Marilia Fontoura sai em defesa do Deputado Solla - Itiruçu Notícias
Arrow

Acesse e curta nossa FAN PAGE no Facebook




Anuncie aqui seu evento! Apoio cultural Itiruçu Notícias


Campanha


As mais visitadas


Colunistas

O Seu Direito

Êta, Lê, Lê


Utilidade Pública


CENIPA

PM

Marilia Fontoura sai em defesa do Deputado Solla

Edição: Itiruçu Notícias - - quinta-feira, 2 de junho de 2016 - 2 Comentários


Em resposta  as declarações do petista Jorge Assis que disse  que o Deputado Jorge Solla tem discurso afinado de ditador, por querer definir qual seria o candidato da oposição: (Relembre o caso). A esposa do Deputado,  Marília Fontoura saiu em defesa do companheiro: "Ainda não entendi o que exatamente irritou Jorge Assis".
"Solla em nenhum momento foi autoritário, apenas emitiu com firmeza sua opinião expressando o que apontou as pesquisas. Não mentiu, não agrediu nem desmereceu ninguém.  Disse que Jorge mora há muito tempo Sergipe e creditou a baixa pontuação na pesquisa a essa ausência, inferindo que o pessoal não o conhecia suficiente ( eu moro em Salvador e também continuo com vínculos com minha terra. Qual o problema?) " pontuou Marília.

Segundo informações de Marília Fontoura, Jorge  Assis não  teria pontuado  nem 1% na pesquisa sugerida em reunião com o PT e encomendada pelo mandato e quem pediu a pesquisa foi o Partido e algumas lideranças da oposição, pra saberem as possibilidades de cada um.
"Solla "adotou" Itiruçu e por aqui anda há exatos 33 anos. Adora vir descansar em Itiruçu, respeita, considera e é muito grato a nossa gente. Foi acolhido e por isso foi o mais votado entre os federais, portanto boa parte dos eleitores ou da população com certeza não tem a mesma opinião de Jorge" comentou.

Ainda segundo Marília, Solla não teria  mentido em suas declarações e não teria questionado o direito de Jorge se candidatar, emitiu sua opinião e preferência, justificando porque. e que em nenhum momento agrediu ou desqualificou ninguém. Que teria creditado aos números da pesquisa  imaginando que  talvez a rejeição ao nome de Jorge, fosse pelo fato dele morar fora e por isso não ser conhecido. "Isso não não é nenhum demérito. É normal e esperado" disse Marília.
"Agora, se alguém achar que não foi por não conhecer suficientemente a pessoa, o que justificaria a baixa aceitação e a alta rejeição que os números apontaram?" perguntou.
Ainda em defesa do companheiro ela  disse,   "Onde está o problema de um deputado preferir apoiar e botar fé numa determinada pré-candidata com chances eleitorais claras, apontada como favorita e referendada por pelo menos 3 pesquisas? Se o povo aponta uma preferência, porque  o deputado teria q ser contra? Outros ja anunciaram suas preferências e não houve tanta polêmica".

Segundo a Petistas  responder a uma "provocação" ou questionamento também não representa "briga" ou divergências insuperáveis entre pessoas que compõem, apoiam ou tentam ajudar na unidade das oposições e que  existem diferentes opiniões, diferentes pontos de vista, diferentes preferências e até contradições a serem superadas, e que isto faz parte da dinâmica do processo político para construção de qualquer possível aliança ou unidade.  "É muito bom q seja assim, com diálogo, discordâncias, concordâncias e até divergências a serem superadas no processo de construção de viabilidades ou consenso. Isso é democratizo,  transparente e aberto a consensos dissensos. Normal e naturalmente democrático".


Não se esqueça de ler isso também ...

2 comentários:

Deixe seu comentário

Publicidade

 photo dra rita coacutepia_zpsxcdxnsbz.png

 photo gilmarblogif_zpsi4cfgiei.gif
COMPRE AQUI

Ou pelo WhatsApp:
(11) 98109 7241