Documentário conta a história de Edvaldo Valerio - Itiruçu Notícias
Arrow
Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Reflexão do sofrimento superado pela Fé

As lágrimas escorrem como sangue de uma ferida, difícil de estancar.
As batidas do coração doem a cada pulsação.
O olhar que não encontra uma saída nem mesmo alguém que possa compreender, quando se está no chão.
Não há uma mão pra te levantar, mas várias para te empurra no abismo. Apagar a luz no fim do túnel com um sopro para que não enxergue a saída.
Mas com tua em fé em Deus, louvai, porque ele é bom
Em Salmos 107.06 diz “E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.”
Pois Deus conhece as duas dores e os seus sofrimento .
Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a maldade tapará a boca.
Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as bondades do Senhor. Salmos 107:42,43 CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Documentário conta a história de Edvaldo Valerio

Por: Itiruçu Notícias - terça-feira, 26 de julho de 2016 - 0 Comentários

O curta-metragem documental “Baladágua” conta a história de Edvaldo Valério, único atleta negro do Brasil a conquistar uma medalha olímpica na natação. O feito do baiano, conhecido como Edvaldo “Bala” Valério, aconteceu no revezamento 4x100 em Sydney, 2000.

No filme, Edvaldo reconta como foi a trajetória dele até aquela conquista: a infância pobre em Salvador, a descoberta do talento na adolescência, os momentos de incerteza na juventude, os desafios diários contra o preconceito, a falta de apoio financeiro e até contra a genética, já que a formação física dos negros cria uma série de dificuldades para o desenvolvimento de um nadador de alto rendimento.

O documentário entrevista pessoas importantes para a trajetória de Edvaldo, como o ex-treinador Sérgio Silva, o medalhista Gustavo Borges e o narrador Galvão Bueno, que narrou a prova em que Edvaldo entrou para a história da natação brasileira.

Com cenas ficcionais e imagens da competição em Sydney, “Baladágua” ainda mostra a realização de um sonho de Edvaldo: pela primeira vez ele volta para a Austrália, na mesma piscina que o baiano garantiu a medalha de bronze, ao fechar o revezamento. Um momento único para alguém que marcou seu nome no esporte olímpico.

“Baladágua”, cujo roteiro é baseado no livro A Braçada da Esperança, de autoria de Raphael Carneiro, foi promovido pela Federação Baiana de Desportos Aquáticos, com patrocínio da Sudesb – Superintendência de Desportos da Bahia, autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte. A produção é da Olivas Filmes e a direção é de Eduardo Oliveira, que tem formação em Jornalismo e Produção Cultural, trazendo em seu currículo a realização de outros quatro curtas metragens.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif