Espetáculo celebra aniversário de Salvador - Itiruçu Notícias
Arrow
MENSAGEM DE ANO NOVO

Campanha


EDITORIAL

Viajando no tempo: do Jornal Itiruçu, evoluindo até o Itiruçu Notícias


O tempo urge e as memórias ficam, para revela a sua história. Recebi do amigo poeta Claudio Fernandes uma lembrança dos primeiros passos na área da informação. Na época não tinha internet, blogs, redes sociais, sites muito mesmo WhatsApp, mas já naquela época dávamos os primeiros passos na área da comunicação escrita. CONTINUE LENDO


COLUNISTAS

Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS EM 2017


Espetáculo celebra aniversário de Salvador

Por: Itiruçu Notícias - - segunda-feira, 28 de março de 2016 - 0 Comentários


O público soteropolitano terá a chance de rever uma das pessoas de maior sucesso do teatro baiano nos últimos dois anos. Adaptação da obra de Jorge Amado assinada por Edvard Passos, Compadre de Ogum apresenta-se no dia 29 de março, terça, 20h, no Teatro Vila Velha, celebrando o aniversário da cidade de Salvador, assim como aconteceu na sua estreia, em 2014, e reestreia, em 2015. Uma segunda apresentação acontece no dia 5 de abril, terça-feira seguinte, também às 20h. O Teatro Vila Velha conta com o apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia, mecanismo de fomento à cultura gerido pelas secretarias de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) e da Fazenda (Sefaz).

A obra, que já ganhou versão na televisão, em 1994, narra a história do biscateiro Massu das Sete Portas: um homem negro que, com a ajuda de amigos, organiza o batizado na igreja de seu filhinho “galego". Até aí seria pouca novidade se o padrinho da criança não fosse Ogum, que anuncia o batizado dentro da igreja católica. Convivência de credos, diversidade étnica em Salvador e o valor da amizade verdadeira são elementos que permeiam a divertida trama.

A encenação está a serviço do eixo principal do trabalho original, difere apenas em alguns pontos por conta das estratégias da dramaturgia, criadas pelo diretor para aproximar o espectador. A historia se passa em 1950 e foi preciso criar portais que conectem o tempo da trama ao tempo presente. Outras diferenças nasceram da adequação à melhor performance do elenco, como a criação de novos personagens.

“O elenco é um tesouro dessa montagem. Pedras preciosas garimpadas com todo empenho. O teatro que eu faço é um teatro de atores.  Quando escolho um elenco levo em consideração a qualidade da resposta em cena. a adequação do perfil e a ética”, diz Edvard Passos. Segundo o próprio elenco, a Aláfia Cia de Teatro de Salvador surgiu da necessidade do grupo estar junto e mostrar o seu melhor, surgiu também do ótimo clima entre os atores.

O espetáculo tem elenco composto por artistas já consagrados do teatro baiano como Diogo Lopes Filho (A Bofetada, As Noviças Rebeldes, Vixe Maria: Deus e o Diabo na Bahia) e Zé Carlos Junior (Volpone, Os Iks, Vixe Maria: Deus e o Diabo na Bahia), por representantes da nova geração de talentos como Alan Miranda (+1 Filmes), Danilo Cairo (Amnésis), Luisa Muricy (Outra Tempestade), Leandro Villa (Amor Barato), Amós Heber (Ó Paí Ó), Everton Machado (Barrela), Thais Laila (Aventuras do Maluco Beleza) e revelações do Curso Livre de Teatro 2013: Felipe Tanure, Thiago Almasy, Manu Moraes Sulivã Bispo, indicado ao Prêmio Braskem de Ator Revelação pelo trabalho neste espetáculo. A técnica conta com nomes de peso como os premiados Luciano Bahia (diretor musical), Zuarte Júnior (figurinos), Alisson de Sá (iluminador), Nildinha Fonseca (coreógrafa).


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif