Exposição coletiva exibe obras gráficas de artistas - Itiruçu Notícias
Arrow
Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Reflexão do sofrimento superado pela Fé

As lágrimas escorrem como sangue de uma ferida, difícil de estancar.
As batidas do coração doem a cada pulsação.
O olhar que não encontra uma saída nem mesmo alguém que possa compreender, quando se está no chão.
Não há uma mão pra te levantar, mas várias para te empurra no abismo. Apagar a luz no fim do túnel com um sopro para que não enxergue a saída.
Mas com tua em fé em Deus, louvai, porque ele é bom
Em Salmos 107.06 diz “E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.”
Pois Deus conhece as duas dores e os seus sofrimento .
Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a maldade tapará a boca.
Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as bondades do Senhor. Salmos 107:42,43 CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Exposição coletiva exibe obras gráficas de artistas

Por: Itiruçu Notícias - terça-feira, 17 de maio de 2016 - 0 Comentários

 Mostra que reúne obras em diferentes técnicas como desenho, pintura, gravura e bordado, Traçados será apresentada entre os dias 18 de maio a 01 de junho na RV Cultura e Arte, no Rio Vermelho. Serão exibidos os trabalhos dos artistas Cau Gomez, Flávia Bomfim, Galvão Bertazzi, Weaver Lima, Zé Rocha e o argentino Frederico Lamas. A abertura da exposição, nesta quarta, dia 18, ocorre às 19 horas e a  visitação nos dias seguintes é de 10h às 18h. A entrada é gratuita. O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).



O objetivo da exposição, segundo Larissa Martina, uma das curadoras da mostra, é exibir para o público as possibilidades gráficas nas artes visuais. “Montamos seis pequenas exposições dentro de um mesmo conceito. Cada artista apresenta uma série de trabalhos coesos sobre um mesmo discurso. Essas pequenas exposições formam uma mostra maior”, conta Larissa. A idéia é oferecer ao publico imagens que têm o traço e o desenho como ponto de partida, mas que têm interações e resultados diferentes.


O argentino Frederico Lamas é artista visual e diretor de arte, trabalha com vídeo, desenho, publicações e instalação. Suas obras exploram gêneros de representação artesanais e datados para criar narrativas que revertem expectativas. Uma delas é a série Visão Infernal onde a tecnologia do visor infernal pode revelar segredos, desejos reprimidos e realidades paralelas. Ele também apresentará na noite de abertura da exposição uma instalação/performance de vídeo arte.


Entre as obras expostas estará também o lançamento do livro-objeto Noite de autoria de Zé Rocha, que conta com impressão em serigrafia, montagem manual e tiragem de 100 cópias. Zé Rocha carrega em seu traço a violência e o risco produzindo uma iconografia forte, direta e sem meandros herméticos.

Os artistas

Cau Gomez - Nascido em Belo Horizonte, artista gráfico e visual, caricaturista e ilustrador, ele tem experiência nas principais agências de propaganda e veículos impressos de comunicação do Brasil. Conquistou mais de 50 premiações em diversos festivais e salões de Humor no Brasil e no exterior. É co-autor do livro “Pastinha, o menino que virou mestre de capoeira” (único livro baiano infanto-juvenil a ser finalista do Prêmio Jabuti) em 2012, e da HQ – Billy Jackson, publicada em 2013.

Frederico Lamas - Nascido em Buenos Aires, artista visual e diretor de arte, trabalha com vídeo, desenho, publicações e instalação. Sua obra explora gêneros de representação artesanais e datados para criar narrativas que revertem expectativas. Expôs em Buenos Aires, Berlim, Toulouse, Barcelona, Cidade do México, Nova Iorque, São Paulo e Lima. No Brasil, dois se seus livros “Vá-te ao Diabo” e “Visão Infernal” foram publicados pela Editora A Bolha.

Flávia Bomfim - Psicóloga e ilustradora, ela aprendeu a bordar em casa, freqüentou o atelier de gravura do Museu e Arte Moderna, realizou residência artística em 2013 na Escola de Ilustração para a infância em Sármede/Itália, em 2015 no atelier de gravura da Ilustradora Joelle Jolivet em Paris, e a ultima, em 2016, no Museu Têxtil de Oaxaca no México. Atualmente ela organza o Festival de Ilustração e Literatura da Bahia e a Feira de Artes Impressas Tabuão.

Galvão Bertazzi - Nascido em São Paulo, porém viveu a sua maior parte da vida em Goiás. Ilustra livros e jornais, faz histórias em quadrinhos, pinta sobre papel, tela e muros, utiliza suportes variados, como papel, tela, lona e madeira. Rabisca com tinta e carvão, faz colagens e experimenta materiais diversos para contar pequenas e estranhas histórias em cada um dos seus trabalhos.

Weaver Lima - Nascido em Fortaleza o artista plástico é autor de histórias em quadrinhos, curador e articulados cultural, sendo um dos mais atuantes artistas a produzir e discutir o meio cultural independente no Brasil. Foi premiado duas vezes no Salão de Abril e fez parte de coletivos de arte urbana como “Seres Urbanos” e “Monstra”.

Zé Rocha - Baiano, Mestre pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia e artista multimídia, carrega em seu traço a violência e o risco, produzindo uma iconografia forte, direta e sem meandros herméticos. Ganhou a IX Bienal do recôncavo e também teve suas sobras expostas no Museu de Arte Moderna da Bahia durante a III Bienal da Bahia. Já ganhou prêmios na IX Bienal do Recôncavo e também teve seus trabalhos expostos no Museu de Arte Moderna da Bahia durante a III Bienal da Bahia.


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif