que o Terra Vista está fazendo a transição agroecológica. “A gente vem construindo uma relação com a natureza e nossa meta é ter soberania alimentar e produzir 90% dos nossos alimentos. É possível fazer um paraíso aqui na terra, mas pra isso é preciso preservar a mãe Terra”.
A especialista sênior em Desenvolvimento Rural, do Banco Mundial, que gerencia o projeto Bahia Produtiva, Fátima Amazonas, destacou que no Litoral Sul, tem uma Mata Atlântica em restauração, embora a maioria dos estados tenha uma diminuição desta área. “Mas aqui na Bahia e nas áreas voltadas para a agricultura familiar vem ocorrendo uma transformação de forma positiva com relação a essas áreas para utilização da agricultura, com sustentabilidade e com a utilização dessas plantas e dos recursos naturais para produção de alimentos, não somente para sustentabilidade das famílias, mas também para o desenvolvimento de atividades econômicas”.

De acordo com o coordenador do Bahia Produtiva, Fernando Cabral, o assentamento recebeu nos últimos anos investimentos do governo do Estado e, hoje, é um exemplo em termos de recuperação ambiental. “Há 20 anos conquistaram a terra bastante degradada e recuperaram a maior parte das nascentes, as matas ciliares e estão conseguindo conciliar desenvolvimento através dos sistemas agroflorestais, que é quando você preserva a floresta e ao mesmo tempo intercala com mudas frutíferas para geração de renda”.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif



São Pedro 2018

Melhores momentos - Por Wilson Novaes