Operação Nota Zero: PF em Jequié e Itamari - Itiruçu Notícias
Arrow
MENSAGEM DE ANO NOVO

Campanha


EDITORIAL

Viajando no tempo: do Jornal Itiruçu, evoluindo até o Itiruçu Notícias


O tempo urge e as memórias ficam, para revela a sua história. Recebi do amigo poeta Claudio Fernandes uma lembrança dos primeiros passos na área da informação. Na época não tinha internet, blogs, redes sociais, sites muito mesmo WhatsApp, mas já naquela época dávamos os primeiros passos na área da comunicação escrita. CONTINUE LENDO


COLUNISTAS

Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS EM 2017


Operação Nota Zero: PF em Jequié e Itamari

Por: Itiruçu Notícias - - quinta-feira, 24 de março de 2016 - 0 Comentários

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quarta-feira (23), a Operação Nota Zero, com o objetivo de instruir Inquérito Policial que investiga desvio de verbas e crimes contra a Administração Pública por parte de servidores da Prefeitura Municipal de Itamari, no interior da Bahia. De acordo com a PF, o inquérito em trâmite na Delegacia de Polícia Federal de Vitória da Conquista foi instaurado em virtude do não cumprimento dos dias letivos mínimos estabelecidos pelo Ministério da Educação na rede escolar municipal da referida cidade no ano de 2013.
Estão sendo cumpridos 05 Mandados de Busca e Apreensão e 07 Mandados de Medidas Cautelares Diversas da Prisão nas cidades de Jequié e Itamari, contra o gestor municipal, a primeira dama, a secretária de Educação, o Chefe do Setor de Recursos Humanos e o Procurador do município, que poderão ser presos caso a medida não seja satisfatória.
Os investigados responderão por fraude à  licitação; corrupção ativa e passiva; crime de responsabilidade dos Prefeitos; associação criminosa; falsificação de documento público; uso de documento falso; Extravio, sonegação ou inutilização de livro ou documento e coação no curso do processo do Código Penal Brasileiro. A decisão foi expedida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região em Brasília, com pedido de prisão preventiva. As penas, se somadas, podem chegar a 20 anos de reclusão.
(Metro1)


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif