Marrocos anuncia intenção de voltar à União Africana - Itiruçu Notícias
Arrow
Vídeo sobre a leucemina

Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Opinião: O primeiro discurso da ministra do STF em 2018

Na sessão solene que marcou a abertura do Ano Judiciário de 2018, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, disse na manhã desta quinta-feira, 1, que é ”inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça” e que sem ”Justiça não há paz”. ”Pode-se ser favorável ou desfavorável à decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial, pelos meios legais, pelos juízos competentes. É inadmissível e inaceitável desacatar a justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do Direito não é justiça, senão vingança ou ato de força pessoal”, discursou Cármen. ”Sem liberdade, não há democracia. Sem responsabilidade, não há ordem. Sem justiça, não há paz”, completou a presidente do STF... CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Marrocos anuncia intenção de voltar à União Africana

Por: Itiruçu Notícias - - domingo, 17 de julho de 2016 - 0 Comentários


O rei do Marrocos, Mohammed VI, anunciou neste domingo que "chegou o momento" de seu país se reintegrar à União Africana, 32 anos depois de ter se retirado em protesto à admissão da República Árabe Saharauí Democrática, proclamada pela Frente Polisário.
"Faz tempo que nossos amigos nos pedem para voltar, para que o Marrocos retome seu lugar natural no seio desta família institucional. Este momento chegou", disse o rei, em mensagem enviada a Kigali, onde se celebra a cúpula da União Africana.

O Saara Ocidental é uma antiga colônia espanhola, anexada em 1975 pelo Marrocos, mas reivindicada por separatistas da Frente Polisário.
Depois de anos de combates, uma trégua está em vigor desde 1991. Em 1992, estava previsto um referendo pela ONU, mas a realização foi adiada desde então.
O Marrocos "esta confiante na sabedoria da UA em restabelecer a legalidade e corrigir os erros".

"Mediante este ato histórico e responsável de retorno, o Marrocos espera trabalhar no âmbito da UA com vistas a superar as divisões", destacou a mensagem do monarca marroquino.
É o "momento de apartar as manipulações, o financiamento de separatismos (...) Sobre a questão do Saara, a África Institucional não pode suportar mais tempo a carga de um erro histórico e um legado obstaculizador", insistiu o monarca marroquino.
O retorno do Marrocos deve ser validado por uma votação no âmbito da União Africana.
AFP/Arquivos / FADEL SENNA


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

ENQUETE
Você votaria em quem para presidente?

Álvaro Dias (Podemos)
Ciro Gomes (PDT)
Cristovam Buarque (PPS)
Eymael (PSDC)
Fernando Collor (PTC)
Geraldo Alckmin (PSDB)
Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
João Amoêdo (Novo)
Levy Fidelix (PRTB)
Lula da Silva (PT)
Manuela D'Ávila (PC do B)
Marina Silva (Rede)
Valéria Monteiro (PMN)
Outro
Nenhum