Justiça Eleitoral pode cassar o mandato da Prefeita de Aurelino Leal - Itiruçu Notícias
Arrow
Vídeo sobre a leucemina

Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Opinião: O primeiro discurso da ministra do STF em 2018

Na sessão solene que marcou a abertura do Ano Judiciário de 2018, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, disse na manhã desta quinta-feira, 1, que é ”inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça” e que sem ”Justiça não há paz”. ”Pode-se ser favorável ou desfavorável à decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial, pelos meios legais, pelos juízos competentes. É inadmissível e inaceitável desacatar a justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do Direito não é justiça, senão vingança ou ato de força pessoal”, discursou Cármen. ”Sem liberdade, não há democracia. Sem responsabilidade, não há ordem. Sem justiça, não há paz”, completou a presidente do STF... CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Justiça Eleitoral pode cassar o mandato da Prefeita de Aurelino Leal

Por: Redação Itiruçu Notícias - segunda-feira, 8 de maio de 2017 - 0 Comentários

A Prefeita de Aurelino Leal, Elisângela Ramos (PP-BA), reeleita nas eleições do ano passado, popularmente conhecida como “Liu Andrade” da Coligação " Aurelino Leal Não Pode Parar!"(PRB, PDT, PT, PEN, PSD, PP, PHS, PSDB, PTC),   município localizado a 380 km da capital baiana, pode ter o mandato cassado caso seja comprovado pela Justiça Eleitoral as denúncias de crimes eleitorais cometidos pela gestora durante campanha à reeleição. O PSOL entrou com uma Ação de Investigação Judicial, processo nº 0000349.-72.2016.6.05.0073, para apurar indícios .de compra de votos, utilização indevida do dinheiro público com fins eleitorais, abuso de poder econômico e campanha antecipada em veículos de comunicação da região.  Nesta sexta-feira(5) a Justiça cassou o mandato do prefeito de São Mateus, Daniel Barbosa, por ter feito distribuição de água irregular no período de campanha.

O julgamento da Ação será em 15 de maio, às 9:30hs, no Fórum de Ubaitaba, com base na Lei Complementar nº 64\90, onde a atual prefeita terá que responder às acusações e comprovar  idoneidade para não perder  a administração municipal ou ser obrigada a pagar uma multa indenizatória. Caso o mandato seja cassado, serão realizadas novas eleições na cidade. “Diante do contexto de crise política e escândalos de corrupção precisamos, mais do que nunca, denunciar a utilização do dinheiro público para comprar votos.É um absurdo explorar a pobreza e exclusão da população para se manter no poder. O município encontra-se estagnado, fruto dos desvios que foram feitos no período da campanha”, afirma o Presidente Estadual do PSOL na Bahia, Ronaldo Santos.

O Presidente do PSOL de Aurelino Leal, Cristiano Pablo, destaca que o PSOL participa dos processos eleitorais de forma “limpa”, de acordo com as regras exigidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE ). “  Elisângela infringiu as leis  para garantir a reeleição!”, criticou.  A  agente de saúde do município, Eliane Rodrigues, frisa que os cidadãos “pagam o preço” dos desvios de verba pública. “ Esse dinheiro poderia ter sido investido na Saúde e na Educação mas, infelizmente, foi usado para objetivos particulares”, lamentou. O candidato a prefeito do PSOL no município, Toinho Cearense, ficou no segundo lugar na corrida eleitoral. 
informações Jaqueline Barreto


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

ENQUETE
Você votaria em quem para presidente?

Álvaro Dias (Podemos)
Ciro Gomes (PDT)
Cristovam Buarque (PPS)
Eymael (PSDC)
Fernando Collor (PTC)
Geraldo Alckmin (PSDB)
Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
João Amoêdo (Novo)
Levy Fidelix (PRTB)
Lula da Silva (PT)
Manuela D'Ávila (PC do B)
Marina Silva (Rede)
Valéria Monteiro (PMN)
Outro
Nenhum