Operação Mato Cerrado investiga fraudes na Bahia - Itiruçu Notícias
Arrow
MENSAGEM DE ANO NOVO

Campanha

EDITORIAL

Viajando no tempo: do Jornal Itiruçu, evoluindo até o Itiruçu Notícias


O tempo urge e as memórias ficam, para revela a sua história. Recebi do amigo poeta Claudio Fernandes uma lembrança dos primeiros passos na área da informação. Na época não tinha internet, blogs, redes sociais, sites muito mesmo WhatsApp, mas já naquela época dávamos os primeiros passos na área da comunicação escrita. CONTINUE LENDO

COLUNISTAS

Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS EM 2017


Operação Mato Cerrado investiga fraudes na Bahia

Por: Itiruçu Notícias - - terça-feira, 12 de julho de 2016 - 0 Comentários


A prefeitura do município baiano de Caatiba foi alvo de investigação da Polícia Federal (PF), Receita Federal, Controladoria Geral da União e Ministério Público Federal, na Operação Mato Cerrado, que apura desvios de recursos públicos da prefeitura municipal.
Durante a operação na manhã de hoje (12), que contou com mais de 100 agentes dos órgãos envolvidos na força-tarefa, foram cumpridos 22 mandados de busca em Caatiba, Vitória da Conquista, Planalto e na capital Salvador. A casa do atual prefeito de Caatiba, Joaquim Mendes de Souza Júnior, também teve objetos levados por policiais.

De acordo com a PF, as investigações identificaram irregularidades nas licitações para contratação de cooperativas nas áreas de transporte escolar, saúde e logística. As cooperativas teriam sido criadas apenas no papel, com características diferentes das exigidas na legislação. Além disso, as licitações teriam sido simuladas e superfaturadas, como apontam as investigações.
"O prefeito, após a eleição, assumiu o mandato [em 2013] com algumas dívidas de campanha que precisavam ser sanadas e, pra isso, utilizava licitações [irregulares] para contratar cooperativas que não existiam e conseguir dinheiro", conta o chefe da Delegacia da Polícia Federal em Vitória da Conquista, delegado Rodrigo Kolbe.

O atual prefeito de Caatiba, Joaquim Mendes de Souza Júnior, comandava todo o esquema, com a participação da esposa – que já foi Secretária de Saúde do Município –, do secretário Municipal de Administração, do assessor jurídico da prefeitura e do contador das pessoas jurídicas contratadas pela prefeitura.
A Polícia Federal informou ainda que a fraude em licitações para contratação de cooperativas de fachada permitia ao grupo envolvido favorecimento na área tributária, já que uma cooperativa otimiza, de acordo com a legislação, a prestação de serviço com a redução de custos. Além disso, cooperativas são isentas de tributos, como Imposto de Renda e a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido.

Com isso, o grupo teria pago cerca de R$ 15 milhões à cooperativa fantasma, com verbas destinadas à saúde e à educação. Desse total, R$ 5 milhões eram desviados de volta para os agentes públicos. Além disso, o grupo pode ter deixado de repassar mais de R$ 40 milhões à Receita Federal, em sonegação.
A PF disse que os envolvidos devem responder pelos crimes de responsabilidade, fraude em licitação, organização criminosa, além de ato de improbidade e, possivelmente, sonegação fiscal. O prefeito de Caatiba continua no exercício do mandato e ninguém foi preso nesta fase da operação.
Informações via Brasil 247


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif