Doença de Chagas tem alto risco de transmissão nos municípios baianos - Itiruçu Notícias
Arrow
Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Reflexão do sofrimento superado pela Fé

As lágrimas escorrem como sangue de uma ferida, difícil de estancar.
As batidas do coração doem a cada pulsação.
O olhar que não encontra uma saída nem mesmo alguém que possa compreender, quando se está no chão.
Não há uma mão pra te levantar, mas várias para te empurra no abismo. Apagar a luz no fim do túnel com um sopro para que não enxergue a saída.
Mas com tua em fé em Deus, louvai, porque ele é bom
Em Salmos 107.06 diz “E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.”
Pois Deus conhece as duas dores e os seus sofrimento .
Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a maldade tapará a boca.
Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as bondades do Senhor. Salmos 107:42,43 CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Doença de Chagas tem alto risco de transmissão nos municípios baianos

Por: Redação Itiruçu Notícias - domingo, 4 de junho de 2017 - 0 Comentários

Estudo da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) mostra que é considerado ‘alto’  o risco de transmissão da Doença de Chagas em 23% dos municípios baianos. Ainda segundo boletim epidemiológico da Sesab, de dezembro de 2016, a doença causada por um parasita encontrado no barbeiro, apresenta classificação de risco  ‘médio’ em 52% das cidades do estado.
“Muitas pessoas são infectadas pela doença de Chagas e não apresentam sintomas. Outras, falecem por insuficiência cardíaca e sequer desconfiam que os sintomas que levaram à morte foram causados pela doença”, afirmou o médico infectologista e responsável pelo Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Hospital Roberto Santos, Claudilson Bastos.
Para a representante da Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Sesab (Divep), Rose Carvalho, a subnotificação da enfermidade esconde informações como a mudança de perfil, que deixou de ser majoritariamente rural. “Antes, a doença só era registrada no interior. No entanto, onde há desmatamento de forma desordenada, há risco de infestação, pois estão retirando a fonte de alimentação do barbeiro. Dessa forma, eles acabam por entrar nas casas para se alimentar do sangue humano que, naturalmente, não é o seu alimento preferencial, mas o único disponível”.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a doença de Chagas afeta cerca de 8 milhões de pessoas em todo o mundo.  
Fonte Bahia Notícias


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif