MPF apura interrupção do sinal da Tim e Claro - Itiruçu Notícias
Arrow
Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Reflexão do sofrimento superado pela Fé

As lágrimas escorrem como sangue de uma ferida, difícil de estancar.
As batidas do coração doem a cada pulsação.
O olhar que não encontra uma saída nem mesmo alguém que possa compreender, quando se está no chão.
Não há uma mão pra te levantar, mas várias para te empurra no abismo. Apagar a luz no fim do túnel com um sopro para que não enxergue a saída.
Mas com tua em fé em Deus, louvai, porque ele é bom
Em Salmos 107.06 diz “E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.”
Pois Deus conhece as duas dores e os seus sofrimento .
Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a maldade tapará a boca.
Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as bondades do Senhor. Salmos 107:42,43 CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


MPF apura interrupção do sinal da Tim e Claro

Por: Itiruçu Notícias - quinta-feira, 21 de julho de 2016 - 0 Comentários

O Ministério Público Federal (MPF) em Guanambi (BA) está apurando o que causou a interrupção dos serviços de telefonia celular das operadoras Claro e Tim no município desde o dia 16 de julho. A partir de relatos e reclamações da população, o órgão encaminhou nesta quarta-feira, 20 de julho, ofício às duas operadoras de telefonia e à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para que prestassem esclarecimentos sobre o ocorrido.

Considerando a gravidade do problema e a necessidade urgente de resolvê-lo e de obter maiores esclarecimentos, o MPF fixou o prazo de 72 horas para resposta. O prazo regular de respostas a esse tipo de solicitação é de dez dias.

Desde o final da tarde de ontem, os serviços da Claro retornaram à normalidade, mas a Tim permanece inoperante. No ofício encaminhado à Anatel, o MPF solicitou que, caso a Agência não possua as informações solicitadas, seja aberto procedimento para apurar se houve falha na prestação do serviço pelas operadoras de telefonia Claro e Tim em razão da prolongada ausência de sinal.

O Ministério Público Federal apura a má prestação de serviços de telefonia móvel, fixa e de internet no Município de Guanambi desde setembro de 2015, por meio do Inquérito Civil nº 1.14.009.000217/2015-83.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif