Rússia aponta dedo de Obama no golpe brasileiro - Itiruçu Notícias
Arrow
Vídeo sobre a leucemina

Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Opinião: O primeiro discurso da ministra do STF em 2018

Na sessão solene que marcou a abertura do Ano Judiciário de 2018, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, disse na manhã desta quinta-feira, 1, que é ”inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça” e que sem ”Justiça não há paz”. ”Pode-se ser favorável ou desfavorável à decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial, pelos meios legais, pelos juízos competentes. É inadmissível e inaceitável desacatar a justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do Direito não é justiça, senão vingança ou ato de força pessoal”, discursou Cármen. ”Sem liberdade, não há democracia. Sem responsabilidade, não há ordem. Sem justiça, não há paz”, completou a presidente do STF... CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Rússia aponta dedo de Obama no golpe brasileiro

Por: Itiruçu Notícias - - segunda-feira, 16 de maio de 2016 - 0 Comentários


"Um dos problemas mais importantes das relações internacionais contemporâneas é a tendência do Ocidente de manter a tudo o custo o domínio nos assuntos globais e regionais. A América Latina e o Caribe não são exceção. Notamos uma intensificação da política externa dos EUA nesta região, que vai até tentativas de interferir nos assuntos internos de alguns Estados”, disse o vice-ministro Sergei Ryabkov.
"As relações internacionais são um mecanismo muito complexo para que possam ser controladas por um centro único. A Rússia apoia que a América Latina ganhe mais independência no âmbito destas tentativas do Ocidente. Moscou gostaria que a região tornasse um dos pilares do mundo multipolar", continuou Ryabkov.

De acordo com o diplomata, a Rússia está interessada em desenvolver as relações com os líderes de todos os países latino-americanos, independentemente da sua liderança ou política externa escolhida.
"A decisão sobre a linha política externa é um direito soberano e o dever de qualquer Estado. Estamos abertos à cooperação com todos os governos legítimos dos países interessados”, acrescentou Ryabkov.
Segundo analistas, a cota-parte dos EUA no comércio com os países latino-americanos diminui de forma lenta, gradual e permanente. Países como a China, a Índia, a Rússia, bem como a Turquia e o Irã, tentam ocupar o lugar dos americanos.

Por isso, os EUA tentam fazer algo para preservar as suas posições em países da América Latina. Embora, na opinião do especialista, o Brasil conseguirá ultrapassar este período de instabilidade porque tem aspirações de grande potência, é um país muito grande para se tornar vítima dos planos norte-americanos. Leia mais: Sputniknews


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

ENQUETE
Você votaria em quem para presidente?

Álvaro Dias (Podemos)
Ciro Gomes (PDT)
Cristovam Buarque (PPS)
Eymael (PSDC)
Fernando Collor (PTC)
Geraldo Alckmin (PSDB)
Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
João Amoêdo (Novo)
Levy Fidelix (PRTB)
Lula da Silva (PT)
Manuela D'Ávila (PC do B)
Marina Silva (Rede)
Valéria Monteiro (PMN)
Outro
Nenhum